Seguir o O MINHO

Aqui Perto

Abertura das fronteiras: Como estão as coisas no lado de lá, na Galiza?

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Com a reabertura das fronteiras com Espanha cresce a preocupação com a possibilidade de novos contágios vindos do lado de lá do rio Minho, mas será que devemos ficar preocupados com a situação epidemiológica dos galegos? Para já, parece que não, embora o maior número de casos ativos se encontre na província de Pontevedra, que faz fronteira direta com o Alto Minho.

Nesta quarta-feira, segundo dados do SERGAS (Servicio Galego de Saúde), existem 313 casos ativos de infetados com covid-19, menos um do que na véspera. Na raia com o Minho, a situação parece estar controlada. embora Vigo, na província de Pontevedra, se mantenha como a que regista maior número de casos ativos (128).

Seguem-se os municípios de Corunha (70), Lugo (52), Santiago de Compostela (23), Ourense (20), Ferrol (10) e Pontevedra (10). A tendência tem sido de descida em quase todos os municípios galegos, com exceção de Lugo, que tem verificado algum crescimento nos últimos dias (+3 nas últimas 24 horas).

Em termos de testes PCR, a região da Galiza tem efetuado cerca de 3.200 testes por dia, totalizando já 185.374 realizados desde o início da pandemia. Registou-se um total de 11.565 casos acumulados nesta quarta-feira, mais nove do que ontem. Mas, relembrando, ativos existem 313.

A nível de casos de internamento, a Galiza conta agora com três pessoas internadas em enfermarias, registando já três semanas sem qualquer óbito. 310 pessoas recuperam em casa, não existindo internamentos em cuidados intensivos.

Do lado de cá da fronteira, no distrito raiano de Viana do Castelo, registam-se 26 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, num total acumulado de 617 casos confirmados. O Alto Minho regista 55 óbitos a lamentar. Estes dados são fornecidos pela Unidade Local de Saúde do Alto Minho e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral da Saúde.

Já no distrito de Braga, os dados reais não são revelados por escolha da coordenação distrital das autoridades de saúde.

Populares