Seguir o O MINHO

Braga

Arquidiocese de Braga cria linha telefónica para combater a solidão

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / Arquivo

A Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Braga lançou hoje uma linha telefónica gratuita para “escutar e acompanhar espiritualmente” quem está a passar por uma situação de sofrimento por causa da covid-19 e não dispõe de acesso à internet.

Em comunicado, a arquidiocese refere que o serviço, denominado “Um Ouvido com C’Oração”, está acessível todos os dias, entre as 09:00 e as 21:00, através do número 800210114.

Citado no comunicado, o diretor do Centro de Escuta e Acompanhamento Espiritual, Jorge Vilaça, descreve a linha como uma “extensão telefónica” de um serviço que já existe há vários anos mas que agora não pode ser prestado num espaço físico, por causa da pandemia.

“Este serviço quer ser direcionado, sobretudo, a pessoas que não têm acesso aos meios mais comuns de comunicação e da comunicação social. Nós temos uma grande faixa de pessoas, neste momento, que estão isoladas não somente do ponto de vista físico, mas também do ponto de vista da informação. Temos muita gente que vive sozinha, que não tem acesso à internet, não tem acesso a jornais e não tem acesso a muita informação”, sublinhou o responsável.

Acrescentou ainda que o serviço se deve ao facto de “muitas pessoas” irem buscar “conforto à espiritualidade para passar estes tempos mais difíceis”.

“Nós estamos dispostos a, doze horas por dia e sete dias por semana, fazer esse acompanhamento e escuta”, vincou.

O serviço telefónico é coordenado por cinco sacerdotes e é dirigido a pessoas que colocam “a fé como elemento que importa para as suas vidas” e que passam por uma situação de sofrimento, como isolamento, solidão, medo, luto, desorientação espiritual ou doença.

Anúncio

Braga

Cruz Vermelha acolhe os 20 a 30 sem-abrigo que ainda dormem nas ruas de Braga

Câmara preparou pavilhão da escola de Nogueira

em

Foto: O MINHO

Processo deve arrancar esta quinta-feira. As 20 a 30 pessoas sem-abrigo que ainda permanecem nas ruas de Braga passam a ter um espaço de acolhimento, a partir de hoje.

Fonte da Cruz Vermelha de Braga disse a o MINHO que os sem-abrigo (que ainda pernoitam nas ruas da cidade) vão ser recebidos numa estrutura montada, propositadamente, pela Câmara, no pavilhão desportivo da Escola de Nogueira.

Estes cidadãos continuam na rua, em vãos de escada ou zonas de prédios com arcadas como sucede com os das redondezas das piscinas da Rodovia.

Para a abertura, a Segurança Social desbloqueou a verba necessária para pagar a uma empresa de segurança: “sem segurança não se pode abrir”, disse a mesma fonte.

Por outro lado, a Cruz Vermelha já deu formação específica a uma equipa que vai trabalhar com eles.

Foto: O MINHO

Estes cidadãos terão ali direito a cama e a comida, bem como apoio médico, social e psicológico.

No espaço, cuja montagem teve apoio da Câmara Municipal local e da Segurança Social e quem tem capacidade para 30 pessoas, haverá, ainda, locais para higiene pessoal, e uma estrutura para manutenção da segurança.

A Cruz Vermelha tem um outro espaço em funcionamento há vários anos, o Centro de Acolhimento Temporário de Nogueira onde estão, atualmente, 46 utentes em quarentena profilática devido ao aparecimento do Covid-19, num deles.

Continuar a ler

Braga

Vieira do Minho inicia testes de despistagem nos lares

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

O município de Vieira do Minho iniciou hoje a realização de testes de diagnóstico da covid-19 aos idosos dos lares do concelho, anunciou a autarquia. Em comunicado, a autarquia revela que conseguiu adquirir 100 testes, “apesar da grande dificuldade”.

“Estes testes rápidos permitem a deteção de anticorpos IgG e IgM de sensibilidade de 92 por cento, devidamente registados no Infarmed”, explica a nota enviada à imprensa.

O primeiro lote de testes foi colocado à disposição da Santa Casa da Misericórdia, do Lar Padre António Pereira Lima, em Cantelães e do Lar do Divino Salvador, em Rossas.

“Nesta missão, que é de todos, o Município assume como prioridade zelar pelos mais idosos e seus cuidadores, no sentido de encararmos este período com o máximo de serenidade possível”, refere o mesmo documento.

Vieira do Minho regista, esta quarta-feira, 11 casos de infeção por covid-19, mais duas do que na véspera. Há ainda a lamentar dois óbitos no concelho, face à pandemia do vírus SARS CoV 2.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde, a vila no Minho mais atingida pela pandemia, inicia testes de despistagem nos lares

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vila Verde

A Câmara de Vila Verde iniciou hoje a realização de testes serológicos para a deteção da infeção provocada pela covid-19, não homologados, aos funcionários dos lares de idosos de todo o concelho, anunciou a autarquia.

Em comunicado, a autarquia aponta que os testes foram realizados “nas várias instituições do concelho”, aos funcionários que “entraram neste dia em piquete e às equipas de trabalho nos turnos que se seguem”.

“Se se vier a revelar absolutamente necessária, a realização destes testes, financiada pela Câmarade Vila Verde, poderá ainda estender-se aos idosos”, diz a mesma nota.

Esta é uma forma da autarquia tentar evitar a entrada do vírus “em instituições que acolhem uma população de elevada idade e, por conseguinte, bastante mais vulnerável a uma doença desta natureza e com esta gravidade”.

Oficial: Média de infetados em Braga baixa nas últimas 24 horas. Há 1.154 infetados no Minho

O trabalho de recolha conta com a colaboração do Centro Social Vale do Homem e dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde.

A autarquia destaca ainda a compra de 16.000 pares de luvas, 6.600 máscaras cirúrgicas, 550 máscaras p2, 50 equipamentos/fatos de proteção individual e 560 litros de álcool e gel desinfetantes, “com os quais as instituições onde trabalham os profissionais de saúde e com pessoas numa situação de maior vulnerabilidade poderão proteger-se”.

António Vilela, presidente da Câmara, considera que “o trabalho de despistagem da covid-19 nos lares de idosos já deveria ter sido prioritariamente realizado por quem de direito” e que, como tal não sucedeu, “o Município de Vila Verde, não podendo ficar de braços cruzados à espera, decidiu avançar com esta medida da maior urgência para evitar que a pandemia chegue a instituições com uma população particularmente vulnerável e que tem que ser devidamente protegida e acarinhada”.

Vila Verde conta, esta quarta-feira, com 49 casos confirmados de covid-19 no concelho, mais um do que na véspera. É o sexto concelho do Minho mais atingido pela pandemia e o quinto do distrito de Braga, sendo a vila do Minho que mais casos tem.

Continuar a ler

Populares