Seguir o O MINHO

País

Presidente da República indigitou António Costa como primeiro-ministro

Novo Governo

em

Foto: Divulgação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, indigitou hoje o secretário-geral do PS, António Costa, como primeiro-ministro, após ouvir os dez partidos com representação parlamentar sobre a formação do novo Governo.

“Na sequência das eleições parlamentares do passado domingo, 06 de outubro, ouvidos, nos termos constitucionais, os partidos agora representados na nova Assembleia da República, e tendo em conta os resultados eleitorais, o Presidente da República indigitou hoje o doutor António Costa, secretário-geral do PS, como primeiro-ministro do XXII Governo Constitucional”, lê-se numa nota publicada no portal da Presidência da República na Internet.

Na mesma nota, é referido que, “depois de publicados os resultados finais oficiais das eleições, seguir-se-á a primeira reunião do novo parlamento e a nomeação e posse do Governo e, no prazo máximo de dez dias após a nomeação, a submissão do programa do Governo à apreciação da Assembleia da República”.

Anúncio

País

Governo abre avisos de onze milhões de euros para apoiar agricultores do Norte e Centro

Mau Tempo

em

Foto: DR

A ministra da Agricultura anunciou, esta sexta-feira, em Chaves, a abertura de dois avisos, no valor total de 11 milhões de euros, para apoiar os agricultores afetados pelo mau tempo de dezembro nas regiões Norte e Centro.

Maria do Céu Albuquerque visitou uma exploração agrícola, na Curalha, concelho de Chaves, distrito de Vila Real, que foi afetada pelas depressões Elsa e Fabien, que, em dezembro, atingiram o país.

Após a visita, a governante anunciou a abertura de dois avisos, que já estão para publicação desde quinta-feira.

Um dos avisos, explicou, tem um valor disponível de dois milhões de euros e visa apoiar os agricultores pelos prejuízos causados pelas cheias, nomeadamente no vale do Mondego.

“E, depois, um segundo aviso, para as regiões Centro e Norte, para as freguesias que foram atingidas pelas depressões do mês de dezembro. São nove milhões de euros que ficam disponíveis para projetos, como este que acabamos de visitar, onde estas estufas foram destruídas”, acrescentou a ministra.

A jovem agricultora Vera Pinto disse aos jornalistas que o vento forte arrancou os plásticos em oito de um total de onze estufas, provocando prejuízos no valor “de cerca de 30 mil euros”.

Segundo referiu, o principal produto cultivado é o feijão verde que exporta para Espanha.

“Vai ser muito complicado recuperar disto. Parecia um pandemónio, muita chuva e muito vento, que levantou os plásticos todos e ainda uma estufa. Já é a terceira vez que nos acontece. Neste momento, se não conseguir algum tipo de apoio vamos ter que abandonar”, afirmou Vera Pinto.

Maria do Céu Albuquerque referiu que os serviços do ministério foram para o terreno desde o “primeiro momento” fazer os levantamentos e perceber quais os auxílios a conceder para que a “atividade agrícola possa ser retomada imediatamente”.

“Nós queremos que a próxima campanha decorra sem qualquer atraso”, salientou a ministra.

A governante explicou que, logo que os avisos estejam publicados, o que ainda pode acontecer durante esta sexta-feira, o agricultor terá que se candidatar e verificar as condições de elegibilidade dos seus prejuízos.

Aos dois avisos corresponde um total de onze milhões de euros, montante que a ministra acredita ser “suficiente” para “cobrir os prejuízos que decorreram no âmbito destas duas depressões”.

No entanto, acrescentou que se houver necessidade será aberto “um terceiro aviso”.

“Mas achamos que não vai ser necessário, até porque o levantamento foi exaustivo, houve uma grande participação das direções regionais de agricultura do Norte e Centro e dos próprios agricultores”, frisou.

Continuar a ler

País

Isabel dos Santos vai sair da Efacec Power Solutions

Luanda Leaks

em

Foto: veja.abril.com.br / DR

Efacec Power Solutions anunciou, esta sexta-feira, que a empresária angolana Isabel dos Santos, envolvida no denominado processo “Luanda Leaks”, decidiu “sair da estrutura acionista” da empresa, “com efeitos definitivos”, tendo os seus representantes renunciado aos cargos no grupo.

Em comunicado, o Conselho de Administração da Efacec Power Solutions refere que Isabel dos Santos informou o órgão que “decidiu sair da estrutura acionista” do grupo, “com efeitos definitivos”.

Assim, na sequência desta decisão, “Mário Leite da Silva renunciou ao cargo de presidente do Conselho de Administração”, bem como o advogado “Jorge Brito Pereira”, que “renunciou ao cargo de presidente da assembleia-geral da Efacec Powe Solutions, ambos com efeito imediato”.

Continuar a ler

País

Banco Central Europeu retirou 308 mil notas falsas no 2.º semestre, mais 17,6%

Em cada um milhão de notas de euro 20 são falsas

em

O número de notas falsas em euros que se retiraram de circulação foi de 308.000 no segundo semestre, mais 22,7% do que no primeiro semestre e 17,6% face ao mesmo período de 2018.

O BCE informou, esta sexta-feira, que mais de 70% das notas retiradas eram de 20 e de 50 euros.

A entidade monetária assegura que as notas em euros continuam a ser um meio de pagamento fiável e seguro e que a autenticidade das mesmas se pode comprovar com o método “tocar, olhar e virar”.

A probabilidade de receber uma nota falsa é remota, já que o número continua a ser muito baixo em comparação com o das notas autênticas em circulação, que é de mais de 24.000 milhões com um valor total de cerca de 1,3 biliões de euros.

O número de notas falsas detetadas anualmente por cada milhão de notas autênticas em circulação é muito baixo, cerca de 20 notas, como em 2002.

Em 2009 registou-se um aumento do número de notas falsas por cada milhão de notas autênticas até quase 65 notas.

Em 2003 e 2004 também foi ultrapassada a barreira das 60 notas falsas e desde 2015 tem-se registado uma tendência de descida ininterruptamente.

A maioria das notas falsas (96,4%) foi encontrada em países da zona euro, tendo as restantes sido encontradas em Estados membros da União Europeia (UE) não pertencentes à zona euro (3%) ou noutros locais do mundo (0,6%).

O Banco de Portugal (BdP) anunciou, esta sexta-feira, a retirada de 8.923 notas contrafeitas de circulação no segundo semestre em Portugal, mais 1.496 do que no primeiro semestre.

Continuar a ler

Populares