Seguir o O MINHO

Braga

Presidente Comité Paralímpico diz que não é possível manter amadorismo até Tóquio

em

Humberto Santos apontou hoje a profissionalização dos atletas como a meta para o próximo ciclo até Tóquio2020, escusando-se, contudo, a revelar se vai recandidatar-se à presidência do Comité Paralímpico de Portugal (CPP).

“Nós nestes quatro anos temos de criar condições de trabalho totalmente distintas para todos os agentes envolvidos. Para os atletas, para os treinadores. Todos têm de ter condições diferentes, porque não é possível mantermos este nível de amadorismo que temos tido”, defendeu Humberto Santos, em declarações à margem do oitavo aniversário da entidade.

O dirigente considerou que os atletas paralímpicos nacionais têm feito “um trabalho extraordinário”, uma vez que muitos trabalham durante o dia e treinam apenas à noite, e sublinhou que estes necessitam de mais apoios.

“O maior apoio pode não ser só financeiro. Há também a necessidade de encontrarmos outras formas de disponibilização daqueles que são hoje profissionais noutras áreas e não querem fazer a sua desvinculação profissional. Temos de encontrar aqui um conjunto de medidas que associadas possam ajudar. Nalguns casos será, incontornavelmente, financeira. Mas não só: há também o quadro legal que precisa de ser ajustado”, começou por enumerar, antes de se deter com o argumento de que, em primeira instância, o tema tem de ser debatido com o Governo português.

Em cima da mesa estará a celebração de um novo contrato-programa para Tóquio2020, que suceda ao dos Jogos Rio2016, que rondou os 3,6 milhões de euros.

Apesar dos projetos para o futuro, Humberto Santos não sabe se embarcará num quarto ciclo paralímpico.

“Vamos ver. É uma decisão que não está tomada. Vamos ponderar sobre essa situação dentro de algum tempo. As eleições no CPP têm de ser feitas até 31 de março e até lá muita coisa pode vir a acontecer”, disse.

No entanto, o máximo responsável pela entidade espera que, independentemente da sua decisão, pelo menos alguns elementos que fazem parte da atual Comissão Executiva se mantenham na direção do CPP.

“Considero que o trabalho que têm feito tem sido muito meritório, o reconhecimento público que está a ser feito ao trabalho do CPP é fruto desse trabalho muito intenso, dedicado, determinado. E eu, como cidadão, não gostaria de ver perder esta dinâmica, até porque nós temos um grande desafio. O grande desafio é aumentar as condições de trabalho para atletas e federações, ou seja, criar condições para haver uma maior equidade no tratamento financeiro deste projeto”, destacou.

Santos, que frisou não estar a menosprezar as capacidades de futuros candidatos, acredita que com a saída de todos os elementos da direção, o Comité poderia perder informação, conhecimento e até capacidade de interação.

Nos Jogos Paralímpicos Rio2016, subiram ao pódio Luís Gonçalves, nos 400 metros T12 (deficiência visual), Manuel Mendes, na maratona T46 (deficiência motora), José Macedo, no torneio individual de boccia BC3 e a equipa de boccia BC1/BC2, constituída por António Marques, Abílio Valente, Fernando Ferreira e Cristina Gonçalves.

Além das quatro medalhas, os atletas garantiram 25 diplomas, número também superior aos 16 conseguidos em Londres2012.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Braga. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Braga

Ameaça polícia com faca em casa após ser alvo de denúncia em Braga

Violência

em

Foto: O MINHO

Um homem foi detido depois de puxar de uma faca de cozinha contra dois agentes da PSP que o interpelavam, à porta do seu apartamento, devido ao ruído excessivo com o televisor, na passada sexta-feira, em Braga.

O homem, de 56 anos, provocou momentos de tensão no prédio situado na Avenida de Barros Soares, na cidade bracarense, quando apontou uma faca com lâmina de 30 centímetros aos dois agentes.

Os polícias acabaram por conseguir imobilizar o homem com recurso a gás-pimenta, não utilizando as armas de serviço. O detido acabou por cair no sofá, onde lhe foi retirada a faca e colocadas as algemas.

A denúncia foi feita por vizinhos, cerca das 22:30 da passada sexta-feira. O homem acabou por receber assistência dos Bombeiros Voluntários de Braga, mas recusou transporte hospitalar.

Será presente, na segunda-feira, aos serviços de Ministério Público do Tribunal de Braga.

Continuar a ler

Braga

Governo quer baixar preços de estacionamento no Hospital de Braga

Empresa privada detém concessão até 2039

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O Governo está a avaliar a possibilidade jurídica de intervir junto da entidade gestora do edifício do Hospital de Braga, de forma a baixar os preços praticados no parque de estacionamento daquela unidade, anunciou o Ministério da Saúde.

Em documento enviado à Assembleia da República, em resposta ao grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, “o Governo reconhece as queixas de utentes e profissionais, relativamente aos preços praticados no parque de estacionamento do Hospital de Braga e admite intervenção junto da Entidade Gestora do Edifício”.

“Os preços praticados pela empresa que está a explorar o parque têm sido motivo de queixa, quer por parte dos utentes, quer por parte dos profissionais, estando presentemente a ser avaliada a possibilidade jurídica de intervir junto da EGE”, refere o órgão que tutela a saúde em Portugal.

Sobre o pedido de tornar gratuito o estacionamento, feito pelos deputados do BE, eleitos pelo círculo eleitoral de Braga (José Maria Cardoso e Alexandra Vieira), o Governo diz ser inmpossível, uma vez que a concessão do estacionamento a uma empresa privada é válido até 2039.

Continuar a ler

Braga

Turista em estado grave após queda no Gerês

Cascatas do Tahiti

em

Foto: O MINHO

Um homem, com 51 anos, sofreu ferimentos graves na sequência de uma queda em cascatas do Gerês, ao final da manhã deste sábado, em Vilar da Veiga, concelho de Terras de Bouro, disse a O MINHO fonte envolvida no socorro.

No local, conhecido por albergar as famosas Cascatas do Tahiti, estiveram socorristas da delegação de Rio Caldo da Cruz Vermelha Portuguesa, acompanhados por elementos dos Bombeiros de Terras de Bouro.

A vítima, residente em Lisboa, caiu num pequeno lago (poço natural) depois de ter escorregado e caído de uma altura de seis metros.

Ao que apuramos, a vítima, em estado de hipotermia, sofreu ferimentos a nível do crânio.

Foi transportado para o Hospital de Braga.

O alerta foi dado cerca das 12:00 horas.

A GNR do Gerês registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares