Seguir o O MINHO

Barcelos

Barcelos pioneira a nível nacional no tratamento da saúde mental de crianças e jovens

Primeiro concelho a ter Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) de Saúde Mental para a Infância e Adolescência

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Barcelos é o primeiro concelho do país a ter Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) de Saúde Mental para a Infância e Adolescência. Os acordos entre o Governo e a RECOVERY IPSS, instituição particular de solidariedade social responsável pela gestão dos espaços, já foram assinados e já estão no terreno.

“Um avanço notável para o tratamento das doenças mentais” reconhece Miguel Durães, presidente de direção da RECOVERY IPSS. O símbolo é também ele emblemático: um galo verde que já chegou a vários cantos do país: “queremos que o símbolo da Saúde Mental chegue o mais longe possível”.

São três as unidades espalhadas pelo concelho de Barcelos que dão diferentes respostas às pessoas portadoras de doenças mentais bem como às suas famílias. O MINHO foi conhecer um pouco de uma realidade que começa ‘a sair para rua’.

António (nome fictício) está deitado no chão, em cima da relva, com mais quatro jovens. Fazem uma dinâmica de grupo. Com um novo penteado radical, ainda não tem 18 anos e chama a atenção pelos constantes abraços que dá a quem conhece melhor.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Joana (nome fictício) tem 16 anos, vegetariana convicta, ensina os seus colegas a fazerem receitas mais saudáveis. A sua especialidade são almôndegas de beringela.

Os dois jovens são alguns dos utilizadores da UCCI Sócio Ocupacional situada em pleno centro de Barcelos num edifício moderno. Por dia, passam pela Unidade 10 jovens que podem não ser os mesmos todos os dias, depois das aulas, numa escola comum, para participarem em programas de reabilitação psicossocial.

Miguel Durães, Presidente da RECOVERY IPSS. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

‘Reserva sempre tempo para as coisas que te fazem sentir vivo’. É uma das frases escrita num lugar estratégico dentro do edifício. “A nossa crença é que os nossos utilizadores podem recuperar a nível clínico e pessoal, podem voltar a ter uma vida normal, a viver uma vida autónoma”, revela Miguel Durães.

Por isso, na RECOVERY IPSS não há modelos prescritivos, os utilizadores são tratados pelos nomes, não há batas e “o trabalho que desenvolvemos é sempre com o objectivo de tomarem conta das suas vidas, de os empoderar”.

Segundo o presidente da RECOVERY IPSS, “falta intervenção precoce na infância onde 20% tem problemas emocionais, desenvolvimentais ou comportamentais”. Uma das utilizadoras da IPSS vai agora fazer ERASMUS e uma outra já retomou os estudos.

Unidade de Dia Sócio Ocupacional (ambulatório de adultos)

Filipe é a vedeta do Centro de dia ocupacional depois de uma reportagem televisiva ter dado protagonismo ao vianense. Teresa Lomba é a ‘cicerone’ na unidade situada em Vila Frescaínha S. Martinho. “A nossa filosofia é transversal a todas as nossas unidades, por os utilizadores o mais autónomos possíveis”.

Com 28 utilizadores, mas só com acordos para 20, vindos de Viana do Castelo, Barcelos, Esposende, Guimarães ou Braga, o centro tem as portas abertas, “eles entram e saem quando quiserem, desde que obedeçam a simples regras. As atividades são sugeridas por eles. Por isso, são dinâmicas”.

Há quem vá até à feira, ao Centro de Saúde ou pagar serviços.

“Eles fazem tudo como se estivessem em casa”.

Participam nas recolhas de alimentos do Banco Alimentar e há utilizadores que levam, à noite, o jantar numa parceria com o gabinete municipal.

Filipe não é só a vedeta, é também um exemplo dos benefícios de unidades com esta especificidade. Não só reduziu a medicação como passou, em poucos anos, de seis crises anuais para apenas uma. “O fato de estarem sob a nossa alçada e estarmos em contacto permanente com as famílias permite-nos antecipar as crises agudas que possam ter”, diz Teresa Lomba.

A unidade de dia sócio ocupacional presta, também, serviço à comunidade ao nível de consultas externas na área da saúde mental com preços sociais.

“Assim, conseguimos aumentar a qualidade de vida dos utilizadores e da própria família”.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Outra das particularidades destas unidades é a existência de um porta-voz que coordena uma reunião semanal entre eles onde debatem o que está bem e o que está mal. Esse porta-voz reúne-se com a equipa técnica dando conta das conclusões dessas reuniões.

