Três jovens do Minho na lista do PS às Europeias

Foto: DR

A lista do PS às eleições europeias, liderada pela ex-ministra da Saúde Marta Temido, inclui três jovens do Minho.

Bruno Gonçalves, de 27 anos, natural de Braga, está no quarto lugar da lista. É secretário-geral dos jovens da Internacional Socialista, mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade do Minho e analista de tecnologias de informação.

Em 12º, surge a presidente da JS Braga e vice-presidente dos Jovens Europeus Socialistas (YES), Inês João Rodrigues.

Natural de Braga, com 27 anos, Inês João Rodrigues coordena o pelouro de relações internacionais na direção da JS, é profissional de saúde e estudante do Ensino Superior.

Em 19.º está Cláudia Gomes Moreira, natural de Valença, e Secretária Nacional da Juventude Socialista para as Autarquias Locais.

É licenciada em Direito e Pós-Graduada em Direitos Humanos. Tem um longo percurso na JS, tendo exercido vários cargos locais, distritais e nacionais dentro da estrutura. Atualmente, é Secretária Nacional para as Autarquias Locais e cumpre o segundo mandato como Presidente de Federação.

“Europeísta convicta, tem sido presença assídua em vários fóruns internacionais, em representação da JS, e uma forte defensora, no panorama nacional, do reforço dos instrumentos de cooperação transfronteiriça”, refere a JS do Alto Minho, salientando que “a sua presença na lista é um sinal claro do empenho da JS e do PS em promover uma política inclusiva e participativa, que represente verdadeiramente os anseios e necessidades dos jovens”.

“A JS Alto Minho congratula-se com esta integração e reafirma o seu compromisso em continuar a trabalhar em prol da juventude”, refere comunicado enviado a O MINHO.

Nas últimas eleições, de 2019, o PS conquistou nove lugares no Parlamento Europeu.

Renovação

A lista do PS às eleições europeias, encabeçada pela ex-ministra Marta Temido, é de total renovação, tendo sido aprovada, na noite de segunda-feira, pela Comissão Política Nacional com 76% dos votos a favor, adiantou à Lusa fonte oficial.

Isabel Estrada Carvalhais, de Braga, atual eurodeputada, ficou fora da lista.

A reunião da Comissão Política Nacional do PS, que decorreu no Largo do Rato, aprovou as escolhas do líder do PS, Pedro Nuno Santos, para as eleições europeias de 09 de junho, lista da qual não consta qualquer nome que seja atualmente eurodeputado.

De acordo com os números disponibilizados pelo partido, votaram 41 votos a favor, nove contra e quatro abstenções.

Marta Temido, atual deputada e ex-ministra da Saúde em três governos de António Costa, lidera esta lista, seguida por Francisco Assis, atualmente deputado do PS e ex-presidente do Conselho Económico e Social, e por Ana Catarina Mendes, também deputada e ex-ministra.

Segue-se Bruno Gonçalves, de Braga, e André Rodrigues, deputado do PS na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Em sexto surge Carla Tavares, presidente da Câmara da Amadora e presidente do Conselho Metropolitano de Lisboa, seguida de Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão e da Associação Nacional de Autarcas do PS.

Sérgio Gonçalves, deputado do PS na Assembleia Legislativa da Madeira e antigo presidente do PS/Madeira, aparece em oitavo lugar e em nono – atualmente o PS tem nove eurodeputados – está Miguel Lemos, atualmente presidente do Conselho de Administração das Águas de Gaia.

A lista de 21 nomes é fechada por João Soares, que já foi ministro, presidente da Câmara de Lisboa e deputado.

Em décimo e 11.º lugares estão os ex-deputados Joana Sá Pereira e Pedro do Carmo.

Segue-se a presidente da JS Braga, Inês João Rodrigues, o presidente do Instituto Politécnico de Coimbra, Jorge Manuel Santos Conde, a ex-deputada Lúcia Silva e o deputado municipal do Entroncamento Mário Balsa.

Inês Pinto, uma jovem mestre em Direito da União Europeia, Francisco Themudo, atual técnico superior na Movijovem, Margarida Cardoso, coordenadora da strutura das Mulheres Socialistas de Seia, Cláudia Gomes Moreira, Secretária Nacional da Juventude Socialista para as Autarquias Locais, e Hélio Fazendeiro, líder da bancada do PS da Assembleia Municipal da Covilhã, fecham as escolhas do PS às europeias.

Depois de integrar três executivos de António Costa, Marta Temido apresentou a demissão do cargo de ministra da Saúde em 30 de agosto de 2022 por entender que deixou de ter condições para exercer o mandato.

Após deixar as suas funções governativas, assumiu o seu mandato como deputada, lugar para o qual foi reeleita nas últimas eleições legislativas e que ocupa neste momento.

Na altura da saída, António Costa agradeceu “todo o trabalho desenvolvido” por Marta Temido, “muito em especial no período excecional do combate à pandemia da covid-19”.

Marta Temido iniciou funções como ministra da Saúde em outubro de 2018, sucedendo a Adalberto Campos Fernandes.

Doutorada em Saúde Internacional pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, mestre em Gestão e Economia da Saúde, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, a socialista é licenciada em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Foi subdiretora do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa e presidente do conselho diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde, assim como membro do conselho de administração de vários hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

Nas últimas europeias, em 2019, o PS ganhou com cerca de 33% dos votos e elegeu nove eurodeputados, tendo apresentado como cabeça de lista o ex-ministro Pedro Marques.

Com Lusa

Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Jovens meteorologistas de Ponte de Lima ganham prémio nacional de inovação

Próximo Artigo

Sabe o que é “Xoxegar a nádiga”? Nesta aldeia do Alto Minho fala-se um dialeto próprio, com orgulho

Artigos Relacionados
x