Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga segue em frente na Taça

Vitória na casa do Leça

em

O SC Braga, da I Liga, venceu hoje o Leça, do Campeonato de Portugal, por 3-1, em encontro da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, que os ‘arsenalistas’ resolveram com facilidade.

No Estádio do Leça FC, um ‘bis’ do avançado Wilson Eduardo, aos 24 e 54 minutos, e um golo de Ricardo Horta, aos 42, deram ‘cor’ à superioridade do 11.º classificado do escalão máximo, que não perde há sete jogos seguidos para todas as competições e nunca foi eliminado neste patamar da prova ‘rainha’ do futebol português.

Já o segundo colocado da Série B do terceiro escalão nacional, que reduziu por Adilson Silva, aos 85, despede-se da Taça de Portugal com o melhor registo da década na prova, ainda que sem ter vencido qualquer partida no tempo regulamentar: foi repescado após a derrota inicial em Gondomar (3-1) e afastou a Oliveirense na ronda anterior (4-3 no desempate por grandes penalidades).

A cinco dias de medir forças com os turcos do Besiktas, na terceira jornada do Grupo K da Liga Europa, Ricardo Sá Pinto promoveu uma ‘revolução’ no ‘onze’, mantendo Bruno Viana e Ricardo Horta face ao triunfo caseiro sobre o Marítimo (2-1), da Taça da Liga.

A jogar contra o vento na etapa inicial, o Braga revelou dificuldades para lidar com um Leça aguerrido, que se mostrou atrevido aos 17 minutos, num remate de fora da área de João Van Zeller, travado por Eduardo.

Sem forçar muito, os vencedores da Taça de Portugal em 1965/66 e 2015/16 responderam à lei da eficácia, desbloqueando o marcador aos 24, por intermédio de Wilson Eduardo, concluindo de cabeça um cruzamento de Francisco Trincão na direita.

O tento destabilizou os leceiros, que revelavam pouco discernimento na hora do remate e sucumbiram perante o contra-ataque bracarense: depois de Gustavo ter negado novo golo a Wilson (38), Rui Fonte serviu Ricardo Horta para duplicar a contagem (42).

Após o intervalo, o desafio perdeu vivacidade e os minhotos voltaram à carga, com Trincão a desmarcar Rui Fonte, que deixou a bola para o capitão Wilson ‘bisar’, aos 54, aniquilando de vez as esperanças dos matosinhenses, que tiveram nos pés de Zé Carlos (60 e 79) e João Paulino (84) oportunidades para reduzir a diferença.

A cinco minutos do fim, o espírito guerreiro do Leça foi premiado com o golo de honra, da autoria do recém-entrado Adilson Silva, que apareceu na cara de Eduardo e picou a bola por cima do guarda-redes forasteiro.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Leça FC, em Leça da Palmeira.

Leça – Sporting de Braga, 1-3.

Ao intervalo: 0-2.

Marcadores:

0-1, Wilson Eduardo, 24 minutos.

0-2, Ricardo Horta, 42.

0-3, Wilson Eduardo, 54.

1-3, Adilson Silva, 85.

Equipas:

– Leça: Gustavo Galil, Zé Carlos, Pecks, Cláudio Borges, Paulo Lopes, Nelsinho, Samuel Teles, Bruno Simões (João Paulo, 52), João Van Zeller (João Paulino, 57), Vieira (Adilson Silva, 69) e Pedro Prazeres.

(Suplentes: Cristiano, Manuel Lopes, Adilson Silva, João Paulino, Jair, João Paulo e Max Lapushenko).

Treinador: Domingos Barros.

– SC Braga: Eduardo, Diogo Viana, Bruno Viana, Wallace, Cajú, Uche Agbo, Claudemir, Francisco Trincão, Ricardo Horta (Murilo, 67), Rui Fonte (André Horta, 81) e Wilson Eduardo (Paulinho, 67).

(Suplentes: Tiago Sá, André Horta, Murilo, Paulinho, Ricardo Esgaio, João Palhinha e Wenderson Galeno).

Treinador: Ricardo Sá Pinto.

Árbitro: João Bento (AF Santarém).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Bruno Simões (26) e Paulo Lopes (64).

Assistência: cerca de 2.500 espetadores.

Anúncio

Futebol

Vitória procura manter-se na perseguição ao rival minhoto

17.ª jornada da I Liga

em

Foto: Twitter

O Vitória SC procura, este sábado, na receção ao Santa Clara, manter-se na perseguição ao Sporting de Braga, quinto classificado da I Liga portuguesa de futebol, em jogo da 17.ª jornada.

Na ronda que encerra a primeira volta do campeonato, o Vitória, sexto colocado da prova, com 22 pontos, recebe a formação açoriana, 13.ª com 17, a partir das 15:30.

Em caso de triunfo, os vimaranenses repõem a diferença de dois pontos para os rivais minhotos, agora com 27, depois de na sexta-feira terem batido o FC Porto, por 2-1, no Estádio do Dragão.

À mesma hora, a Vila das Aves será o palco do embate entre os dois últimos, Desportivo das Aves e Portimonense, equipas que não vencem há três e quatro jogos, respetivamente.

