Bananeiro. “Não temos o direito de impedir uma tradição tão vincada” em Braga

Casa das Bananas pede aos clientes que evitem ajuntamentos na rua

A Casa das Bananas, fundadora da tradição do Bananeiro, em Braga, que como O MINHO noticiou em primeira mão vai estar aberta no dia 24, apela à responsabilidade da população para evitar ajuntamentos.

“Pedimos desde já a consciencialização dos nossos clientes para a situação pandémica que estamos a atravessar, não podemos controlar os ajuntamentos na rua, isso só depende de vocês. Pedimos que, dada a situação, cumpram esta tradição este ano de forma mais contida, em casa com as respetivas famílias”, escreve na sua página de Facebook a casa fundadora do encontro natalício, antes da consoada, entre amigos, conhecido por Bananeiro, que nos últimos anos atingiu proporções gigantescas.

Tradição do Bananeiro em Braga poderá cumprir-se (mas sem ajuntamentos)

A Casa das Bananas salienta que, no dia 24, a restauração e comércio poderão estar abertos até à 01:00, e não poderia privar os bracarenses do Bananeiro: “Consideramos que não temos sequer o direito de impedir a realização de uma tradição tão vincada na nossa cidade”.

Não há Natal sem bananeiro, nem bananeiro sem bananas e moscatel, pelo que o estabelecimento venderá o habitual moscatel e banana, “mas somente para o exterior da loja”.

A verdadeira história do Bananeiro de Braga. E de Viana

“Teremos a página de Facebook disponível para publicações de forma a podermos cumprir esta tradição o mais unidos possível, mas sempre dentro dos limites impostos pela pandemia”, acrescenta o comunicado.

Em declarações a O MINHO, Altino Bessa, vereador da Câmara de Braga, já havia apelado ao bom senso da população: “O estabelecimento poderá funcionar nas normas previstas, no entanto, não serão tolerados ajuntamentos de pessoas na via pública”.

O vereador avisa que as autoridades policiais irão, caso seja necessário, atuar.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Primeira morte por covid em Paredes de Coura. Casos ativos descem em Ponte de Lima

Próximo Artigo

Guimarães, Famalicão e Fafe melhoram, mas continuam nos que têm maior incidência

Artigos Relacionados
x