Seguir o O MINHO

Região

Nova ‘esperança olímpica’ da natação do SC Braga bate recorde nacional absoluto

Caloiro de Engenharia e Gestão Industrial, no pólo da UMinho

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Esperança olímpica da natação portuguesa. Chama-se José Paulo Lopes, é do SC Braga e está inserido no projeto de futuro da modalidade. O primeiro objectivo, “difícil”, é conseguir os mínimos para Tóquio ou então atingir a meta, quatro anos depois, em Paris. Especialista em 400 metros estilos, está neste momento nas Universíadas a representar Portugal.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Este fim de semana, José Lopes bateu o recorde nacional absoluto nos 800 metros livres com 08:03.80, apurando-se para a final da 30.ª edição das Universíadas, que decorrem em Nápoles, Itália.

O atleta acabou a meia-final com um tempo de 8.03,80 minutos, quase dois segundos melhor do que Fernando Costa, que tinha fixado a anterior marca em 2007, e segue para a final, agendada para segunda-feira.

https://twitter.com/SCBragaOficial/status/1147874682521235458

Quatro segundos são o que separa José Lopes do sonho olímpico. Na piscina desde que se lembra, “a minha mãe sempre gostou da natação” e irmão mais novo de outro nadador, João Lopes, o atleta do SC Braga treina 11 vezes por semana na água e mais duas no ginásio.

Caloiro de Engenharia e Gestão Industrial, no pólo da UMinho, em Guimarães, estuda em regime parcial para “poder dedicar mais tempo à natação”. Chega à piscina da Rodovia às 07:00 e sai às 09:00 e regressa às 18:00 até às 21:00. Tem ainda treinos na Póvoa de Varzim, “o que altera os horários”.

Treinar mais

Consciente do trabalho que tem pela frente, José Paulo não perde o foco: “quatro segundos podem parecer muito mas requer muito trabalho. Se calhar, tenho que treinar melhor e mais específico”. Pupilo de Luís Cameira, o treinador dos mais recentes campeões do clube, o nadador reconhece que “o treinador é uma referência e é por ele que ando aqui”.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

A verdade é que José Paulo vai perceber o caminho até maio do próximo ano, data limite para obter mínimos para Tóquio, para decidir o futuro: “vou pensar no que vou fazer. Paris pode ser um objectivo até porque terei 22/23 anos e margem de progressão”.

Universíadas

Atualmente a representar Portugal nas Universíadas que se realizam em Nápoles, o estudante universitário não esconde o “nervosismo normal” destas provas. “Espero fazer bons resultados. É a primeira vez que vou competir a este nível, com atletas mais velhos e na primeira prova posso sentir algum nervosismo, o que é normal”.

Para já, continua inserido no projeto “Esperança Olímpica” e com quatro segundo como principal ‘inimigo a abater”.

Anúncio

Alto Minho

Grupo espanhol quer construir residência para idosos em Valença

Grupo Clece Vitam

em

Foto. Divulgação / Clece Vitam

O grupo espanhol Clece, que conta com duas residências sénior em Portugal, vai investir mais de 35 milhões de euros em outras duas instalações, uma das quais em Valença, nos próximos 20 anos, e pretende chegar às 10 unidades, revelou a sociedade.

“Esta é uma área de negócio estratégica para o grupo, sobretudo em Portugal, onde a esperança média de vida crescente e tendência para um envelhecimento ativo exigem opções ajustadas a esta nova realidade”, referiu o grupo, que opera com a nova marca Clece Vitam.

A empresa abriu recentemente uma nova unidade, em Lisboa, depois de ter inaugurado a sua presença no mercado nacional em 2007. A Clece já contava com uma unidade, em Fátima, antes da de Lisboa.

“Estão ainda previstas mais duas residências em Portugal: uma em São Domingos de Rana e outra em Valença, num total de mais de 35 milhões de euros de investimento para os próximos 20 anos. Todas estas residências terão uma lotação superior a 60 pessoas e irão empregar mais de 100 pessoas”, de acordo com a mesma nota.

