Seguir o O MINHO

Braga

Passatempo Casa da Árvore – Vilaminho, Braga

Em parceria com a PlantIt

em

Foto: Divulgação

A Casa da Árvore é o mais recente projeto imobiliário da Vilaminho.pt, desenhado a pensar nas necessidades das jovens famílias, é dotado de equipamentos e acabamentos que permitem uma redução significativa dos custos energéticos e da pegada ecológica e garantem excelentes resultados a nível acústico.

É um empreendimento de 24 apartamentos, pensados para aproveitar o tempo em família e para melhorar a qualidade de vida.

No dia 25 de maio das 9:30 às 12:30, e em parceria com a PlantIt, será realizado o Workshop “A minha horta de varanda”.

Para participar basta preencherem este formulário até dia 19, sugerindo uma solução ecológica para o dia-a-dia ou em específico para os apartamentos da Casa da Árvore.

As melhores sugestões ganham entradas duplas para o workshop.

 


Uma Casa da Árvore no centro da cidade de Braga

Localizada na Rua Virgílio Ferreira, na freguesia de Real, na zona norte da cidade de Braga, a Casa da Árvore terá 24 apartamentos de tipologia T3, com uma área de 150 metros quadrados, dotados de equipamentos de elevada eficiência energética. Segundo estimativas da construtora, a Casa da Árvore deverá estar pronta a habitar durante o segundo semestre de 2020, entre agosto e outubro.

“Serão apartamentos elegantes, de perfil minimalista, pensados para as necessidades de jovens famílias, que surpreendem pelos pormenores de design e acabamentos requintados”, explica o representante do gabinete ART.MGA responsável pelo projeto.

A localização é outra das mais-valias, uma vez que a Casa da Árvore irá proporcionar a tranquilidade que encontramos fora da cidade sem deixar que os seus moradores vivam próximo do centro histórico da cidade e dos equipamentos e serviços que precisam para uma qualidade de vida de alto padrão.

Apartamentos Personalizáveis

Foto: Vilaminho

Como explica Tiago Gomes Sequeira, administrador da Vilaminho, promotora do projeto, “o edifício Casa da Árvore foi desenhado a pensar nas famílias que querem conciliar as vantagens da proximidade do centro histórico com o conforto de uma habitação contemporânea e amiga do ambiente”.

O administrador da Vilaminho realça ainda que, “na primeira fase de vendas, os apartamentos são altamente personalizáveis, para que cada família possa construir uma casa à medida das suas necessidades específicas”.

A Casa da Árvore propõe um modelo de habitação e estilo de vida mais sustentáveis. A utilização de materiais de elevada qualidade permite excelentes resultados ao nível do isolamento térmico e acústico, garantindo o máximo conforto.

Soluções Tecnológicas

A inclusão de soluções tecnológicas, que possibilitam tanto o aproveitamento da energia solar como a redução de consumos, permite baixar significativamente os custos energéticos e a pegada ecológica.

O sistema integrado de floreiras com rega automática possibilita também usufruir da natureza dentro de casa, através da cultura de flores, pequenos vegetais ou ervas aromáticas durante todo o ano.

Foto: Vilaminho

Para além da privacidade e do conforto de cada apartamento, a Casa da Árvore terá espaçosas áreas comuns, pensadas para a utilização familiar quotidiana, que serão facilmente adaptáveis para eventos especiais, nomeadamente na sala multifunções – ideal para festas e/ou reuniões de condomínio e ginásio.

Característica muito especial deste imóvel é também a inclusão de pontos de carregamento para veículos elétricos, bem como espaço de parqueamento interno de bicicletas, como resposta às crescentes necessidades de mobilidade urbana.

Situado a cinco minutos do centro histórico, favorece os chamados meios de mobilidade suave, não esquecendo a proximidade às principais vias rodoviárias e ferroviária da cidade de Braga.

Vilaminho: 30 Anos a Crescer

A Vilaminho é uma empresa nascida em Braga, em 1988, como a primeira empresa do grupo no setor imobiliário. Trinta anos depois e orientada por três gerações, capazes de garantir a sua evolução e crescimento contínuos, o Grupo Vilaminho apresenta empreendimentos imobiliários por todo o país, em cidades como Aveiro, Braga, Gondomar, Lisboa, Elvas, Gaia, Portimão e, também, no Brasil.

Avô, pai e filho dirigem, agora, com a mesma paixão com que começaram a missão de criar, continuamente, elementos de diferenciação nos projetos que desenvolvem, acreditando apenas na determinação de cada cliente para alcançar cada um dos seus sonhos.

