Seguir o O MINHO

Braga

Projeto para “empoderar estudantes ciganos” em conferência na UMinho

Projeto RISE

em

Foto: Divulgação

O Instituto de Educação da Universidade do Minho, em Braga, recebe esta terça-feira a “Conferência RISE”, que visa divulgar os resultados de experiências escolares inclusivas de crianças e jovens ciganos, avançou aquela escola em comunicado.


O evento insere-se no projeto “RISE – Roma Inclusive School Experiences”, que alia ainda Itália e Eslovénia e é financiado pelo programa Direitos, Igualdade e Cidadania da Comissão Europeia. O “RISE” apoia também a Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas no que diz respeito ao eixo da educação.

A conferência inaugural, “Rumo à educação inclusiva de estudantes ciganos: atenção à diversidade ou política de choque?”, conta às 10h30 com Mariano Enguita, da Universidade Complutense de Madrid (Espanha). Uma hora depois realiza-se o painel “RISE: conceção, parcerias e monitorização”, com Maria José Casa-Nova e Maria Alfredo Moreira, da UMinho, Susana Fernandes e Natália Costa, do Agrupamento Escolar de Prado, incluindo um debate.

A partir das 14:30, investigadores da UMinho e daquele agrupamento abordam experiências de formação e de trabalho colaborativo e a construção de dispositivos pedagógicos. A discussão dos resultados do projeto “RISE” decorre pelas 17h30, por Rosa Madeira, da Universidade de Aveiro. A sessão de encerramento está agendada para as 18:00.

A escola pública passou a integrar as chamadas classes populares e minorias, com diferenças na frequência e no aproveitamento escolar, situando-se as crianças e jovens ciganos tradicionalmente na base da hierarquia do sucesso.

O projeto “RISE”, através do método de investigação-ação, pretende empoderar os alunos ciganos por via de práticas interculturais e ações pedagógicas, articulando os seus saberes experienciais com o currículo mainstream, construindo um bilinguismo cultural potenciador de diferentes oportunidades de vida.

A divulgação dos resultados do projeto visa promover a discussão e a reflexão em torno destas problemáticas e inspirar outras realidades socioeducativas. O público-alvo da conferência engloba decisores políticos e membros de instituições educativas e sociais, como professores, educadores, dirigentes, técnicos, formadores, pais, estudantes e outros interessados.

A sessão de abertura é pelas 09:30, com a presença prevista da secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, da coordenadora do “RISE” e do Observatório das Comunidades Ciganas, Maria José Casa-Nova, do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do presidente do Instituto de Educação, Leandro Almeida, da diretora do Centro de Investigação em Educação, Leonor Torres, e do diretor do Agrupamento Escolar de Prado, José António Peixoto.

Anúncio

Braga

São Bento abriu a porta aos peregrinos no principal dia da romaria

Religião

em

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Celebra-se esta quinta-feira o principal dia da romaria ao São Bento da Porta Aberta, em Rio Caldo, concelho de Terras de Bouro, com várias iniciativas religiosas abertas à população.

Pelas 11:00 horas desta manhã, o arcebispo de Braga, Jorge Ortiga, celebrou a missa solene com participação do Grupo Coral de S. Bento da Porta Aberta.

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

A eucaristia contou com a presença de dezenas de fieis e peregrinos que rumaram durante a madrugada àquele templo situado às portas do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Pelas 17:00 horas, foi inaugurada a exposição do Ósculo e da Relíquia do ‘São Bentinho’.

Pelas 18:30, há uma eucaristia campal com o andor ornamentado à porta da basílica.

Continuar a ler

Braga

Ricardo Rio pede intervenção da Europa para modernizar rede ferroviária portuguesa

Missiva assinada por 29 personalidades portuguesas

em

Foto: DR (Arquivo)

Ricardo Rio, presidente da Câmara de Braga, é um dos signatários de uma carta dirigida à Comissária Europeia dos Transportes, Adina Valean, em que se alerta para “o risco de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa em virtude do sistemático atraso na adopção da bitola europeia (1.435 mm) nas linhas internacionais”.

Em comunicado, a autarquia de Braga dá conta desta missiva, assinada por 29 cidadãos portugueses de diferentes áreas, entre os quais três autarcas: Ricardo Rio, José Ribau Esteves (Aveiro) e António Almeida Henriques (Viseu).

A missiva conta ainda com as assinaturas de personalidades como Mira Amaral, ex-ministro da Indústria, João Luís Mota Campos, ex-secretário de Estado da Justiça, ou João Duque, professor catedrático do Instituto Superior de Economia e Gestão.

Segundo Ricardo Rio, é “fundamental que o plano de recuperação e utilização dos fundos oriundos da União Europeia para fazer face à crise imposta pela covid-19 inclua o investimento na modernização das infraestruturas ferroviárias.

“Sendo Portugal um país periférico, o sistema ferroviário é um elemento essencial para assegurar a coesão territorial no contexto europeu e a minoração dos desequilíbrios económicos e sociais”, adianta.

Como salienta a missiva, Portugal “corre o risco de ficar privado de vias terrestres competitivas para o transporte de mercadorias de e para a maior parte da União Europeia”, impedindo-se ainda a “concorrência na operação ferroviária internacional, relegando Portugal para uma situação de monopólio ferroviário”.

Assim, na carta é pedido que o novo TEN-T (Trans-European Transport Network) seja aproveitado para “impulsionar uma transformação” na infraestrutura ferroviária portuguesa no sentido da sua integração plena nas redes europeias.

Os subscritores manifestam-se contra a possibilidade da certificação como interoperáveis de linhas da Rede Core em bitola ibérica, o que seria apenas a “justificação burocrática de um erro histórico” e “contribuiria para a não abertura à Europa do sistema ferroviário português”.

Continuar a ler

Braga

Braga estuda perfil dos públicos de cultura a pensar na Capital Europeia 2027

Participantes têm descontos em eventos culturais

em

Gnration. Foto: CM Braga (Arquivo)

O município de Braga lançou um estudo que visa traçar o perfil dos públicos dos equipamentos e eventos culturais de referência no concelho e identificar potenciais novos públicos no território, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o município acrescenta que este estudo de públicos se insere no contexto da estratégia Braga Cultura 2030 e da candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027.

Os participantes no questionário beneficiarão de um desconto de 50% num espetáculo de programação própria do Theatro Circo ou do gnration.

“A ideia desta oferta é que o próprio questionário seja motor de participação na atividade cultural do concelho. Ao mesmo tempo, quem participar no seu preenchimento está a contribuir para o processo de candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura”, sublinha o comunicado.

Além de traçar “um retrato detalhado” dos públicos de cultura do concelho e a identificação de potenciais públicos, o estudo permitirá também efetuar a análise da comunicação estratégica do município e dos equipamentos culturais visados, identificando alguns dos seus impactos para o diálogo, o envolvimento, a fidelização, a captação e a formação de públicos.

Servirá igualmente para quantificar a satisfação dos públicos com a oferta cultural atual na cidade.

O estudo foi encomendado ao Observatório de Políticas de Comunicação e Cultura do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho.

A Estratégia Cultural de Braga 2020-2030 é o resultado de um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido desde 2018 pela equipa criada pelo Theatro Circo e pelo Município de Braga, para preparar a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027.

Continuar a ler

Populares