UCCI Residência (internamento – jovens)

Na freguesia de Adães fica a Residência de Treino de Autonomia com seis camas e destinada à infância e adolescência. “É uma unidade, localizada na comunidade, destinada a desenvolver programas de reabilitação psicossocial e terapêutica”, esclarece Miguel Durães, “para crianças e adolescentes entre os 11 e os 17 anos, com perturbação mental grave e reduzido ou moderado grau de incapacidade psicossocial mas clinicamente estabilizados”.

Um recente aditamento ao acordo celebrado (o único no país com aumento de capacidade instalada) vai permitiu passar de seis para sete camas com um serviço 24 horas por dia.

A equipa técnica da RECOVERY IPSS é composta por uma Coordenadora Geral, uma Coordenadora Clínica (Psiquiatra de Infância e Adolescência), três enfermeiros, dois psicólogos, psicomotricidade, uma professora de educação física, cinco monitores, uma assistente social.

A admissão dos utilizadores é feita baseada em relatórios oficiais, com avaliações sistemáticas.

Cada adolescente tem direito a um quarto individual.

Para Miguel Durães, se todas as unidades estivessem num espaço só “estamos a falar de um modelo asilar, estávamos a institucionalizar, a estigmatizar, e não é isso que se pretende. A especialização de respostas junto dos utilizadores e suas famílias deve ser o nosso foco e isso faz-se estando inserido na comunidade, acabando com a burocracia, dando qualidade de vida e possibilitando a reinserção dos nossos utilizadores novamente na sociedade”.

Padrinhos e transparência

A RECOVERY tem sido uma das IPSS mais reconhecidas a nível nacional por várias entidades, ganhando prémios, como o do BPI Solidário, prémio Fidelidade Comunidade, prémio Fundação Manuel António da Mota ou, mais recentemente, o Prémio Cinco Estrelas Regiões 2019 – Braga.

Miguel Durães, Presidente da RECOVERY IPSS. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O trabalho na área da Saúde Mental é suportado com a ajuda de 60 padrinhos, “desde fundações passando por empresas e terminando em pessoas a título individual” porque “não se consegue viver apenas com o que é contratualizado com o Estado”.

Para o presidente da RECOVERY, a “transparência é fundamental. Temos avaliações financeiras e técnicas trimestralmente, as últimas quatro avaliações estavam sem inconformidades, somos regulados pela ERS (Entidade Reguladora de Saúde), pela Equipa de Coordenação Local, pela Equipa de Coordenação Regional e pela Comissão Nacional”.

Saúde Mental

As esquizofrenias, a bipolaridade e as depressões crónicas são as doenças mais identificadas junto da população. “A saúde mental, em Portugal, está 50 anos atrasada em relação ao resto da Europa”, diz o, também, psicólogo clínico.

Os números impressionam: 31% da população, segundo a OMS, tem uma perturbação psicológica ou psiquiátrica num dado momento da sua vida. O livro verde da saúde fala em 80,9 milhões de pessoas na Europa com uma doença mental.

Portugal é o segundo país do mundo, a seguir aos Estados Unidos, com a maior taxa de prevalência onde 23% sofre de uma doença mental dos quais 19% são graves. Em 10 incapacidades para o trabalho, cinco são de natureza psiquiátrica. É a maior causa de reforma antecipada, de pensões de invalidez e de baixa médica, “com custos intangíveis se associarmos as consequências à produtividade”.

Miguel Durães lembra que “a depressão e o stress matam mais gente do que os acidentes de viação e o VIH”.

Ora em contrapartida, “a Saúde Mental tem o menor orçamento dentro da saúde, é o parente pobre da saúde, sem qualquer tipo de dúvida”.

Números

Os dados apresentados pela IPPS de Barcelos provam o trabalho intenso que está a ser desenvolvido e ao mesmo tempo, o trabalho que ainda é preciso fazer para combater as décadas de atraso.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Apenas no ano passado (2018), a RECOVERY IPSS chegou a 816 beneficiários dos 200 inicialmente previstos, já proporcionou 661 consultas de psicologia, pedopsiquiatria interna e externa e 253 consultas de enfermagem. Em termos de planos de intervenção na área educacional e/ou profissional foram desenvolvidos 379 dos 30 previstos.

