Seguir o O MINHO

Vila Verde

Assembleia da República louva Lara Machado e Ricardo Cunha

em

A Assembleia da República conferiu um voto de louvor à bailarina Lara Machado e ao atleta Ricardo Cunha, já que se têm destacado pelos seus resultados internacionais, sendo ambos do concelho de Vila Verde.


O voto de louvor proposta pelo deputado Rui Silva, do PSD, foi aprovado no Parlamento por unanimidade, para Lara Machado e Ricardo Cunha, devido aos feitos alcançados em representação de Portugal.

Lara Machado, jovem bailarina, de 14 anos natural de Carreiras São Miguel, Vila Verde, foi uma das protagonistas do Campeonato do Mundo de Dança Barcelona 2018, onde alcançou o pódio por nove vezes.

Ricardo Cunha, de Escariz, Vila Verde, participou na última edição dos Jogos Europeus para Transplantados e Dialisados, onde conquistou quatro medalhas, levando a que ambos os atletas tivessem sido aclamados com aplausos por todos os deputados na Assembleia da República, na presença dos seus familiares e amigos, alem de autarcas de Vila Verde.

Segundo o deputado Rui Silva, Lara Machado “constitui um exemplo para os nossos jovens pela afirmação de arte milenar, a dança, cuja presença viva e marcante se encontra patente em todas as formas da cultura humana, ao longo dos tempos, pois a par da música, a dança constitui veículo privilegiado de educação, de comunicação e expressão social”.

Acerca de Ricardo Cunha, o mesmo deputado social democrata considerou que “encarna o espírito de aquisição e de enriquecimento constante de qualidade de vida, mesmo em débeis condições de saúde, que consiste em não perder nunca a sua esperança e renovar continuamente este espírito de luta contra todas as adversidades, sempre com um sorriso de alento estampado no rosto”.

Anúncio

Braga

Jovem agredida ao surpreender ladrões que tentavam assaltar casa em Vila Verde

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

Dois indivíduos tentavam assaltar uma casa em Cabanelas, Vila Verde, quando foram surpreendidos por uma residente e agrediram-na, na tarde desta segunda-feira, apurou O MINHO junto de fonte da GNR.

Os indivíduos estavam “a tentar forçar a entrada na residência” quando foram surpreendidos por uma residente na habitação, uma mulher “na casa dos 20, 30 anos”.

Ao encetar a fuga, os ladrões agrediram a jovem que sofreu “algumas escoriações” e foi transportada ao hospital “por precaução”.

O furto não chegou a ser consumado e a GNR de Prado, que acorreu o local, está a investigar o caso.

Continuar a ler

Braga

Professor do colégio da Misericórdia de Vila Verde testa positivo à covid-19

Pandemia

em

Foto: Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde

Um professor do Colégio Dom João de Aboim, da Misericórdia de Vila Verde, testou positivo à covid-19, disse a O MINHO o provedor da instituição, Bento Morais.

Questionado se haveria pessoal ou alunos em isolamento ou se houve atividades canceladas, o provedor da Misericórdia nada adiantou, garantindo apenas que “está tudo resolvido, está tudo a funcionar”.

É mais um caso de covid-19 em escolas de Vila Verde, concelho onde já havia registo de três turmas em isolamento no Agrupamento de Escolas de Moure e Ribeira do Neiva. Foi detetado um caso em cada uma das turmas – do 4.º, 7.º e 9 anos.

Na turma do 9.º ano, todos os outros alunos testaram negativo, faltando ainda saber os resultados nas outras duas, cujas crianças também foram testadas, por indicação do Delegado de Saúde.

No mesmo agrupamento, já tinham sido registados dois casos positivos no pré-escolar de Moure que levou ao encerramento de uma das salas.

Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde com dados por concelho, emitido na passada segunda-feira, Vila Verde tinha somado na última semana mais 27 novas infeções e tinha um acumulado, desde o início da pandemia, de 417 casos.

Continuar a ler

Braga

Gangue assalta pastelaria em Vila Verde

Crime

em

Foto: Imagem de videovigilância

Uma pastelaria em Vila Verde foi assaltada na madrugada desta quarta-feira. As imagens de videovigilância mostram um grupo de cinco indivíduos encapuzados a entrar no estabelecimento, após arrombarem a porta de entrada, e à procura de valores para levar.

Em declarações a O MINHO, o dono da pastelaria Frei Doce, Nuno Mota, refere que os ladrões acabaram por não conseguir levar nada, pelo que “o prejuízo maior foi a porta” que ficou destruída.

“Não levaram nada, porque tirámos sempre tudo à noite, ao fazer o fecho não deixamos ficar nem trocos”, explica o proprietário da pastelaria localizada em Freiriz.

Foto: Nuno Mota

Foto: Nuno Mota

Foto: Nuno Mota

Foto: Nuno Mota

Foto: Nuno Mota

Para Nuno Mota, o grupo procurava as caixas de pagamento automáticas que existem em muitos estabelecimentos.

“Pelo que a gente se apercebe ao ver as imagens, era o que eles iam à procura, mas nós não temos dessas máquinas”, explica.

O assalto ativou o alarme. A GNR “apareceu logo, muito rapidamente”, mas já os assaltantes se tinha colocado em fuga.

O estabelecimento já foi assaltado outras vezes, mas nos últimos quatro anos é a primeira.

Continuar a ler

Populares