Seguir o O MINHO

Guimarães

‘Tony do Penha’ auxiliado por criador de cavalos no homicídio de eletricista em Guimarães

Detidos esta terça-feira pela PJ

em

'Tony do Penha'. Foto: DR

António Silva, o “Tony do Penha”, um conhecido empresário da noite, foi auxiliado por um criador de cavalos de Guimarães, com o apelido Salgado, para sequestrar e assassinar Fernando Ferreira (“Conde”), em Guimarães, segundo primeiras informações recolhidas por O MINHO.

O antigo dono da discoteca “Penha Club” (com a qual já nada tinha a ver), em Guimarães, estava convencido que a vítima, conhecida por “Conde”, teria furtado cerca de 100 mil euros, aquando de um trabalho de eletricidade que realizou na sua residência, situada na freguesia de Sande São Clemente, no concelho de Guimarães, perto de Caldas das Taipas.

Salgado, de 40 anos, criador de cavalos e cortador de carnes verdes, é suspeito de ter sido quem ajudou António Silva (“Tony do Penha”), de 70 anos, a sequestrar Fernando Ferreira (“Conde”), na esperança que este seu amigo de longa data revelasse onde teria escondido esse dinheiro, que “Tony do Penha” estava convencidíssimo ter sido furtado por “Conde”, suspeita que afinal nunca viria a ser conformada pelas autoridades policiais.

Perante a frustração do plano inicial, que já tinha sido gizado desde dezembro de 2019, a ocasião em que “Tony do Penha” terá começado a procurar um cúmplice para tais crimes, a situação acabaria por se descontrolar, tendo o eletricista falecido em consequência das bárbaras agressões e depois lançado para o Rio Ave, onde foi encontrado duas semanas depois do seu desaparecimento, já no Parque de Lazer da freguesia de Barco (Guimarães).

Detidos suspeitos de homicídio de eletricista em Guimarães

Fernando “Conde” saiu de casa a 08 de janeiro de 2020, ao volante do seu Volvo C30, em Creixomil, Guimarães, dizendo aos familiares que iria fazer mais um trabalho para “Tony do Penha”, mas nunca mais foi visto, sendo que uma semana depois o empresário da noite “Tony do Penha” tentou suicidar-se, começando por ser inquirido, como testemunha, pela Secção Regional de Combate ao Terrorismo e a Banditismo, da Diretoria do Norte da PJ.

Populares