Seguir o O MINHO

Guimarães

Septuagenário atropelado com gravidade em Guimarães

Na Vila das Taipas.

em

Um homem de 70 anos sofreu ferimentos considerados graves, esta segunda-feira de manhã, na rua da Quintã, na vila das Taipas, concelho de Guimarães, na sequência de um atropelamento.


Ao que O MINHO apurou, a vítima, residente em Sande São Lourenço, ia a atravessar a rua, quando foi colhido por uma viatura ligeira de mercadorias.

O alerta foi dado às 07:21 e no local estiveram os Bombeiros Voluntários das Taipas, com três operacionais, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Guimarães e a GNR das Taipas, que tomou conta da ocorrência.

Devido à gravidade dos ferimentos, o septuagenário foi transportado para o Hospital de Braga.

Anúncio

Ave

Guimarães isenta pagamento de taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães deliberou a isenção de pagamento das taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal até ao final do ano, anunciou hoje a autarquia.

A medida visa apoiar os comerciantes, na retoma da sua economia em época de contingência no âmbito da prevenção à pandemia covid-19.

Em comunicado, a autarquia afirma que, segundo as estatísticas oficiais disponíveis na presente data, o surto epidémico aparenta estar controlado, mas a pandemia provocou uma disrupção do tecido económico e do emprego cujos efeitos apenas agora se começam a sentir em toda a sua amplitude.

Portanto, considera a câmara, tonar-se indispensável que tais medidas se prolonguem no tempo, como forma de mitigar as dificuldades atualmente sentidas pelas famílias e pelas empresas radicadas no Município.

No Mercado Municipal e na Feira Retalhista de Guimarães existe um plano de contingência que obriga a limitação de acessos de clientes, de distanciamento, de comerciantes, de espaços de venda, pelo que o município entende ser necessário apoiar estes comerciantes, na retoma da sua economia.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães assinala Festas Gualterianas com programa simbólico

Covid-19

em

Imagem de Arquivo

Guimarães vai assinalar, de forma simbólica, as Festas da Cidade e Gualterianas, de 31 de julho a 03 de agosto, com iluminação ornamental em monumentos icónicos da cidade, exposições no espaço público e alguma animação itinerante, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a câmara sublinha que, devido à pandemia de covid-19, não haverá espaço de diversões nem a habitual Marcha Gualteriana, para evitar aglomeração de pessoas.

“Tudo será feito de acordo com as indicações das autoridades de saúde e da proteção civil”, referiu o presidente da câmara.

Domingos Bragança adiantou ainda que está a ser equacionada a retirada do trânsito da zona classificada do Centro Histórico, Alameda de S. Dâmaso Norte (norte), Toural (norte) e Rua de Santo António, no sentido de permitir maior dispersão de pessoas e um maior usufruto da cidade.

A medida facilitará ainda a visita à exposição da Casa da Marcha (Jardim do Alameda) ou à exposição “A Muralha” (Largo do Toural).

A retirada do trânsito será concertada com a Associação do Comércio Tradicional de Guimarães (ACTG) e a Associação Vimaranense de Hotelaria (AVH).

“Este é um ano singular devido à situação de pandemia que estamos a viver, mas não quisemos uma rutura com as Festas da Cidade e Gualterianas. Teremos um programa para marcar a celebração, muito na dimensão simbólica. Pretendemos ainda a envolvência dos nossos artistas culturais, mas apelamos à compreensão de todos os vimaranenses do estado de alerta da pandemia”, salientou Domingos Bragança, citado no comunicado.

O autarca ressalvou que o programa definido pode sofrer alterações a qualquer momento, no âmbito da evolução da situação epidemiológica da covid-19.

A Casa da Marcha está a preparar uma exposição, que poderá ser apreciada no Jardim da Alameda, com algumas das peças trabalhadas pelos obreiros, ao longo dos últimos anos.

Entre 31 de julho e 03 de agosto, está previsto ainda a passagem do carro alegórico alusivo ao centenário de Amália e ao Fado, por algumas artérias da cidade.

