Seguir o O MINHO

Futebol

Moreirense afastado da Taça de Portugal

Oitavos de final

em

O golo de Shahriyar, num lance polémico, aos 87 minutos, permitiu hoje ao Santa Clara vencer o Moreirense por 2-1 e apurar-se de forma inédita para os quartos de final da Taça de Portugal de futebol.

O avançado iraniano marcou de cabeça, num lance em que colidiu com o guarda-redes Pasinato, motivando os protestos da formação de Moreira de Cónegos, depois de uma partida quase sempre equilibrada, com ligeiro ascendente vimaranense, em que o conjunto de Ponta Delgada inaugurou o marcador, por Ukra, aos 36 minutos, e a equipa da casa empatou depois, por Walterson, aos 51.

Com várias alterações face aos onzes apresentados no fim de semana, para a 13.ª jornada da I Liga – cinco nos minhotos e sete nos açorianos -, os dois conjuntos equilibraram-se quase sempre na primeira parte, com o Moreirense a privilegiar a subida gradual no terreno, à base do passe curto, e o Santa Clara a tentar atacar a baliza mal recuperava a bola.

Incisivo na pressão aos defesas ‘cónegos’, Costinha desferiu o primeiro remate perigoso do desafio, ainda fora da área, centímetros acima da trave, aos 12 minutos, mas os anfitriões responderam quatro minutos depois, numa jogada em que a bola girou entre vários jogadores, até ao ‘tiro’ rasteiro e cruzado de Matheus Silva, ligeiramente ao lado.

Em vez de encontrar o caminho para a baliza de Pasinato num movimento rápido, a equipa treinada por Daniel Ramos desfez o ‘nulo’ numa manobra de paciência que envolveu vários jogadores, concluída com o ‘disparo’ rasteiro e certeiro de Ukra, após cruzamento de Osama Rashid e bola amortecida por Costinha, de peito.

A reação do Moreirense à desvantagem foi mais forte após o intervalo, com os pupilos de Vasco Seabra a instalarem-se no meio-campo adversário e a restabelecerem o empate em seis minutos, num remate cruzado de Walterson, a aproveitar a confusão gerada na área, após canto de Felipe Pires.

Após o golo do atacante brasileiro, o jogo ficou mais ‘partido’ nos minutos seguintes, com ambas as equipas a disporem de oportunidades para contra-atacar, embora sem criar perigo.

A formação de Guimarães manteve um ligeiro ascendente até bem perto do fim, ameaçando a baliza de André Ferreira num cabeceamento de Walterson à malha exterior lateral, ao minuto 71, mas ficou reduzida a 10 elementos aos 86, quando Rosic viu o segundo cartão amarelo e consequente vermelho, após falta sobre Ukra.

Na sequência desse livre, o Santa Clara insistiu no ataque e Shahriyar cabeceou para o fundo da baliza, num lance em que chocou com o guarda-redes Pasinato, validado pelo árbitro Rui Costa após consulta ao videoárbitro, sob intensos protestos de ambos os bancos de suplentes.

O golo do avançado iraniano garantiu a melhor prestação do Santa Clara entre todas as participações na Taça de Portugal, com os insulares agora à espera do desfecho do jogo dos oitavos de final entre SC Braga e Torreense, agendado para as 15:30 de quarta-feira, para conhecerem o próximo adversário.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.

Moreirense – Santa Clara, 1-2.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Ukra, 36 minutos.

1-1, Walterson, 51.

1-2, Shahriyar, 87.

Equipas:

– Moreirense: Mateus Pasinato, Matheus Silva, Lazar Rosic, Steven Vitória, Afonso Figueiredo (Anthony D’Alberto, 90+1), Ibrahima Camará, Alex Soares (David Tavares, 72), Gonçalo Franco (Filipe Soares, 90+1), Felipe Pires (Yan, 81), Walterson e Derik Lacerda (Rafael Martins, 72).

(Suplentes: Kewin, Anthony D’Alberto, Nahuel Ferraresi, David Tavares, Filipe Soares, Yan e Rafael Martins).

Treinador: Vasco Seabra.

– Santa Clara: André Ferreira, Sagna, João Afonso, Fábio Cardoso, João Lucas, Osama Rashid (Nené, 85), Anderson Carvalho, Costinha (Lincoln, 90+5), Ukra, Diogo Salomão e Shahriyar.

(Suplentes: Marco, Rafael Ramos, Mikel Villanueva, Nené, Lincoln, Carlos Jr. e Cryzan).

Treinador: Daniel Ramos.

Árbitro: Rui Costa (Associação de Futebol do Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rosic (75 e 86), Fábio Cardoso (79), David Tavares (79), Steven Vitória (89) e Filipe Soares (após o final do encontro). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Rosic (86).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Futebol

Rúben Amorim espera que “estrelinha da sorte” permita derrotar SC Braga

Taça da Liga

O treinador de futebol do Sporting, Rúben Amorim, disse hoje esperar um grande jogo na final da Taça da Liga com o SC Braga, no sábado, puxando pela “estrelinha da sorte” que o tem acompanhado na carreira.