“É uma Instituição que existe para ter lucro, mas não para ganhar dinheiro. O nosso lucro é a reabilitação dos nossos utilizadores, quer sejam jovens ou adultos. O nosso lucro são as pontes que estabelecemos com a comunidade. O nosso lucro são vocês, todos vocês que nos acompanham na defesa desta nobre causa”, termina Miguel Durães.

Anúncio

Barcelos

Preço Certo emitido em direto de Barcelos

No próximo domingo, na frente ribeirinha

em

Foto: Divulgação

O concurso televisivo “O Preço Certo”, transmitido na RTP 1, vai emitir um programa em direto a partir da frente ribeirinha de Barcelos, no próximo domingo, dia 28 de julho, às 21:00, revelou a autarquia.

O programa conduzido pelo popular apresentador Fernando Mendes é um dos programas mais duradouros da televisão nacional, estando entre os mais vistos e preferidos dos portugueses.

O concurso, transmitido com o apoio do Município de Barcelos, irá apresentar os habituais passatempos para atribuição de prémios aos concorrentes, intercalados com momentos musicais.

Há mais de uma década em emissão contínua na RTP1, este é o concurso de maior longevidade da televisão mundial, segundo assinala a autarquia num comunicado enviado a O MINHO. Em Portugal, estreou no dia 11 de Fevereiro de 2002 com o nome “O Preço Certo em Euros”, para familiarizar os portugueses com a nova moeda. Foi primeiro apresentado por Jorge Gabriel e depois por Fernando Mendes, com Miguel Vital a dar voz à apresentação dos prémios.

Em 2006 foi relançado com o nome original de “O Preço Certo”.

Continuar a ler

Barcelos

Albergue da cidade de Barcelos está a comemorar oito anos de existência

Atividades começam hoje e prolongam-se até quinta-feira

em

De 20 a 25 de julho de 2019, a Associação ACB – Albergue Cidade de Barcelos comemora o seu 8º Aniversário. São várias as atividades promovidas pela Associação, de participação livre e gratuita, sem necessidade de inscrição, vocacionadas para a promoção de Barcelos no Caminho Português de Santiago e do Caminho de Santiago para os Barcelenses.

As Comemorações do 8º Aniversário da Associação ACB – Albergue Cidade de Barcelos têm o apoio do Município de Barcelos e da Xunta de Galicia.

Hoje, pelas 21:30, no Auditório do Posto de Turismo de Barcelos, realiza-se a 4ª Edição do “Barcelos Hospitaleiro”, um evento informal de partilha de experiências entre todos os que, diariamente, promovem a Hospitalidade no Caminho Português de Santiago.

Amanhã, pelas 10:00, com início/ponto de encontro na Torre Medieval, realiza-se uma visita guiada intitulada “Barcelos na óptica do Caminho de Santiago”. Esta atividade será orientada pelo Posto de Turismo de Barcelos.

Na próxima quinta-feira, pelas 19:00, na Igreja de Santo António, celebra-se uma Eucaristia de Santiago e a Bênção do Peregrino. Esta atividade é promovida em parceria com a Bênção do Peregrino da Igreja de Santo António e com a Associação SobramSonhos – Amigos e Voluntários do Caminho de Santiago.

Também na quinta mas pelas 21:00, no Posto de Turismo de Barcelos, tem lugar a inauguração da exposição “De Mar a Mar – O Caminho de Santiago em 3D” (exposição da Xunta de Galicia) composta por 20 fotografias do Caminho Português de Santiago na Galiza.

A exposição apresenta o Caminho de Santiago como uma rota universal, espiritual, histórica e monumental. Primeiro Itinerário Cultural Europeu, cuja meta é o túmulo do Apóstolo Santiago Maior em Santiago de Compostela. A exposição estará disponível entre 25 de julho e 20 de agosto de 2019.

Continuar a ler

Barcelos

Menino de dois anos caiu de terraço em Barcelos

“Sofreu algumas lesões, mas está estável”

em

Foto: Arquivo

Um menino de dois anos foi transportado para o Hospital de Braga, depois de ter caído de um terraço com cerca de três metros, esta quinta-feira à noite, em Cristelo, concelho de Barcelos.

Ao que O MINHO apurou, hoje, a criança “sofreu algumas lesões, mas está estável”.

Segundo os Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, o alerta para a emergência foi recebido às 21:13.

Antes de ser levado para o hospital, o menino foi assistido no local por dois elementos daquela corporação, apoiados por uma ambulância e pela VMER de Barcelos.

Continuar a ler

Populares