Seguir o O MINHO

Alto Minho

Paredes de Coura reduz dívida em mais de 754 mil euros em 2021

Aprovado por unanimidade

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Paredes de Coura diminuiu, em 2021, a dívida em 754.442,77 euros e registou uma taxa de execução da receita de 87%, segundo o relatório e contas aprovado, por unanimidade, em Assembleia Municipal, foi hoje divulgado.

“Conseguimos resultados muito positivos que evidenciam contas saudáveis, rigorosas e que reforçam a consolidação do equilíbrio financeiro, alcançado nos últimos anos. A dívida atual e consolidada é de 5.061 936,88 euros, o que representa uma diminuição de 754.442,77 euros”, sublinhou o presidente da câmara, Vítor Paulo Pereira em comunicado hoje enviado às redações.

O relatório e contas de 2021 foi aprovado, na sexta-feira, por unanimidade, em Assembleia Municipal daquele concelho. Naquele órgão, têm assento 11 deputados do PS, quatro do PSD e dois do PCP.

O relatório e contas refere “também que as despesas efetuadas em 2021 foram de 13.165 599,64 euros, o que representa um acréscimo de cerca de 10%”.

“Esta variação nas transferências correntes ficou a dever-se aos apoios às instituições de solidariedade social e humanitárias, ao comércio local e à população em geral”, explica o autarca socialista, observando que, “no ano de 2021, e ainda atualmente, foram muitos os courenses que viveram tempos muito difíceis”.

“Procuramos estar sempre próximos daqueles que sofreram mais os efeitos indesejáveis desta pandemia[covid-19]. As famílias, as empresas, os comerciantes e as instituições sociais continuarão a enfrentar muitas dificuldades e nós procuraremos ter políticas capazes de atenuar os efeitos nefastos desta crise que atravessamos”, apontou.

Segundo Vítor Paulo Pereira, “o apoio às famílias foi uma preocupação, com subsídios de natalidade, apoios escolares e à manutenção do rendimento, através de várias modalidades”, sublinhando ainda também que, em 2021, o município investiu “quase um milhão de euros na educação”.

Na nota, a autarquia realça a conclusão, “em breve” da nova ligação da A3 a Paredes de Coura, a requalificação e ampliação da zona industrial de Formariz, bem como terá início a construção da nova zona industrial de Linhares”.

“No sector farmacêutico está em fase de conclusão a primeira fábrica de vacinas e preparamos o arranque de mais duas unidades, bem como a construção de um armazém de produtos farmacêuticos com laboratório e controlo de qualidade. Este investimento estimulará novos investimentos na área da biotecnologia, pelo que Paredes de Coura será pioneira na produção industrial de vacinas, o que constitui motivo de orgulho para todos nós”, apontou o autarca.

Vítor Paulo Pereira garante que o executivo municipal está “permanentemente focado na criação de condições que favoreçam a implantação de empresas de base tecnológica que serão responsáveis pela criação de emprego qualificado”.

“O futuro pertence àqueles que estão dispostos a perder o equilíbrio. Equilíbrio nas contas e desequilíbrio ou ousadia na arte de pensar o desenvolvimento de Paredes de Coura. Nos tempos que correm, arriscar, ser inquieto e ousado é o que de mais sensato se pode fazer. Não há verdadeiro desenvolvimento sem decisões corajosas. Estamos dispostos a lutar e a correr riscos. A gente de Paredes de Coura sabe disso”, frisou.

De acordo com Vítor Paulo Pereira, “as rubricas que mais recursos consumiram ao orçamento municipal foram as zonas industriais, a educação e a cultura, a coesão social, a reabilitação urbana e a rede viária”.

“Apostámos no investimento estratégico e não esquecemos as freguesias”, disse, acrescentando que “de 2017 a 2021, o investimento nas freguesias do concelho foi de 8,5 milhões de euros”.

Populares