Seguir o O MINHO

Futebol

Três jogadores infetados no Vitória SC recuperam e voltam aos treinos

Covid-19

em

Sacko é um dos recuperados. Foto: DR / Arquivo

Os defesas Sacko, Abdul Mumin e Gideon Mensah recuperaram da infeção pelo novo coronavírus e regressaram hoje aos treinos do Vitória SC, confirmou à Lusa fonte oficial do clube da I Liga portuguesa de futebol.


Os três jogadores vitorianos apresentaram resultados positivos nos testes realizados a meio do mês, dois deles após idas às respetivas seleções nacionais: Sacko representou o Mali e Gideon Mensah o Gana, com ambos os jogadores a defrontarem-se num encontro particular que os malianos venceram por 3-0, em 09 de outubro.

Já a infeção do também ganês Abdul Mumin, futebolista que atua no eixo da defesa, foi confirmada pelo emblema minhoto em 18 de outubro.

Após ter falhado a visita ao Boavista, para a quarta jornada (triunfo por 1-0), e a receção ao Sporting de Braga (derrota por 1-0), o trio vimaranense está, à partida, apto para defrontar o Gil Vicente, na sexta ronda, em jogo agendado para as 17:30 de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos.

Também o presidente do Vitória SC, Miguel Pinto Lisboa, recuperou da infeção pelo novo coronavírus, confirmada pelo emblema de Guimarães em 14 de outubro.

Os vitorianos disseram então que o dirigente, de 49 anos, estava “assintomático e em isolamento”, tendo cumprido o “estabelecido no plano de contingência” do clube.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.371 pessoas dos 124.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Anúncio

Futebol

Vitória SC é dos clubes “mais prejudicados” pela ausência de adeptos

Considera o presidente do clube, Miguel Pinto Lisboa

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente do Vitória SC, Miguel Pinto Lisboa, frisou hoje que o clube é dos “mais prejudicados” na I Liga portuguesa de futebol pela ausência de adeptos nos estádios, devido à pandemia de covid-19.

“Um clube como o Vitória, que é dos que têm maior assistência [habitualmente o quarto maior número] e maior relação com os adeptos, será dos principais prejudicados pela ausência de adeptos no estádio”, disse Pinto Lisboa, à margem da apresentação de uma parceria com instituições de solidariedade social de Guimarães, no Estádio D. Afonso Henriques.

Para o dirigente, o emblema minhoto tem sido alvo de um “tratamento idêntico” ao dos outros clubes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional durante a pandemia, mas o “futebol enquanto fenómeno” tem sido “discriminado negativamente” face a “outras atividades”.

Miguel Pinto Lisboa defendeu que o regresso do público aos estádios deve ser ponderado, mas não agora, face à “situação epidemiológica complicada” – Guimarães é o quarto concelho do país com maior incidência relativa ao novo coronavírus, com 2.343 contágios por 100 mil habitantes, segundo a atualização de segunda-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Não é o momento para discutirmos se os jogos devem ter público ou não. Logo que possível, deve-se analisar a situação do público, não só pela componente financeira, que é importante, mas também pela emocional, ligada à relação entre clube e associados, que é decisiva”, explicou.

Nos próximos três desafios da I Liga, frente a Tondela, na sexta-feira, para a oitava jornada, Portimonense e Santa Clara, a equipa de Guimarães vai promover três instituições de solidariedade social da cidade na parte frontal das camisolas: a Cercigui, a Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães e a Casa da Criança, respetivamente.

No âmbito da parceria, as camisolas utilizadas pelos jogadores serão leiloadas, com os proveitos a reverterem para essas entidades.

Miguel Pinto Lisboa realçou que o projeto Vitória Solidário é uma forma de “retribuir” o que a “sociedade vimaranense dá ao clube”, tendo prometido outras iniciativas desse cariz durante a quadra natalícia.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga acredita que pode vencer Leicester

Liga Europa

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O treinador Carlos Carvalhal garantiu hoje que o SC Braga acredita poder vencer os ingleses do Leicester, na quinta-feira, em casa, na quarta jornada do Grupo G da Liga Europa de futebol.

Na última ronda da Liga Europa, há cerca de três semanas, os bracarenses saíram goleados de Inglaterra (4-0), o que não foi nenhuma “tragédia”, perante uma equipa que, “há uma semana, estava em primeiro lugar da ‘Premier League’”, frisou o técnico, em conferência de imprensa.

“Não espero um jogo diferente, vai ter as mesmas características, mas espero que possamos ter aprendido com os erros e potenciar as coisas que fizemos bem lá. Já analisámos o jogo profundamente e creio que vamos dar uma resposta boa, porque vamos estar mais bem preparados”, disse.

Considerando que SC Braga e Leicester “têm dinâmicas muito idênticas”, Carlos Carvalhal reforçou a vontade de ganhar: “Temos 100% de respeito, 0% de receio”.

“Temos confiança total. Sabemos que, se vencermos, será um feito grande, ainda há uma semana o Leicester estava em primeiro no campeonato inglês, mas estamos apostados em deixar uma marca no clube e, para isso, temos que abordar este jogo de foram positiva, acreditamos que podemos vencer”, reforçou.

