Seguir o O MINHO

Futebol

Vitória quer ganhar em casa ao FC Porto, “um adversário de bastante valia”

21.ª jornada da I Liga, temporada 2019/2020

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

O treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, realçou hoje que a sua equipa deve ser “tão ou mais intensa” do que o FC Porto, para ter hipóteses de vencer o jogo da 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, no domingo.

As duas equipas vão-se encontrar em Guimarães, às 17:30, após resultados positivos na ronda anterior – os vitorianos golearam o Famalicão por 7-0, e os ‘dragões’ venceram o Benfica por 3-2 -, e o técnico adiantou que os minhotos vão jogar “com a mesma intenção de sempre”, a de ganhar, frente a “um adversário de bastante valia”, caracterizado pela “intensidade”.

“Vai-se proporcionar um espetáculo de qualidade, mas acima de tudo de intensidade. O FC Porto é uma equipa muito intensa. Temos de elevar o nosso patamar e ser tão ou mais intensos do que o FC Porto. A característica do FC Porto é ter jogadores grandes, possantes, intensos”, disse, na conferência de imprensa de antevisão à partida que vai decorrer no Estádio D. Afonso Henriques.

A turma de Guimarães quer assim obter um resultado diferente do embate da primeira volta, no Estádio do Dragão, em que ficou reduzida a 10 jogadores desde o começo e perdeu por 3-0, mas, segundo Ivo Vieira, criou “oportunidades para marcar golos”, e do jogo “muito equilibrado” da meia-final da Taça da Liga, disputado em Braga, em janeiro, no qual perdeu 2-1, com “golos algo consentidos”.

Para inverter essa tendência, o Vitória precisa, no entender do seu ‘timoneiro’, de “ser mais competente nos vários momentos do jogo” e também “mais eficaz”, olhando para os vários “comportamentos do adversário” e não apenas para a sua ala direita, zona que originou os golos marcados na meia-final da Taça da Liga e ainda os três que ‘carimbaram’ a vitória sobre as ‘águias’, no sábado.

“A solução para evitar isso é jogar com dois laterais esquerdos, um em cima do outro”, brincou, tendo ainda dito que há “pormenores” em que se “pode ser mais incisivo na defesa”, em relação aos duelos anteriores com a formação treinada por Sérgio Conceição.

O treinador salientou ainda que o ‘fator casa’ deve ter pouca influência num jogo entre equipas que querem vencer, a não ser pela supremacia dos adeptos vitorianos nas bancadas, e realçou que o volume de golos conseguido no desafio com o Famalicão foi a consequência de 90 minutos em que as “bolas entraram”, ao contrário de outras partidas em que a equipa atacou, mas não marcou.

Questionado sobre as polémicas que afloraram no futebol nacional, no rescaldo do clássico entre FC Porto e Benfica, Ivo Vieira disse “não querer ser mais um a aumentar esse ponto crítico” e apelou a uma maior valorização do desporto em Portugal.

“No futebol português, fala-se sempre mais dos atletas que falham do que dos golos que eles marcam. O guarda-redes que falha é mais falado do que aquele que faz uma grande defesa. Nós, portugueses, devíamos ter mais autoestima, porque os treinadores e os atletas [no campeonato português] são bons”, observou.

O Vitória SC, sétimo classificado da I Liga, com 28 pontos, recebe o FC Porto, segundo, com 50, em partida da 21.ª jornada, agendada para as 17:30, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Anúncio

Desporto

SC Braga e Vitória SC pagaram mais de três milhões a empresários

Futebol

em

Foto: DR

Os clubes portugueses das I e II Ligas profissionais de futebol, e alguns emblemas de futebol feminino, pagaram 83,650 milhões de euros em comissões a empresários, revelou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Embora afastados dos lugares cimeiros, ocupados por Benfica, Porto e Sporting, os rivais minhotos SC Braga e Vitória SC gastaram ambos mais de três milhões, com 3,29 milhões para a SAD dos bracarenses, a que se somam 21 mil euros pagos pelo clube, e 3,6 milhões para os vimaranenses.

Os valores reportam-se ao pagamento de serviços relacionados com a intermediação em momentos de contratação, renovação ou mesmo de venda de ativos do plantel.

Segundo a tabela de intermediários e transações hoje publicada pela FPF, a SAD do Benfica pagou 34,2 milhões de euros entre 01 de abril de 2019 e 31 de março de 2020, o valor mais alto em Portugal, a que acrescem ainda cerca de 59 mil euros pagos pelo clube ‘encarnado’ (e não pela SAD) por jogadoras para a equipa feminina.

Logo atrás do Benfica está o FC Porto, com 23,7 milhões pagos a intermediários, seguindo-se o Sporting, com 15,9 milhões, o que significa que, dos 83,650 milhões, os três grandes são responsáveis por 73,8 milhões, ou seja, mais de 88% do valor total.

