Seguir o O MINHO

Desporto

Aos 37 anos, vice-campeão do mundo José Ramalho mantém “ambição”

Atleta do CN Prado

em

Foto: FP Canoagem

Vice-campeão do Mundo de maratonas, o canoísta José Ramalho garante que, aos 37 anos, no horizonte tem apenas ambição e vontade de amealhar mais “títulos e vitórias”, enquanto espera “inspirar” outros a seguir-lhe o exemplo.

“Vamos ter o Ramalho a lutar sempre, sempre para ganhar. Para o título mundial ou seja para o que for. Sempre com essa disposição e com isso na minha cabeça. Trabalho a minha cabeça, mente e coração, e o meu corpo só tem de os seguir”, disse, à Lusa.

No sábado, em Shaoxing, China, o campeão nacional completou os 29,7 quilómetros de prova em 2:08.35,53 horas, ficando a apenas 1,32 segundos do dinamarquês Mads Pedersen, novo campeão, o primeiro a conquistar os títulos de sub-23 e seniores numa única edição dos Mundiais, após ter feito o mesmo nos Europeus deste ano.

“Foram pormenores. Na última portagem saí na frente, mas perdi alguns segundos, fui mais lento, joguei pelo seguro, e quando voltei a entrar no barco não tomei a dianteira. Foi aí que ficou determinado quem seria o vencedor, quem saísse primeiro na portagem”, contou.

Depois de nos Mundiais de 2018, em Vila Verde, ter rompido o casco do caiaque, que lhe arruinou, definitivamente, a prova, desta vez o problema com a pagaia fez José Ramalho “perder 20 metros, até trocar pela antiga”, facto que o atirou para o terceiro grupo, obrigando-o, novamente a esforço suplementar para se juntar aos que lideravam.

“Na parte final, cheguei a pensar que poderia vencer, mas, perante a situação, qualquer medalha seria muito positiva, pois até à primeira meia hora pensava que as coisas iam correr muito mal”, admitiu.

Além de seis títulos de campeão da Europa, o vila-condense foi vice-campeão do mundo este ano e em 2012, e alcançou o bronze em 2009, 2014 e 2016.

“Ainda tenho muito mais pela frente. O desporto mostra cada vez mais que há atletas mais velhos a ganhar provas e medalhas. A longevidade não é a mesma de há uns anos. Sinto-me em superforma e sei que ainda tenho mais uns anos pela frente”, reforçou.

Nesse percurso, Ramalho espera “continuar a inspirar” os mais jovens da seleção de maratonas, que considera terem feito um “desempenho brilhante” na China, “alguns dos quais com contratempos que as pessoas desconheceram, sendo que um, após ter dado tudo na pista, muito debilitado fisicamente, terminou a prova e foi diretamente para o hospital”.

“Só somos velhos quando nos começamos a sentir ou a achar que o somos. Sinto-me em superforma e superbem. Quanto mais treino, melhor me sinto. A velhice ainda está para chegar. Há atleta mais velhos com grandes resultados, considero que posso fazer a mesma gestão de carreira. Estou no bom caminho”, concluiu.

Anúncio

Desporto

Portugal vence Suécia no Euro2020 de andebol (por 10 golos de diferença)

35-25

em

Foto: EFH

A seleção portuguesa de andebol venceu hoje a Suécia, vice-campeã europeia, por 35-25, na estreia na ronda principal do Euro2020, segunda fase do torneio, somando os primeiros pontos.

A equipa das quinas entrou bem no jogo, que decorreu em Malmo, e ao intervalo já vencia por 15-12, aproveitando a segunda parte para dilatar a vantagem, com o resultado final a assinalar uma vantagem folgada de 10 golos.

Portugal, tal como os suecos, entraram em desvantagem na fase decisiva da prova, uma vez que perderam os jogos com a Noruega (34-28) e a Eslovénia (21-19), respetivamente, as outras equipas qualificadas dos respetivos grupos da fase preliminar, que transportam os resultados entre si.

A seleção portuguesa soma assim os primeiros dois pontos no Grupo II, que é liderado pelo Noruega e Eslovénia, ambas com quatro pontos. Integram ainda o grupo a Hungria (dois pontos), Islândia e Suécia (ambas com zero).

Continuar a ler

Futebol

SC Braga vence FC Porto no Dragão

15 anos depois

em

Foto: SC Braga

O SC Braga venceu hoje o FC Porto, por 2-1, em pleno Estádio do Dragão, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os golos dos bracarenses foram marcados por Fransérgio, logo aos 5 minutos, e Paulinho, aos 75. Tiquinho Soares marcou o golo do FC Porto, aos 65.

Com este triunfo no reduto ‘azul e branco’, algo que não acontecia há 15 anos, o SC Braga passou a somar 27 pontos, conseguindo o terceiro triunfo em três jogos sob o comando de Rúben Amorim, seguindo no quinto lugar do campeonato.