Em caso de triunfo, os algarvios, com 14 pontos, deixam, provisoriamente, a zona de despromoção, algo que os avenses, com apenas seis, não podem almejar.

Nos outros dois jogos do dia, o Tondela recebe o Moreirense, a partir das 18:00, enquanto o Belenenses SAD será anfitrião do Vitória de Setúbal, numa partida que marca a estreia de Petit no comando técnico dos lisboetas.

Na sexta-feira, o Benfica reforçou a liderança da I Liga, ao vencer por 2-0 o dérbi com o Sporting, tendo agora sete pontos de vantagem sobre o FC Porto, que perdeu na receção ao SC Braga, por 2-1.

Programa da 17.ª jornada:

– Sexta-feira, 17 janeiro:

FC Porto – SC Braga, 1-2.

Sporting – Benfica, 0-2.

– Sábado, 18 janeiro:

Desportivo das Aves – Portimonense, 15:30.

Vitória SC – Santa Clara, 15:30.

Tondela – Moreirense, 18:00.

Belenenses SAD – Vitória de Setúbal, 20:30.

– Domingo, 19 janeiro:

Paços de Ferreira – Gil Vicente, 15:00.

Famalicão – Marítimo, 17:30.

Rio Ave – Boavista, 20:00.

Continuar a ler

Futebol

Bis de Rafa (Benfica) deixa Braga a dois pontos do Sporting

I Liga

em

Foto: DR

Dois golos de Rafa garantiram, esta sexta-feira, a vitória do Benfica no terreno do Sporting, por 2-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com os ‘encarnados’ a aumentarem a vantagem na liderança do campeonato.

O internacional português, que tinha entrado em campo no decorrer da segunda parte, marcou o primeiro golo do jogo aos 80 minutos e aumentou a vantagem aos 90+9, garantindo os três pontos para o Benfica, que termina a primeira volta com 19 pontos de vantagem sobre o Sporting.

O Benfica, que somou a 14.ª vitória consecutiva na prova, lidera o campeonato com 48 pontos, aumentando para sete a vantagem sobre o FC Porto, que perdeu hoje com o SC Braga, enquanto o Sporting mantém o quarto lugar, com 29 pontos, mais dois que os bracarenses.

Continuar a ler

Futebol

“Foi um resultado histórico, mas não é mais importante que o jogo com o Moreirense”

Braga vence no Dragão 15 anos depois

em

Imavem via PressNet

Declarações no final do encontro FC Porto-SC Braga (1-2), da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol:

Rúben Amorim (treinador do SC Braga): “Entrámos com a nossa forma de ser, sabíamos que o FC Porto era muito forte. O mais importante foi que os jogadores perceberam quando tinham de pressionar na frente, quando tinham de baixar. Perceberem esses momentos em tão pouco tempo de treino, revela muita qualidade e muita inteligência dos nossos jogadores.

A equipa teve a ‘estrelinha’, eu tive a ‘estrelinha’. Jogou bem, mereceu vencer, adaptou-se muito bem a todas as situações, mas, depois, é preciso a ‘estrelinha’. Felizmente, tivemos nos dois penáltis. Foi um dia bom e uma vitória muito importante.

Não está a nascer um novo paradigma. Não nos estamos a desviar da nossa forma de ser consoante as equipas. Agora, os jogadores têm de entender que são três vitórias.

Depois, temos o Moreirense. E se correr mal? O que eles têm de ter na cabeça é que se corre mal, volta tudo ao mesmo patamar. O futebol hoje é verdade, amanhã é mentira. Sim, foi um resultado histórico, mas não é mais importante do que o Moreirense, porque se não ganharmos ao Moreirense, volta tudo à estava zero.

Todos os adeptos do Braga têm de estar felizes.

Eu sei que é histórico e sou o primeiro a estar feliz. Mas não é uma prenda. O Braga já teve outros jogos importantes. É levar isto com naturalidade”.

– Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “O primeiro lance em que o Braga chega à baliza foi num canto, que surgiu do nada, e faz o golo. Até aos 20 minutos, demorámos a encaixar o espaço e a condicionar o Braga, depois disso conseguimos fazê-lo. Merecíamos ir para o intervalo com outro resultado.

Na segunda parte, entrámos muito fortes. Até aos 75 minutos, penso que fomos o melhor FC Porto deste ano aqui no Dragão. Muito intenso. Conseguimos fazer o golo do empate e, noutro canto, o Braga castigou-nos mais uma vez.

Assumo na totalidade a responsabilidade desta derrota. O futebol é isso, foi um jogo muito ingrato, infeliz da nossa parte e muita ‘estrelinha’ para o Braga.

Cada jogo que passa, e perdendo pontos, começa naturalmente a ser mais difícil de chegar ao título. Acabou a primeira volta, ainda há muito para jogar, estão muitos pontos em disputa, e tenho um grupo que me faz acreditar que é possível. Ninguém atira a toalha ao chão.

Estamos desiludidos, tristes. Se calhar, igual ao que estavam nas bancadas. Mas, isto é futebol e amanhã estamos a treinar novamente.

Quando as coisas correm bem, toda a gente é amigo, toda a gente aplaude. Os adeptos querem resultados, vitórias, querem ganhar, como nós”.

Continuar a ler

Populares