Seguir o O MINHO

Braga

Hospital de Vila Verde alvo de ciberataque e pedido de resgate

Constrangimentos nas marcações de consultas e exames

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO / Arquivo

O Hospital da Misericórdia de Vila Verde foi alvo, no fim de semana, de um ataque informático que paralisou os softwares e provocou constrangimentos nas marcações de exames e consultas, informou hoje a instituição, acrescentando que “os piratas exigem um resgate para operacionalizar novamente todos os sistemas da unidade de saúde”.

Em comunicado, a Misericórdia de Vila Verde adianta que “está a ser preparada a denúncia do ciberataque às autoridades, nomeadamente à Polícia Judiciária e aos serviços do Ministério da Saúde”, acrescentando que “é um ataque de ransomware, em que os hackers encriptam os dados informáticos para depois exigirem dinheiro para os devolver”.

“O pedido de resgate foi feito aos responsáveis do sistema informático do hospital da Misericórdia de Vila Verde que manteve contacto com os piratas”, acrescenta a instituição, sem revelar os valores pedidos.

A Misericórdia explica que ciberataque afetou a funcionalidade de vários setores do hospital, mas as consultas previstas para esta segunda-feira foram realizadas, e apenas a falta de acesso ao sistema está a comprometer a realização de faturação e pagamentos.

“Sem avançar consequências práticas deste ataque, realçamos que estamos a desenvolver todos os esforços para minimizar o impacto deste ataque e resolver a situação com a maior brevidade possível, e mais adiantamos ter mantido toda a atividade clínica”, refere.

Citado no comunicado, o provedor, Bento Morais, afirma que “até a normalidade ser restabelecida, informa-se que se manterão as consultas e exames no nosso hospital, e só alertamos os doentes que o sistema de faturação esteve em baixo durante todo o dia, mas nunca paramos de cuidar da saúde dos nossos doentes”.

Populares