Rúben Amorim, que falava na conferência de imprensa de antevisão ao encontro marcado para Leiria, acredita que não haverá grandes diferenças em relação ao jogo em Alvalade, na 12.ª jornada da I Liga (vitória ‘leonina’ por 2-0).

“Podem mudar alguns jogadores, mas as ideias de jogo não mudam. Vai ser um jogo muito competitivo. Um golo no início do jogo pode tornar o jogo completamente diferente”, afirmou, insistindo na ideia de que “as incidências do jogo podem mudar tudo”.

Para este encontro, Rúben Amorim, que venceu a final do ano passado ao comando dos bracarenses [1-0 ao FC Porto, com um golo de Ricardo Horta, aos 90+5 minutos], está longe de esperar facilidades, contudo, mostra não ter esquecido as características dos jogadores que treinou na época passada.

“Espero um SC Braga muito igual ao que tem vindo a ser. Conheço bem o plantel e é uma equipa muito forte, e que entende os momentos do jogo. Vamos tentar desequilibrar e criar espaços. Acho que vamos fazer um grande jogo”, disse.

Diante do FC Porto, no encontro da meia-final [vitória por 2-1], os golos dos ‘leões’ foram apontados nos últimos minutos, já depois dos ‘azuis e brancos’ terem inaugurado o marcador. Uma situação que tem acompanhado o Sporting esta temporada e que o treinador acredita tratar-se, por um lado, da forte vontade dos jogadores, mas por outro de sorte.

“O mérito tem de ser dado aos jogadores. Eles acreditam até ao último momento. Não depende da equipa técnica. Se dependesse da equipa técnica, marcávamos logo nos primeiros minutos. E falo em estrelinha porque muitas vezes a sorte tem um papel importante na nossa vida. Quanto mais falo, mais tenho. Por isso aproveito para falar aqui”, afirmou.

Diante dos ‘arsenalistas’, Amorim garantiu a presença de Tiago Tomás no ‘onze’ e levantou a ‘ponta do véu’ em relação à eventual utilização de Nuno Mendes e Sporar, jogadores que não tiveram autorização por parte da DGS para defrontar o FC Porto, depois de ‘falsos positivos’ ao novo coronavírus.

“Só quando eles estiverem perfilados para entrar é que podemos ter certezas. Os factos comprovam que estávamos certo. Isso é o mais importante para nós. Estávamos a defender os nossos jogadores. O facto de poderem jogar agora, prova que estávamos certo”, afiançou.

Por sua vez, o jovem avançado Tiago Tomás garantiu que a equipa está motivada para defrontar e vencer o SC Braga.

“Será uma final, por isso ainda mais confiantes. Sabemos da nossa qualidade e queremos ganhar o jogo. Estamos a disputar uma final e, como em todos os jogos, temos de ganhar. Não vai ser diferente. Vamos dar o nosso melhor”, garantiu.

Desde que chegou à equipa principal do Sporting, o jovem, de 18 anos, já fez o gosto ao pé em todas as competições, exceto na Taça da Liga, situação que quer inverter, mesmo estando a viver um sonho.

“Quando entrei no Sporting, há sete anos, isto era só um sonho. Agora, é uma realidade e não há tempo para deslumbramentos. Espero que amanhã [sábado] possa marcar um golo para ter golos em todas as competições”, desejou.

O Sporting defronta no sábado o SC Braga, na final da Taça da Liga, em partida que se realiza no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, a partir das 19:45, e que será arbitrada por Tiago Martins, da AF Lisboa.

Continuar a ler

Futebol

Treinador garante que Famalicão “vai atingir objetivos propostos no início da época”

João Pedro Sousa

O treinador do Famalicão admitiu hoje que está “confiante que vai ser possível atingir os objetivos propostos no início da época”, na antevéspera do encontro com o Vitória SC, da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

João Pedro Sousa revelou-se um homem “sereno”, mas sobretudo confiante no futuro.

“Continuo confiante e sossegado. Mas, principalmente, confiante nos jogadores, na equipa, muito confiante no clube e confiante na qualidade do nosso trabalho do dia-a-dia. E confiante que vamos atingir os objetivos a que nos propusemos no início da época”, revelou em conferência de imprensa de antevisão da partida com os vimaranenses.

O técnico da equipa famalicense não acredita no desgaste do adversário e defendeu estar à espera de um jogo difícil.

“Desgaste, não creio. As equipas profissionais estão preparadas para jogar num curto espaço de tempo. De três em três, de quatro em quatro dias. Penso que o Vitória vai ser forte como tem sido até esta jornada”, afirmou.

O treinador teceu ainda grandes elogios a Ricardo Quaresma, mas também ao coletivo da equipa de Guimarães.

