Seguir o O MINHO

Alto Minho

Movimento quer autarquias a reflorestar área ardida nos últimos dias na Serra d’Arga

Incêndio em Caminha

em

Foto: DR

O Movimento SOS Serra d’Arga quer “mão firme” das autarquias na responsabilização do incêndio que lavrou durante 26 horas em Dem, no concelho de caminha, pedindo “celeridade na recuperação ambiental” da área ardida.


Em comunicado, o movimento cívico refere ter contactado os municípios de Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Viana do Castelo e Cerveira, “no sentido de que estes dêem uma resposta célere e firme às necessidades prementes do território afetado pelas chamas”.

“Apelando à responsabilidade civil, nesta missiva o Movimento SOS Serra d’Arga propõe que os municípios planeiem a implementação de ações de reflorestação, a arrancar já no início do outono, com recurso a espécies autóctones devidamente adaptadas e apropriadas a cada área específica”, refere a mesma nota.

O movimento apela a que os autarcas “usem os instrumentos ao seu dispor para exigir uma investigação rigorosa deste crime e a devida punição dos responsáveis”.

Na carta enviada aos autarcas, a que O MINHO teve acesso, é sublinhado que “a terra” com que o movimento se comprometeu (Serra d’Arga) encontra-se “sob ataque”.

“A nossa Serra Sagrada está em chamas, a ser assassinada ainda neste instante, por via de um dos crimes mais torpes que o ser humano já inventou”, contextualiza o grupo.

“As intervenções de preservação da natureza precisam, mais que nunca, de planificação e, sobretudo, de continuidade”, apela o movimento, mostrando-se “disponível para colaborar”.

Anúncio

Alto Minho

Caminha vai fazer minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19

No dia 2 de novembro

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Caminha está a promover uma ação junto da população para ser feito um minuto de silêncio, às 12:00, da próxima segunda-feira, dia 2 de novembro, Dia de Finados e de Luto Nacional pelas vítimas da covid-19 decretado pelo Governo.

“A ideia é a de motivar as pessoas a, dentro de cada contexto e de cada possibilidade, pararem o que estão a fazer ao meio-dia da próxima segunda-feira, juntando-se a toda a comunidade num minuto de silêncio sentido que será acompanhado pelo toque das sirenes dos Bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora e pelo som dos sinos das igrejas de todas as paróquias”, explica a autarquia em comunicado.

O presidente da Câmara, Miguel Alves, citado no comunicado, considera que se “trata de um momento simbólico e naturalmente voluntário”.

“Num singelo minuto de reflexão interior, pretendemos honrar as vítimas da doença e agradecer a todos os que a combatem, das diferentes formas. Pedimos às pessoas para pararem o que estão a fazer, se puderem, de modo a criarmos um cordão invisível de homenagem a quem tanto sofre. Sei que os trabalhadores do Município estão sensibilizados para o momento e quero referir a pronta colaboração dos Bombeiros e do Arciprestado de Caminha mas gostava, de uma forma ou de outra, que toda a população se juntasse a nós neste gesto tão emotivo”, acrescenta o autarca.

O concelho de Caminha regista 168 casos de infeção desde o início da pandemia – tendo 67 ativos – e quatro óbitos.
Além de restrições no acesso aos cemitérios, este fim de semana a Câmara suspendeu a travessia do ferryboat “para evitar deslocações desnecessárias entre os dois lados do rio Minho”.

Continuar a ler

Alto Minho

Três funcionárias da secretaria da Câmara de Melgaço infetadas

Testados 73 funcionários

em

Foto: CM Melgaço

Três das sete funcionárias da secretaria da Câmara de Melgaço testaram positivo ao novo coronavírus, estando as restantes em teletrabalho, e o balcão de atendimento aos munícipes reabriu hoje, disse o presidente da autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o autarca Manoel Batista adiantou que, no total, foram realizados 73 testes de despiste a funcionários da autarquia.

Segundo o autarca, do total de testes efetuados na sequência de duas funcionárias da secretária geral da área financeira terem acusado positivo, foram conhecidos os resultados de 71, sendo que se constatou que uma terceira pessoa daquele serviço contraiu o SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19.

Faltam ainda os resultados de dois testes realizados na quinta-feira.

“O serviço mantém-se ativo, com quatro das sete funcionárias em teletrabalho, em casa. Na quinta-feira, o balcão único de atendimento esteve encerrado, por precaução, mas hoje já foi reaberto”, especificou.

Manoel Batista adiantou que o espaço onde funciona a secretaria geral da autarquia “já foi alvo de uma higienização profunda e de desinfeção por aerossóis”.

“As instalações estão prontas para, a partir da próxima semana, começar a receber os funcionários que estiverem em condições de poder regressar ao trabalho”, referiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.428 pessoas dos 132.616 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Alto Minho

Quatro elementos da mesma farmácia em Monção infetados com covid-19

Covid-19

em

Foto: DR

Quatro farmacêuticos da Farmácia Vale do Mouro, em Monção, testaram positivo à covid-19, anunciou a farmácia através das redes sociais.

Os funcionários estão em isolamento e as recomendações da autoridade de saúde local foram seguidas de forma a garantir a segurança dos restantes funcionários e clientes, assegura a Vale do Mouro.

Até quarta-feira, o concelho de Monção registava onze casos ativos da doença, 147 recuperações, 16 óbitos e 174 casos confirmados em acumulado desde o início da pandemia.

Continuar a ler

Populares