VISITAR SITE >

Descarregar Folheto (PDF) 

PUBLICADO POR

Anúncio

Braga

Histórica pastelaria de Braga reabre ao público no dia dos 190 anos

Doçaria São Vicente

em

Foto; Facebook de Altino Bessa

A histórica pastelaria de Braga “Doçaria São Vicente” reabriu esta quarta-feira portas ao público depois de ter estado encerrada vários meses, na sequência de uma insolvência da anterior gestão.

Esta quarta-feira, assinalou-se não só a reabertura como celebraram-se os 190 anos da fundação deste local histórico da cidade de Braga, uma das lojas de comércio fundadas há mais tempo na região.

Para assinalar o aniversário, o presidente da Câmara de Braga e vereadores do executivo, como Altino Bessa, com o pelouro do turismo, estiveram presentes.

Continuar a ler

Braga

Construtora de Braga defende agilização da vinda para Portugal de trabalhadores dos PALOP

Falta de mão de obra na construção

em

Foto: Divulgação

O presidente do conselho de administração da construtora Casais, com sede em Braga, defendeu esta quarta-feira uma agilização burocrática que facilite a vinda para Portugal de trabalhadores dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), para colmatar a falta de mão-de-obra no setor.

“Já trazemos gente de Moçambique, de Cabo Verde e da Guiné, mas com alguns problemas para os quais temos vindo a chamar a atenção dos embaixadores desses países e do próprio Governo, para que facilitem a contratação desses trabalhadores, que em termos burocráticos não é fácil. Esta é uma das medidas que vai ser importante tomar ou daqui a dois/três anos não vamos ter mão-de-obra, que já está a faltar”, afirmou José da Silva Fernandes em declarações à agência Lusa.

Segundo o empresário, há já algum tempo que a falta de mão-de-obra tem vindo a ser um problema para o setor e, apesar do trabalho feito com as associações da construção, “continua a ser um problema” que tende a agravar-se, até por questões demográficas.

“Temos vindo a trabalhar com as associações na formação, mas não chega, porque há apetência dos jovens para irem para outras áreas e a construção civil é um trabalho mais duro”, sustentou, reforçando: “É preciso diretrizes que têm de vir de cima”.

Apesar de satisfeito com a retoma do setor da construção, que tem permitido ao grupo de Braga “angariar obras interessantes de norte a sul do país”, José da Silva Fernandes alerta para “a crise que se adivinha nos próximos dois anos”, antecipando que “vão ser anos com menos investimento, quer em Portugal, quer na Europa”.

Quanto à emissão obrigacionista de 18,5 milhões de euros realizada em fevereiro pelo grupo Casais, diz ter sido “para incentivar alguns projetos em preparação na área do imobiliário, hotelaria, escritórios, habitação e serviços, sobretudo em Portugal”.

O grupo Casais evoluiu em 60 anos de um pequeno negócio para um grupo de construção com 4.500 trabalhadores e atividade em 16 países (Portugal, Alemanha, Angola, Bélgica, Gibraltar, Holanda, França, Marrocos, Moçambique, Brasil, Qatar, Argélia, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, Espanha e EUA), tendo terminado 2018 com um volume de negócios agregado de 445 milhões de euros (mais 110 milhões do que no ano anterior), dos quais 319 milhões no exterior, sobretudo em Angola.

Continuar a ler

Braga

Mulher em estado grave após cair na lareira em Vieira do Minho

Múltiplas queimaduras em todo o corpo

em

Foto: Cortesia de Rio Longo e Notícias

Uma mulher, com cerca de 65 anos, sofreu várias queimaduras no corpo após ter caído numa lareira, na habitação onde reside, em Ruivães, concelho de Vieira do Minho, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima foi assistida no local, na Rua da Lameira, por operacionais dos Bombeiros de Vieira do Minho e pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Braga, sendo considerada um ferido grave.

Numa primeira instância, foi acionado um meio aéreo, por se pensar tratar de queimaduras resultantes de uma queimada, mas tal não se veio a confirmar, com o meio a ser desmobilizado no local.

Foto: Cortesia de Rio Longo e Notícias

A mulher foi transportada para o Hospital de Braga pelos bombeiros, desconhecendo-se os motivos da queda.

O alerta foi dado para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes do INEM pelas 15:07.

A GNR de Vieira do Minho registou a ocorrência.

Notícia atualizada às 17h50

Continuar a ler

Populares