Já o FC Porto, que não perdia no seu reduto, para o campeonato, desde março de 2019, mantêm-se no segundo lugar da I Liga, com 41 pontos, mas poderá ver a desvantagem para a liderança do Benfica aumentar para sete pontos, dependendo do que os ‘encarnados’ fizerem hoje no dérbi lisboeta com o Sporting.

As dificuldades para os ‘dragões’ começaram logo aos cinco minutos, quando no primeiro lance de perigo do desafio, os minhotos, numa recuperação de bola, se colocarem em vantagem, num remate de Fransérgio.

O tento até foi inicialmente invalidado pelo árbitro Carlos Xistra, por um eventual fora de jogo de Raul Silva, mas depois de ver as imagens do VAR, o juiz de Castelo Branco, acabou por dar o lance como legal.

Com a madrugadora desvantagem, o FC Porto teve de forçar o ritmo de jogo, e até conseguiu reagir ao inicial revés, instalando-se no meio campo adversário e ameaçando o empate em lances protagonizados por Manafá e Marcano, este com um cabeceamento à barra da baliza do guardião Matheus.

O guarda-redes brasileiro do SC Braga voltou a sentir um calafrio já perto da meia hora, quando o companheiro Bruno Viana fez um atraso arriscado, com a bola a sair perto da baliza bracarense.

Apesar de insistência e do ritmo frenético colocado no jogo, o FC Porto fechou a primeira parte com queixas próprias, pois, aos 44 minutos, desperdiçou uma grande penalidade, quando na sequência de uma falta de Raul Silva sobre Corona, Alex Telles assumiu a responsabilidade de cobrar o castigo, mas permitiu que Matheus defendesse o remate com os pés.

No regresso do descanso, o FC Porto conseguiu repetir o embalo da etapa inicial, voltando a revelar-se mais ambicioso nas tarefas ofensivas, perante um SC Braga que perdeu alguma coesão defensiva com a saída do central Raul Silva e a entrada do jovem David Carmo.

O estreante defesa acabou por claudicar aos 54 minutos, rasteirando na sua área Otávio, numa falta para grande penalidade, desta feita cobrada por Soares, mas também desperdiçada, com o remate a levar a bola ao poste esquerdo.

O avançado brasileiro dos ‘azuis e brancos’ acabaria por se ‘redimir’ do desperdício, aos 58 minutos, conseguindo o golo do empate, num desvio a um passe de Marega.

O Sporting de Braga não se intimidou com a reação do FC Porto, e passou a aventurar-se mais nas saídas para o contra-ataque, criando o seu primeiro lance de perigo na segunda parte numa arrancada de Paulinho a que Marchesin, guardião dos locais, se impôs com uma saída corajosa.

Só que, desse lance, resultaria um canto, em que Paulinho, deste feita, revelou-se letal, com um desvio de cabeça, que devolveu a vantagem aos bracarenses, aos 75 minutos.

Este segundo golo dos minhotos foi um golpe demasiado duro para os ‘dragões’ recuperarem, e, embora continuando a insistir, a equipa de Sérgio Conceição já não teve a força anímica, e sobretudo a lucidez, para minimizar os ‘estragos’, e o melhor que conseguiu foi um cabeceamento de Soares, aos 84 minutos, que Matheus segurou.

No final do encontro, o público do Dragão mostrou a insatisfação com a prestação da equipa ‘azul e branca’, com um forte coro de assobios na saída do conjunto portista do relvado.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – SC Braga, 1-2.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

0-1, Fransérgio, 05 minutos.

1-1, Soares, 58.

1-2, Paulinho, 75.

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Marcano, Alex Telles, Danilo (Sérgio Oliveira, 90+1), Uribe (Luis Díaz, 76), Otávio, Corona, Soares e Marega (Aboubakar, 78).

(Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Luis Díaz, Aboubakar, Sérgio Oliveira, Fábio Silva e Vítor Ferreira).

Treinador: Sérgio Conceição.

– SC Braga: Matheus, Tormena, Raul Silva (David Carmo, 46), Bruno Viana, Ricardo Esgaio, Fransérgio, Palhinha, Sequeira, Trincão (Galeno, 61), Paulinho e Wilson Eduardo (Ricardo Horta, 53).

(Suplentes: Tiago Sá, André Horta, João Novais, Rui Fonte, Ricardo Horta, Galeno e David Carmo).

Treinador: Rúben Amorim.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fransérgio (06), Alex Telles (09), Raúl Silva (43), Ricardo Esgaio (65), Ricardo Horta (65), João Palhinha (68), Otávio (69), Soares (73), Marega (77), Marcano (82) e Matheus (83).

Assistência: 35.611 espetadores.

(notícia atualizada às 22h14)

Continuar a ler

Futebol

FC Porto-SC Braga: Matheus defende penálti

Minuto 44. Penálti para o FC Porto. Defende Matheus! Alex Telles a bater a grande penalidade, Matheus atira-se para o lado contrário, mas acaba por negar o empate com o pé esquerdo.

em

Minuto 44. Penálti para o FC Porto. Defende Matheus! Alex Telles a bater a grande penalidade, Matheus atira-se para o lado contrário, mas acaba por negar o empate com o pé esquerdo.

Continuar a ler

Populares