O número global denota um aumento de mais de 32 milhões de euros em relação ao período homólogo do ano passado, com os principais clubes a gastarem mais do que anteriormente: o Benfica despendeu mais 16,4 milhões com empresários, o FC Porto mais 7,6 milhões e o Sporting mais 9,8.

Entre os 18 emblemas da I Liga masculina, o único que não figura na tabela da FPF é o Portimonense, enquanto o valor mais baixo registado entre os que pagaram valores a empresários pertence ao Nacional, da II Liga, com cinco mil euros.

No escalão secundário, que inclui 18 equipas, entre elas as formações ‘B’ de FC Porto e Benfica, apenas oito clubes (não contando com ‘dragões’ e ‘águias’) pagaram comissões, com 10 emblemas sem qualquer registo no tempo analisado.

O único clube que não se encontra integrado no esquema profissional da Liga portuguesa é o Paio Pires, que gastou mais de seis mil euros em oito jogadoras da equipa feminina, que milita na II Divisão-Sul.

Por outro lado, quase 25 mil euros do valor total foram pagos por quatro jogadores: Mohamed Touré (Desportivo das Aves), Éverson (Portimonense, atualmente emprestado ao Bahia), Brian Araújo (Gil Vicente) e Helinho (AD Fafe).

Um relatório da FIFA relativo ao ano de 2019, que abrange a janela de transferências do verão contempladas na tabela da FPF, mas não o período de inverno, no mês de janeiro, dava conta de um lucro de 454 milhões de euros para clubes portugueses com transações de jogadores.

Continuar a ler

Desporto

Jogador do Famalicão, Pedro Gonçalves, doa material de proteção a hospital e bombeiros

Depois de ter doado um ventilador

em

Foto: DR / Arquivo

O jogador do Famalicão Pedro Gonçalves, da I Liga de futebol, vai oferecer, juntamente com o empresário Jorge Pires, 2.500 máscaras e 50 fatos de proteção ao Hospital de Chaves e Bombeiros de Vidago, após terem doado um ventilador.

O anúncio foi divulgado hoje na página na rede social Facebook de Jorge Pires e a oferta deve-se à “notória falta de material de proteção” nos profissionais de saúde do Hospital de Chaves e dos Bombeiros de Vidago face à pandemia covid-19.

O médio de 21 anos Pedro Gonçalves e o seu empresário Jorge Pires são naturais de Vidago, concelho de Chaves, distrito de Vila Real.

A oferta será de 2.500 máscaras cirúrgicas e ainda de 50 fatos de proteção, que “serão distribuídas por estas duas entidades”.

Na nota é ainda pedido à população de Vidago para que “ajudem os bombeiros nesta fase de extrema necessidade”.

Pedro Gonçalves, juntamente com os seus empresários Jorge Mendes e Jorge Pires, e ainda o jogador do Desportivo de Chaves André Liberal, anunciou em 24 de março a doação de um ventilador para o Hospital de Chaves.

O flaviense representa o Famalicão desde o início da temporada e soma 31 jogos oficiais e seis golos, após duas temporadas na equipa inglesa do Wolverhampton.

Pedro Gonçalves fez formação no Vidago, Desportivo de Chaves e Sporting de Braga, em Portugal, representando durante duas temporadas o Valência, de Espanha.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%).

Dos infetados, 726 estão internados, 230 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Continuar a ler

Desporto

Fernando Gomes reúne-se com presidentes dos 34 clubes profissionais

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e os presidentes da Liga e dos clubes das competições profissionais vão reunir-se hoje, após o encontro da UEFA com as suas filiadas devido à pandemia de covid-19.

Fonte ligada ao processo confirmou à Lusa a realização durante a tarde de hoje deste encontro de Fernando Gomes com os 34 presidentes de clubes da I Liga e da II Liga, para a qual foi convidado o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença.

Esta reunião ocorre no mesmo dia em que a UEFA, que rege o futebol europeu, se reuniu com as 55 federações nacionais, na qual o diretor-executivo Tiago Craveiro foi o representante da FPF, e um dia depois de Gomes ter-se reunido com os representantes das 22 associações distritais e regionais.

Na sexta-feira, a FPF decidiu cancelar as provas dos escalões de formação, que estavam suspensas desde 10 de março, dois dias antes de o organismo regulador do futebol português ter decidido suspender também as competições de seniores.

A FPF optou por concluir “as competições nacionais de todos os escalões de formação de futebol e futsal, masculinas e femininas, não resultando das mesmas qualquer efeito desportivo imediato”, acrescentando que “não serão atribuídos títulos nas referidas competições, nem aplicado o regime de subidas e descidas”.

Os jogos da I Liga e II Liga de futebol estão suspensos, por tempo indeterminado, desde 12 de março.

Após 24 das 34 jornadas, o FC Porto lidera o principal escalão, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica, enquanto o Nacional segue no primeiro lugar da II Liga, com 50 pontos, no mesmo número de jogos, mais dois do que o Farense.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infetou mais de 865 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 165 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 187 mortes e 8.251 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Continuar a ler

Populares