Nas últimas duas semanas, e depois de um ciclo intenso de sete jogos em 23 dias, o SC Braga só jogou por uma vez, com o Trofense, do Campeonato de Portugal, num jogo que garantiu a passagem à fase seguinte da Taça de Portugal, e Carlos Carvalhal considera que esse foi um bom teste.

“Seria mau se não tivéssemos competido [antes de jogar com o Leicester], mas o jogo do Leicester com o Liverpool [da última jornada do campeonato inglês] não foi mais intenso do que o nosso com o Trofense. Houve jogadores que bateram o seu recorde de intensidade, houve um que, ao intervalo, já tinha corrido mais do que em 90 minutos de campeonato. Foi muito disputado e intenso e ainda bem, estamos mais preparados para este jogo”, disse.

O técnico lembrou que tem um “plantel muito curto” e que as lesões dos esquerdinos Gaitán e Moura o tornaram “ainda mais curto”.

“Isso dificulta gerir esta campanha toda, mas tenho 23 ou 24 titulares, não tenho jogadores de segundo plano no meu plantel”, disse.

O treinador fez questão de referir, já depois da última pergunta, que os jovens Hernâni e Berna (estreia absoluta do médio dos sub-23) estão convocados para o jogo de quinta-feira.

David Carmo, castigado, Rui Fonte, Gaitán e Moura, lesionados, ficam de fora.

Já Castro prometeu um SC Braga “igual a si mesmo, uma equipa que quer ter a bola, criar, oportunidades e ganhar o jogo”.

Para o experiente médio, de 32 anos, os minhotos também fizeram “muitas coisas boas” no jogo em Inglaterra, “principalmente na primeira parte, em que o jogo esteve dividido”, considerando, ainda assim, ter sido “o pior jogo” do SC Braga esta época.

“Houve coisas menos boas que já foram analisadas, mas vamos focar-nos no que de bom temos feito esta época. Foi o nosso pior jogo da época, perdemos por um número elevado de golos, mas não é isso que nos tira a confiança. Temos feito um bom campeonato e uma boa Liga Europa e vamos tentar ganhar amanhã [quinta-feira] para ficar já com nove pontos”, disse.

SC Braga, segundo classificado do grupo G, com seis pontos, e Leicester, primeiro, com nove, defrontam-se a partir das 17:55 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, em jogo que será arbitrado pelo italiano Daniele Orsato.

Continuar a ler

Futebol

Cristiano Ronaldo é o único português nomeado para os prémios ‘The Best’

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

O avançado Cristiano Ronaldo, da Juventus, é o único português nomeado para os prémios ‘The Best’, inserido na lista de 11 candidatos na categoria de melhor futebolista de 2020, divulgada hoje pela FIFA.

Ronaldo reparte a nomeação com Thiago Alcântara (Bayern Munique/Liverpool), Kevin De Bruyne (Manchester City), Robert Lewandowski (Bayern Munique), Sadio Mané, Mohamed Salah e Virgil van Dijk (todos do Liverpool), Kylian Mbappé e Neymar (ambos do Paris Saint-Germain), Lionel Messi (FC Barcelona) e Sergio Ramos (Real Madrid).

Para o prémio de melhor guarda-redes estão nomeados Alisson Becker (Liverpool), Thibaut Courtois (Real Madrid), Keylor Navas (Paris Saint-Germain), Manuel Neuer (Bayern Munique), Jan Oblak (Atlético de Madrid) e Marc-André ter Stegen (FC Barcelona).

O galardão para distinguir o melhor treinador será decidido entre os candidatos Hans-Dieter Flick (Bayern Munique) – que conquistou a Liga dos Campeões -, Julen Lopetegui (Sevilha) – vencedor da Liga Europa -, Marcelo Bielsa (Leeds United), Jürgen Klopp (Liverpool) e Zinédine Zidane (Real Madrid).

A cerimónia de entrega dos prémios ‘The Best’, que esteve inicialmente marcada para setembro, mas foi adiada devido à pandemia de covid-19, vai realizar-se em 17 de dezembro, num evento exclusivamente virtual, anunciou hoje a FIFA.

As 11 categorias dos prémios ‘The Best’, masculinos e femininos, serão eleitos por ‘capitães’ e treinadores de todas as seleções mundiais, adeptos e representantes de órgãos de comunicação social de todo o mundo.

A votação decorrerá entre hoje e 09 de dezembro.

O argentino Lionel Messi e a norte-americana Megan Rapinoe foram galardoados em 2019 como os melhores jogadores do mundo, enquanto o alemão Jurgen Klopp e a inglesa Jill Ellis foram eleitos os melhores treinadores.

Messi arrecadou o sexto troféu de melhor futebolista do mundo (2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019), ‘descolando’ do português Cristiano Ronaldo, que soma cinco (2008, 2013, 2015, 2016 e 2016/17) e que no ano passado terminou a votação em terceiro lugar, atrás do argentino e do holandês Virgil van Dijk.

Continuar a ler

Populares