“Se o Quaresma me encanta? Como adepto, é uma delícia ver o Quaresma a jogar. Como treinador adversário do Quaresma, é um problema. Mas o problema não é só o Quaresma. É um coletivo muito forte. É uma equipa forte, está a fazer um excelente campeonato. Alia as exibições aos resultados. Vamos ter uma tarefa difícil, no entanto não fugimos às nossas responsabilidades e à vontade de querer ganhar o jogo”, concluiu.

João Pedro Sousa salientou que esta foi uma semana “mais alegre” depois da vitória nos Açores, frente ao Santa Clara.

“Temos que ser honestos e dizer que trabalhar sobre vitórias é muito mais agradável do que trabalhar sobre resultados negativos. Foi isso que aconteceu, felizmente. A semana foi boa, foi mais motivadora, mais alegre do que tem sido. Mas a atitude e entrega foi rigorosamente a mesma. Satisfaz-nos perceber que tivemos êxito fruto do trabalho que fizemos na semana anterior”, frisou.

Sobre a possível entrada de mais reforços, o treinador do Famalicão deixou a hipótese no ar: “Estamos sempre no mercado. Não necessariamente à procura de alguma aquisição, mas temos que estar atentos. É nossa obrigação. Se surgir algum negócio, muito bem, se não surgir, ficamos com os que temos”.

O Famalicão, no 13.º lugar, com 14 pontos, recebe este domingo, às 20:15 horas, o Vitória SC, na sexta posição, com 23, numa partida da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Continuar a ler

Futebol

Paulo Sérgio quer Portimonense sem relaxar na visita ao Moreirense

I Liga

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Portimonense, Paulo Sérgio, pediu hoje à equipa “concentração” e considerou que os jogadores “não podem relaxar” se quiserem vencer no terreno do Moreirense, no domingo, na 15.ª jornada da I Liga de futebol.

“Nós procuramos ser iguais a nós próprios em casa e fora, e temos de procurar estar concentradíssimos, não podemos relaxar nada por termos vencido esta partida [1-0 na receção ao Belenenses SAD], temos de manter os mesmos níveis de concentração e de ambição para que as nossas competências consigam ser idênticas e somar os pontos fora que temos somado em casa”, afirmou o treinador na antevisão do encontro.

O técnico insistiu na necessidade de a equipa manter os níveis exibicionais a cada jogo e somar na partida diante do Moreirense o segundo triunfo consecutivo para conquistar pontos e chegar ao final do campeonato com a manutenção assegurada.

“Não podemos relaxar. Às vezes, dá a sensação de que a equipa relaxou um pouco e não é igual a si própria no jogo seguinte, é isso que nós temos hoje na mente e temos focado muito esse assunto durante toda a semana com os atletas. Não se pode relaxar, porque com duas vitórias seguidas dá-se um salto bonito na classificação e no fundo é à procura disso que nós vamos a Moreira de Cónegos”, garantiu.

Paulo Sérgio destacou o equilíbrio que se verifica entre as equipas que lutam por fugir aos últimos lugares da classificação e considerou que o Portimonense deve preocupar-se mais em vencer e somar pontos do que com o lugar que ocupa atualmente na tabela classificativa.

“As contas fazem-se no fim, mas é agora que temos de ir amealhando. Mais do que pensar na classificação atual, o que é importante é ir somando pontos para chegarmos à 34.ª jornada tranquilos e com o Portimonense na I Liga”, afirmou.

O técnico argumentou que “não é tanto a classificação em si momentânea que é um objetivo, mas sim o somar pontos para uma batalha” que vai ser “dura”, porque “há um vasto conjunto de equipas” que, segundo o técnico, “são muito semelhantes” numa “competição vai ser muito dura até final”.

O treinador considerou também que, “mesmo quando se ganha, há coisas que não são tão bem executadas” e a equipa técnica procura “trabalhar em cima dessas coisas que estão menos bem” e “aquelas que estão bem para sedimentar”, vendo “erros cometidos para não voltarem a ser repetidos”.

Paulo Sérgio disse que esse é um trabalho “muito aturado e exaustivo de análise para que não se volte a repetir o mesmo tipo de erros” e fazer a equipa “crescer e evoluir, quer individual quer coletivamente”.

“O Moreirense é uma equipa boa, tem muito bons executantes, tem um plantel muito interessante e sabemos que não é tarefa fácil. Mas é um dos oponentes, nós não fazemos diferente e não nos encolhemos em lado nenhum, esta é a ideia e a mentalidade e queremos ir disputar o jogo com a ambição de trazer os pontos para Portimão”, afirmou ainda o técnico da equipa algarvia.

O Portimonense ocupa o 12.º lugar da I Liga, com 14 pontos, menos três do que o Moreirense, que está na sétima posição.

O jogo está marcado para domingo, às 17:30, no parque desportivo comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.

Continuar a ler

Populares