Seguir o O MINHO

Guimarães

Detidos suspeitos de homicídio de eletricista em Guimarães

Crime

em

Foto: DR

A Polícia Judiciária deteve esta terça-feira dois suspeitos do sequestro e homicídio do empresário Fernando Conde, o eletricista de Guimarães, que esteve desaparecido durante duas semanas, algures em Caldas das Taipas e Brito, em Guimarães, tendo o seu cadáver sido em janeiro de 2020, no Rio Ave.

Um dos detidos é um conhecido empresário da noite da região do Vale do Ave, tido como amigo de Fernando Conde, “Tony do Penha”, que teria atuado motivado por um caso de ajuste de contas, tendo sido supostamente atraído por uma elevada quantia em dinheiro, que estaria na posse da vítima.

O MINHO inicialmente avançou que seriam quatro detidos, mas dois foram apenas alvo de buscas e não foram detidos.

Entretanto, em comunicado, a PJ refere que, através da Diretoria do Norte, “após aturada investigação, identificou e deteve, no dia de hoje, dois homens pela presumível prática dos crimes de homicídio e furto qualificado”.

A polícia especifica que os factos em investigação reportam ao dia 08 de janeiro de 2020, quando a vítima foi atraída às imediações da praia fluvial de Briteiros, nas Caldas das Taipas, onde foi agredida e atirada ao Rio Ave, vindo o seu corpo a ser detetado, no dia 22 de janeiro, passados 14 dias, no canal fluvial do Parque da Ínsua, em S. Cláudio de Barco – Guimarães.

Subjacente à pratica deste crime estão suspeitas do envolvimento da vítima num crime de alegado furto em residência, ocorrido em meados de dezembro de 2019, de que um dos presumíveis autores teria sido ofendido.

Os detidos, com idades de 40 e 70 anos, sendo um cortador de carnes e o outro reformado, este último, o referido Tony do Penha, com antecedentes criminais pelos crimes de ofensas à integridade física e fraude fiscal, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

As buscas e as detenções decorreram já sob a supervisão do juiz de instrução criminal de Guimarães, Pedro Miguel Vieira, tendo a operação decorrido a cargo de operacionais da Secção Regional de Combate ao Terrorismo e Banditismo, uma subunidade da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, que é especializada neste tipo de criminalidade altamente violenta, sendo dirigida pelo coordenador de investigação criminal Manuel Santos.

Notícia atualizada às 14:55 com comunicado da PJ.

Populares