O grupo informou ainda que na Residência Sénior do Areeiro foram, “até à data, criados 30 postos de trabalho em várias áreas profissionais, sendo que se pretendem contratar mais cerca de 40 profissionais, desde auxiliares de lares, cozinheiros, enfermeiros, psicólogos, animadores e fisioterapeutas”.

O grupo garante que dá formação adequada às funções a todos estes profissionais.

Bruno Moreira, diretor geral da Clece Portugal, citado no comunicado, referiu que no território nacional existe “cada vez mais uma população envelhecida, mas também cada vez mais ativa”.

“Pretendemos consolidar o negócio da Clece Vitam em Portugal através das duas atuais residências e evoluir para a construção das duas que temos em planeamento”, salientou o responsável, garantindo que o objetivo a longo prazo será o de chegar “às dez residências” e, para isso, estão “preparados para investir tanto em infraestruturas, equipamentos e profissionais especializados”.

O grupo Clece nasceu em Espanha, em 1992, e conta com mais de 75.000 pessoas em Espanha e Reino Unido, em diversas áreas de negócio, incluindo gestão de residências sénior, ‘facility services’, atividade aeroportuária, limpeza e manutenção.

A empresa entrou em Portugal em 2007, com serviços de limpeza, e tem atualmente mais de 2.500 colaboradores em território nacional.

Continuar a ler

Braga

Governo garante “apoio político” para que hospital de Braga seja hospital académico

Garante o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

em

Foto: DR / Arquivo

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior garantiu esta segunda-feira que a pretensão da Universidade do Minho de que o hospital de Braga tenha o estatuto de hospital universitário “terá todo o apoio político”.

Manuel Heitor, que falava em Braga, na Universidade do Minho, à margem de uma cerimónia de boas vindas aos novos estudantes daquela academia, afirmou que é “ambição” do Governo “ter mais investigação clínica e melhorar, facilitar, os espaços de aprendizagem aos estudantes que escolhem a área da Saúde”.

A Universidade do Minho reclama o estatuto de Hospital Universitário para o Hospital de Braga lembrando a “estreita colaboração” entre as duas instituições.

“Trabalhamos num nível e de uma forma que permite aos nossos estudantes vivenciarem em ambiente hospitalar aquilo que vão aprendendo em ambiente académico e essa estreita colaboração tem que ser reconhecida”, disse à Lusa o reitor da Universidade do Minho, Rui Viera da Silva.

Segundo garantiu o ministro, aquela pretensão “terá todo o apoio político para poder ser concretizada nos próximos anos”.

“É um processo simples, o centro académico do Minho tem uma grande reputação a nível nacional e internacional. Hoje há uma legislação própria, há uma agência da investigação clínica, que juntamente com as autoridades de Saúde (…) facilmente poderão responder a esse desafio”, referiu Manuel Heitor.

Continuar a ler

Aqui Perto

Homem mata ex-mulher, ex-cunhada e ex-sogra a tiro em frente aos filhos na Galiza

Aqui ao lado, em Pontevedra

em

Foto: Pontevedra Viva

Um homem de 45 anos foi esta segunda-feira detido pelas autoridades espanholas por suspeitas de ter assassinado a tiro a ex-companheira, a irmã e a mãe desta, aqui ao lado, na vizinha Galiza.

A ocorrência deu-se por volta das 08:00 em Valga, Pontevedra, e, segundo avança a imprensa espanhola, o homem já confessou os crimes e entregou-se à Guardia Civil.

As vítimas, Sandra, de 39 anos, a irmã María (27) e a mãe Alba (57), perderam vida, ao que tudo indica, dentro da própria habitação, depois de um acesso de fúria do ex-marido de Sandra.

Segundo conta a imprensa espanhola, o casal, com dois filhos menores, de 4 e 7 anos, estava em processo de divórcio, não se conhecendo antecedentes de violência doméstica.

O triplo homicídio deixou em choque não só a Galiza como toda a Espanha, motivando uma declaração do chefe de Governo espanhol, Pedro Sánchez, através da rede social Twitter.

Continuar a ler

Populares