Seguir o O MINHO

Desporto

João Sousa eliminado no Japão

Open de Tóquio

em

Foto: DR / Arquivo

O tenista João Sousa foi esta segunda-feira eliminado na estreia no torneio de Tóquio, ao perder com o japonês Yoshihito Nishioka na primeira eliminatória na prova da categoria ATP 500 em piso duro.

João Sousa, 62.º classificado do ‘ranking’ mundial, perdeu frente a um tenista posicionado ligeiramente abaixo na hierarquia do circuito masculino, na qual ocupa o 77.º lugar, pelos parciais de 7-5 e 6-3, após uma hora e 28 minutos de confronto.

O vimaranense parecia lançado para conquistar o primeiro ‘set’ quando obteve a primeira quebra de serviço do encontro e serviu com o resultado favorável em 5-4 para fechar o parcial, mas permitiu que Nishioka vencesse os três jogos seguintes e se impusesse por 7-5.

No segundo parcial, João Sousa, de 30 anos, permitiu a quebra ao adversário no terceiro jogo de serviço e nunca mais conseguiu recuperá-lo, tendo Nishioka fechado o encontro no primeiro ‘match point’ que dispôs.

Anúncio

Futebol

José Mourinho vai treinar o Tottenham, de Inglaterra

Da Premier League

em

Foto: Twitter / Arquivo

O treinador português José Mourinho, que estava no desemprego há quase um ano, é o sucessor do argentino Maurício Pochettino no comando do Tottenham, anunciou hoje o 14.º classificado da Liga inglesa de futebol.

Mourinho, de 56 anos, volta à Premier League, depois de duas passagens pelo Chelsea (2004/05 a 2007/08 e 2013/14 a 2015/16) e uma pelo Manchester United (2016/17 a 2018/19), que o despediu em 17 de dezembro de 2018.

Na sua carreira, o treinador luso, que já venceu duas edições da Liga dos Campeões, uma Liga Europa e uma Taça UEFA, além de oito campeonatos nacionais, também orientou Benfica, União de Leiria, FC Porto, Inter Milão e Real Madrid.

Continuar a ler

Futebol

Reformulação das competições europeias não retira vagas a Portugal

Portugal está no sexto lugar do ‘ranking’ da UEFA

em

Foto: Divulgação/FPF

A próxima reformulação das competições europeias de futebol, com a introdução da Europa Conference League, não irá alterar as vagas destinadas à participação portuguesa, caso Portugal consiga manter o atual sexto posto no ‘ranking’ da UEFA.

O organismo que rege o futebol europeu decidiu avançar para a criação de uma nova prova sob a sua égide, anunciada em 2018, numa tentativa de dar mais competição às federações-membro para o período entre 2021 e 2024.

Neste momento, Portugal discute com a Rússia o sexto lugar da hierarquia, uma vez que esse posto atribui diretamente duas vagas para a Liga dos Campeões, uma para a fase de acesso à prova mais importante de clubes da UEFA e outras três para a Liga Europa.

Em comunicado, a UEFA escreve que “espera mudanças que melhorem o equilíbrio competitivo, o apelo comercial da Liga Europa e garantam níveis mais altos de participação dos campeões nacionais”, assim como “uma representação mais ampla das associações nacionais no futebol europeu de clubes ao longo da temporada”.

A Liga Europa, que vai ter o vencedor da prova a entrar diretamente na Liga dos Campeões no ano seguinte, passa do atual formato de 48 equipas para 32, igualando o modelo da ‘Champions’, com oito grupos de quatro equipas, seguida das fases a eliminar (oitavos de final, ‘quartos’, ‘meias’ e final), sendo que a ronda dos 16 avos de final deixa de existir, passando a disputar-se um ‘play-off’ entre os terceiros classificados da fase de grupos da prova mais importante de clubes e os segundos classificados da Liga Europa para aceder aos ‘oitavos’.

O mesmo acontece para a nova competição da UEFA, com os terceiros classificados da Liga Europa e disputarem igualmente um ‘play-off’ com as equipas que terminarem em segundo lugar nas ‘poules’ da Europa Conference League, com o vencedor da competição a entrar também de forma direta para a fase de grupos da Liga Europa na edição seguinte.

Esta nova estrutura para as competições europeias garantirá que, pelo menos, 34 federações nacionais da UEFA estejam representadas na fase de grupos de uma ou mais competições, havendo um mínimo de 14 campeões nacionais na fase de grupos da Liga dos Campeões, entre oito e 11 campeões nacionais na fase de grupos da Liga Europa e entre nove e 12 campeões nacionais na fase de grupos da Europa Conference League.

Todas as associações-membro da UEFA terão acesso às três competições de clubes e as suas quotas permanecerão inalteradas.

Continuar a ler

Desporto

Miguel Oliveira mantém o número 88 em 2020 numa grelha com três novidades

MotoGP

em

Foto: DR / Arquivo

O piloto português Miguel Oliveira (Tech3 KTM) vai manter o número 88 na próxima época do Mundial de MotoGP, de acordo com a lista oficial divulgada hoje pela organização do campeonato.

O português, que fez toda a carreira nas classes inferiores com o número 44, viu-se obrigado a trocar a numeração utilizada na sua mota no início desta temporada para não colidir com o espanhol Pol Espargaró (KTM), que já usava o 44.

Na listagem dos pilotos inscritos para 2020, destaque para a confirmação de 22 motas na grelha de partida, incluindo três novidades.

A KTM oficial do sul-africano Brad Binder (número 33), a KTM do espanhol Iker Lecuona (número 27), que será companheiro de Miguel Oliveira na Tech3, e a Honda oficial do espanhol Alex Márquez (número 73), novo companheiro de equipa do irmão e campeão do mundo, Marc Márquez.

De fora deverá ficar o francês Johann Zarco, que a meio de 2019 decidiu abandonar a KTM, apesar de ter negociado um lugar na Reale Avintia Racing, com uma Ducati privada de 2019, nos últimos dias.

De acordo com a lista oficial hoje divulgada, o checo Karel Abraham e o espanhol Tito Rabat são os donos das duas motas disponíveis na marca.

Continuar a ler

Populares