Seguir o O MINHO

Desporto

Velázquez, Alan e Rafa nos convocados do Sporting de Braga

em

O treinador do Sporting de Braga, José Peseiro, convocou, esta sexta-feira, Velázquez, Alan e Rafa para a deslocação de sábado ao terreno do Estoril-Praia, da terceira jornada da I Liga de futebol.

Rafa ficou de fora do último jogo do Sporting de Braga (Rio Ave, 1-1), porque o técnico entendeu que não estavam reunidas as condições necessárias, dada a saída iminente para o Benfica, mas a verdade é que o negócio entrou num impasse e o jogador ainda está em Braga.

Assim sendo, José Peseiro resolveu chamar o internacional português para o jogo com o Estoril-Praia, tal como Alan, o veterano ‘capitão’ dos minhotos.

Estreia na lista de convocados é a do defesa central uruguaio Velázquez, que substitui o lesionado Rosic, que sofreu uma contusão na perna direita e falhou o treino desta sexta-feira.

Luís Aguiar, Ricardo Ferreira e Oti continuam lesionados e fora das opções.

Lista de 20convocados:

– Guarda-redes: Marafona e Matheus.

– Defesas: Baiano, Velázquez, Boly, André Pinto, Djavan, Marcelo Goiano.

– Médios: Bakic, Martínez, Pedro Tiba, Vukcevic, Mauro.

– Avançados: Wilson Eduardo, Rafa, Alan, Hassan, Stojiljkovic, Pedro Santos, Ricardo Horta.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Desporto. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Futebol

António Salvador fala em falta não assinalada no golo do Paços de Ferreira

Lance sobre Galeno que precedeu o golo da vitória do Paços de Ferreira

em

António Salvador, presidente do SC Braga. Foto: O MINHO (Arquivo)

O presidente do SC Braga pediu, este domingo, ao Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que esclareça um lance sobre Galeno que precedeu o golo da vitória do Paços de Ferreira e que não foi sancionado.

O único golo da partida da 14.ª jornada da I Liga surgiu aos 38 minutos, por Douglas Tanque, mas os responsáveis do Braga queixam-se de uma falta sobre Galeno, no início jogada, que não foi assinalada pelo árbitro Fábio Veríssimo, nem pelo VAR.

“Vi o que toda a gente viu. O CA também viu e, a exemplo do que aconteceu na semana passada, quando fez um esclarecimento de um lance num determinado jogo [Belenenses SAD-FC Porto], espero que, nas próximas horas, também venha esclarecer este lance”, afirmou o dirigente após a derrota caseira com os pacenses.

Para António Salvador, a equipa minhota foi “prejudicada” e saiu sem pontos “quando não devia”.

“Depois não se admirem quando vier um estudo a dizer que o campeonato português está na cauda da Europa em tempo útil de jogo. Isso só acontece porque as nossas arbitragens permitem que se faça antijogo, daí o tempo útil insuficiente para as equipas desenvolverem o seu futebol. E depois não se dá o tempo de compensação necessário. Se isso acontecesse talvez estivéssemos melhor na Europa”, disse.

O líder dos arsenalistas frisou manter “uma confiança grande nos jogadores e no treinador”.

“Estamos tristes, mas temos vários desafios pela frente e acredito piamente que vamos alcançar os objetivos. Percebo a tristeza dos adeptos, mas há que ter confiança e dizer-lhes para apoiarem esta equipa. Além da infelicidade, temos estes lances como o de hoje, um dos mais escandalosos deste campeonato, como disse o nosso treinador. Agora é olhar para quarta-feira porque é outro grande objetivo da temporada”, disse sobre o jogo com o Benfica, em Lisboa, para os oitavos de final da Taça de Portugal.

Continuar a ler

Futebol

“O balanço [da I Liga, até agora] é razoável”

Declarações de Ivo Vieira

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações de Ivo Vieira após o jogo entre Gil Vicente e Vitória de Guimarães, para a 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado este domungo,em Barcelos e que terminou empatado 2-2:

– Ivo Vieira (Treinador do Vitória SC): “Num jogo com um relvado fantástico, não existimos na primeira parte. Houve muito mérito do Gil, mas fomos muito passivos. Não tivemos muito tempo para preparar este jogo, mas conhecíamos as dinâmicas ofensivas do Gil. Quisemos jogar muito com o fator estatuto pelo que temos feito, mas é preciso ser-se intenso e ganhar duelos.

