Seguir o O MINHO

País

Plataforma ajuda municípios a concretizar objetivos de desenvolvimento sustentável

Ambiente

em

Cidade de Viana. Foto: DR

A plataforma digital ODSlocal, que permite aos municípios fazerem um mapeamento das boas práticas para cumprir metas de desenvolvimento sustentável para 2030 definidas pela ONU, vai ser lançada em 11 de novembro em Lisboa.


O projeto, que tem o apoio da Fundação La Caixa, é promovido pelo Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável (CNADS), associado a dois centros de investigação universitários, o OBSERVA/Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e o MARE/Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa, e à start-up da área do ambiente e alterações climáticas 2adapt.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da CNADS, Filipe Duarte Santos, adiantou que a plataforma vai contribuir para que os municípios de todo o país possam concretizar os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), incentivar boas práticas e promover a participação cívica nas vertentes económica, social e ambiental.

“É um projeto que consiste na construção de uma plataforma digital, tecnológica, que permite aos municípios fazerem o mapeamento das suas boas práticas em termos de cumprir as metas dos objetivos de desenvolvimento sustentável para 2030. Nessa plataforma, os municípios podem introduzir os projetos que estão a ser realizados no terreno, projetos esses que estão a ser realizados por empresas, organizações não-governamentais, associações e pelos próprios municípios”, explicou.

De acordo com Filipe Duarte Santos, esta plataforma já teve uma fase-piloto na qual participaram os municípios de Bragança, Cascais (distrito de Lisboa), Castelo de Vide (Portalegre), Coruche (Santarém), Loulé (Faro), Seia (Guarda)e Viana do Castelo.

“O projeto-piloto foi bem recebido. Permitiu aos municípios divulgarem o que estão a fazer em termos de objetivos de desenvolvimento sustentável. A partir daqui pensámos que seria uma iniciativa que podia estender-se ao resto do país, incluindo as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira”, disse.

O presidente da CNADS adiantou que concorreram a fundos e foi criado o consórcio, que acabou por conseguir o financiamento da Fundação La Caixa.

“Este portal vai ficar acessível a todos os municípios do continente e das regiões autónomas e será disponibilizado gratuitamente ou sobre a forma de subscrição para introduzirem as suas boas práticas e os indicadores de desenvolvimento sustentável a nível local que estão a ser desenvolvidos no âmbito do projeto. Indicadores para dar a saber se os municípios estão a avançar no sentido do cumprimento das metas dos 17 objetivos da ONU”, disse.

De acordo com Filipe Duarte Santos, qualquer pessoa pode aceder e ver o que está a ser feito no seu município ou noutro, podendo contribuir para projetos no domínio do desenvolvimento sustentável.

“Quero também salientar que este projeto é pioneiro à escala mundial. Não foi feito em nenhum país tanto quanto é do nosso conhecimento. Existem projetos semelhantes, mas não abrangem a totalidade dos municípios. Agora tivemos o financiamento que nos permite procurar atingir a totalidade dos nossos municípios e tem sido bem recebido a nível internacional”, disse.

O lançamento do projeto, que inclui um portal ‘online’ de base tecnológica, um plano de capacitação e um ciclo de eventos, vai decorrer em 11 de novembro, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República.

Durante a sessão, irão ser assinadas cartas de compromisso pelos municípios aderentes.

Anúncio

País

Novos casos de infeção em Portugal descem há oito dias

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Há oitos dias que o número de novos casos de infeção com o novo coronavirus revela um decréscimo, registando hoje 3.919, um valor abaixo das 4 mil infeções semelhante ao de 16 de novembro (3.996).

Desde o dia 17 de novembro até hoje, em que são contabilizados 3.919 casos nas últimas 24 horas, o número diário de novas infeções foi sempre superior a quatro mil, atingindo um máximo de 6.994 novos casos a 19 de novembro.

Relativamente às mortes, o boletim epidemiológico de hoje dá conta do registo de 85 óbitos, o segundo maior número desde o início da pandemia depois de a 16 de novembro Portugal ter tido 91 mortes relacionadas com o novo coronavirus.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4.056 mortes e 268.721 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 80.432 casos, menos 3.572 do que na segunda-feira.

O boletim refere ainda que as autoridades de saúde têm em vigilância 82.160 contactos, mais 135 em relação a segunda-feira, e que foram dados como recuperados nas últimas 24 horas 7.406 doentes.

Das 85 mortes registadas nas últimas 24 horas, 50 ocorreram na região Norte, 20 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 12 na região Centro e três no Alentejo.