Numa parceria com a Associação “A Muralha”, estará patente no Largo do Toural uma exposição de fotografias com os cartazes da história das Festas Gualterianas.

“Este programa foi pensado no sentido de trazer maior expressão ao espaço público e valorizar a memória destas festas através de momentos de reflexão”, explicou a vereadora da Cultura, Adelina Pinto.

Está confirmada a iluminação ornamental em vários monumentos como a Igreja de S. Francisco, Igreja de S. Gualter, Castelo de Guimarães ou a muralha da Torre da Alfândega, além da artéria da Alameda e do Toural.

A Câmara, entretanto, está a recolher propostas culturais para ajustar ao modelo das Festas Gualterianas que se adequem à situação atual, “promovendo uma reaproximação segura e confiante entre criadores, público e comunidade”.

Serão valorizados os projetos que se alinhem com o cariz tradicional das festas, o caráter inovador que a proposta possa introduzir e a sua adequação às normas da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal contabiliza pelo menos 1.629 mortos associados à covid-19 em 44.416 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

Continuar a ler

Ave

Guimarães apresenta Bairro C para pensar a cidade através da arte

Urbanismo

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

O “Bairro C” é um projeto da Câmara de Guimarães que pretende reinterpretar o território abrangido pela Zona de Couros, Teatro Jordão, Rua da Caldeiroa e Percursos pedonais adjacentes até à Casa da Memória e Centro Internacional das Artes José de Guimarães, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a câmara adianta que neste momento estão em curso intervenções de arte urbana na Rua da Ramada, com destaque para o graffiti no muro entre o Instituto de Design de Guimarães e o Centro de Ciência Viva, estando previstas intervenções artística na Rua da Liberdade e Avenida Conde de Margaride, até ao final do ano.

O Bairro C é um projeto estruturante, a três anos, alinhado com a estratégia de desenvolvimento do território e com estratégia cultural, perante a visão de futuro sobre a cidade. “Estabelecemos várias ligações, com um pensamento comum sobre o território que se quer diferenciador”, apontou a vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, na sessão de apresentação que decorreu esta segunda-feira, no Instituto de Design. “Existe uma forma diferente de olhar para a cidade e torná-la atrativa, através de um cruzamento de conceitos que permitem a valorização destes espaços menos visíveis e, assim, colocar no centro das nossas preocupações”, acrescentou, citada em nota de imprensa.

Segundo o Vereador do Urbanismo, Fernando Seara de Sá, trata-se de uma “operação transversal” sendo comum a áreas do urbanismo e cultura enquanto desenvolvimento da cidade. “Temos de olhar cada vez mais para o desenvolvimento da cidade em função do imaterial e dos usos”, referiu, “acrescentando valores como a cultura, educação, arte e conhecimento” com o objetivo de “fazer acontecer coisas numa cidade invisível”, salientou Fernando Sá.

Do programa sobressaem as conferências onde serão discutidos temas sobre a Cidade e a Arte Pública. Este ciclo de conferências abre já na próxima sexta-feira, às 18:00, com a conferência “Visão de Cidade C (Sê) Guimarães – Uma visão de Futuro”, com intervenção de António Cunha e Ivo Oliveira (Universidade do Minho). “Importância da Arte Pública – “Curar a Cidade – Riscos e Oportunidades para Palcos e Galerias” é tema de outra conferência, a realizar no dia 12 de julho, às 18:00, no Terrado do Mercado Municipal, com intervenção de Edgar Pêra e João Carvalho.

Entre um leque de convidados conceituados no âmbito da arquitetura, design ou fotografia, o destaque vai para a Conferência Internacional sobre as artes de passeio em Guimarães, a decorrer entre os dias 22 e 24 de julho – Driting Bodies / Fluent Spaces – com a participação de Francesco Careri, Karen O’Rourke e Duarte Belo.

Destaca-se a potencialidade do projeto para sensibilizar a população sobre a importância histórica do património industrial e natural na área de intervenção, a participação cidadã na definição das políticas públicas do modelo de cidade preconizado.

No decurso deste projeto, serão ativados percursos através de instalação de Arte Pública e de programação paralela.

Continuar a ler

Populares