O resultado na primeira parte era inteiramente merecido para o Gil Vicente. Na segunda parte, tivemos o Vitória em campo, a tentar ganhar duelos e a querer atacar a baliza adversária. De forma justa, chegámos ao empate. Ficaram 45 minutos.

85% a 90% destes atletas não jogaram em Frankfurt [para a Liga Europa}. Tinham a obrigação de dar uma resposta muito mais intensa. Não basta pensarmos que somos melhores. Houve jogadores que fizeram um jogo fantástico em Frankfurt, mas confiei a responsabilidade nestes. Na primeira parte, não estivemos à altura.

Em termos de motivação, a Liga Europa é completamente diferente de jogar para o campeonato. Esta é a competição fundamental que pode dar, no futuro, uma possível nova entrada na Liga Europa. Mas não consigo trabalhar [os jogadores] ao ‘comando’. Por vezes, o subconsciente pode influenciar a motivação.

Uma equipa faz-se de jogadores que trabalham muito, de tecnicistas, de valia no jogo aéreo. Se se tirar o Mikel [Agu] e o Al Musrati, a nossa equipa é extremamente baixa do meio-campo para a frente. Mas a perder por 2-0, tinha de fazer tudo por tudo e coloquei ali o Pepê para dar mais qualidade ao jogo na construção ofensiva

Eu esperava que pudéssemos ter mais pontos. O balanço [da I Liga, até agora] é razoável. Está num patamar intermédio. Para o que nós podemos fazer, poderíamos ter somado mais”.

Continuar a ler

Futebol

“Continuamos sem perder em casa”

Declarações de Vítor Oliveira

em

Foto: Gil Vicente TV

Declarações de Vítor Oliveira após o jogo entre Gil Vicente e Vitória de Guimarães, para a 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado este domungo,em Barcelos e que terminou empatado 2-2:

– Vítor Oliveira (Treinador do Gil Vicente): “O resultado aceita-se, com algum mau estar, depois de termos estado a ganhar por 2-0, mas é justo. Fomos melhores na primeira parte e o Vitória na segunda. Penso que houve mais mérito na nossa primeira parte do que demérito do Vitória.

Na segunda, houve mérito do Vitória, mas algum demérito nosso. Não soubemos ter bola e ficámos remetidos sistematicamente atrás. Quem faz isso contra uma equipa com a qualidade do Vitória, arrisca-se a isso. Continuamos sem perder em casa, o que é sempre um incentivo para o próximo jogo. Fizemos mais um ponto numa prova de regularidade, mas não estamos contentes com o resultado.

Se pregássemos alguns ‘sustos’ como na primeira parte, o Vitória não se expunha tanto. Dessa forma, eles acreditaram e chegaram ao empate. Mas estamos a falar de duas realidades distintas, em que o Vitória aposta para ir à Europa e nós para a continuidade na I Liga. Podemos lutar contra a realidade durante algum tempo, mas não sempre.

É um golo lindíssimo [o segundo do Gil Vicente], após uma jogada fantástica, que vale a pena rever. Os jogadores envolvidos têm de ficar orgulhosos.

A equipa começou com um rendimento muito irregular, mas estamos a normalizar. Temos carências como todas as equipas. Nos três jogos que faltam na primeira volta, podemos perfeitamente pontuar. Fazendo o balanço, estamos satisfeitos com a pontuação, com a evolução de alguns jogadores e da equipa, mas ainda falta um ADN que nos identifique.

[Sobre a contratação de Rúben Ribeiro] Não temos contado com o Bogdan e precisávamos de um homem com critério nos últimos 30 metros. Conheço bem o Rúben Ribeiro e esperamos que ele nos possa ajudar nessa pecha, principalmente contra equipas mais ‘pequenas’, que jogam mais fechadas e dão menos espaço e tempo para decidir.

A saída de jogadores é sempre uma possibilidade, até porque a questão financeira é um dos problemas do futebol português, mas para já não há indicação de qualquer saída”.

Continuar a ler

Populares