Relativamente aos internamentos, Portugal ultrapassou hoje os 500 internamentos em unidades de cuidados intensivos de pessoas diagnosticadas com covid-19, tendo igualmente subido para 3.275 os internamentos em enfermaria (mais 34 desde segunda-feira).

Os doentes internados em cuidados intensivos têm vindo a aumentar desde o dia 07 de setembro, quando estavam nestas unidades 49 pessoas. Hoje estão 506 pessoas nestas unidades, mais oito do que na segunda-feira.

Segundo o boletim epidemiológico da DGS, 58,2 por cento dos novos casos de hoje situam-se na região Norte, que contabilizou nas últimas 24 horas mais 2.284 infeções, totalizando 139.905 casos de infeção e 1.907 mortos desde o início da pandemia.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 1.018 novos casos de infeção, contabilizando-se até agora 91.053 casos de infeção e 1.467 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 446 casos de infeção, contabilizando-se agora 25.949 e 521 mortos.

No Alentejo foram registados mais 83 novos casos, totalizando 5.320 e 101 mortos.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 65 casos de infeção, somando 4.870 casos e 43 mortos desde o início da pandemia.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 18 novos casos nas últimas 24 horas, somando 828 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou cinco novos casos nas últimas 24 horas, contabilizando 796 infeções e dois óbitos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 118.649 homens e 145.191 mulheres, de acordo com os casos declarados.

O boletim de hoje refere que há 4.881 casos confirmados de sexos desconhecidos que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de uma forma automática.

Do total de vítimas mortais, 2.095 eram homens e 1.961 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.397.322 mortos resultantes de mais de 59,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

País

PSP já sinalizou este ano cerca de 800 suspeitos de crimes de violência doméstica

Segundo o diretor nacional adjunto

em

Foto: Twitter de EsquerdaNet

A PSP já sinalizou este ano cerca de 800 suspeitos da prática de crime de violência doméstica e já elaborou mais de 32.000 planos de segurança individual neste contexto, adiantou hoje o diretor nacional adjunto, Constantino Ramos.

Num seminário virtual dedicado ao tema “Desafios para a segurança das mulheres no século XXI”, organizado pela Polícia de Segurança Pública (PSP), o diretor nacional adjunto desta polícia adiantou alguns números de balanço da atividade em relação a crimes de violência doméstica.

Segundo o responsável foram também sinalizadas mais de 8.100 crianças em situação de risco e apreendidas quase 200 armas de fogo em contexto de violência doméstica.

Atualmente, existem na PSP cerca de 500 polícias com formação específica para resposta a crimes de violência doméstica.

Segundo Constantino Ramos, o e-mail criado especificamente para a denúncia destes crimes “tem-se revelado de grande utilidade”, com a PSP a receber queixas e relatos que muitas vezes chegam via amigos ou colegas de trabalho das vítimas, sobretudo quando estas se encontram numa situação de extremo controlo por parte do agressor.

Já hoje a PSP tinha adiantado em comunicado que vai destruir mais de 13.500 armas para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, já que nos últimos três anos houve mais de 300 ocorrências de violência doméstica com armas de fogo.

A PSP salienta que só em 2020 já apreendeu 192 armas de fogo e refere que entre 2017 e 2019 registou 309 ocorrências de violência doméstica com armas de fogo, sendo que em 74 delas houve uso efetivo da arma por parte do agressor.

Acrescenta que só no ano passado registou 108 crimes de violência doméstica com recurso a arma de fogo e que em 22 deles houve recurso ativo ou passivo da mesma.

Para a PSP, “a violência doméstica merece especial e constante empenho”, seja na deteção, sinalização ou encaminhamento e apoio às vítimas.

Continuar a ler

País

Portugal com mais de 500 doentes internados em cuidados intensivos

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Portugal ultrapassou hoje os 500 internamentos em unidades de cuidados intensivos de pessoas diagnosticadas com covid-19, tendo igualmente subido para 3.275 os internamentos em enfermaria (mais 34 desde segunda-feira),segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os doentes internados em cuidados intensivos têm vindo a aumentar desde o dia 07 de setembro, quando estavam nestas unidades 49 pessoas. Hoje estão 506 pessoas nestas unidades, mais oito do que na segunda-feira.

Os dados hoje divulgados pela DGS referem mais 85 mortos relacionados com a covid-19 e 3.919 novos casos de infeção com o novo coronavírus, em relação a segunda-feira.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4.056 mortes e 268.721 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 80.432 casos, menos 3.572 do que na segunda-feira.

O boletim refere ainda que as autoridades de saúde têm em vigilância 82.160 contactos, mais 135 em relação a segunda-feira, e que foram dados como recuperados nas últimas 24 horas 7.406 doentes.

Continuar a ler

Populares