Seguir o O MINHO

Guimarães

Guimarães: José Neves doa dois terços da fortuna para causas sociais

Economia

em

Foto: DR

O empresário José Neves, de Guimarães, anunciou hoje que irá doar dois terços da fortuna ao movimento Giving Pledge, fundado por Bill Gates e Warren Buffett, de forma a ajudar as principais causas sociais em todo o mundo.


De acordo com o jornal Público, o CEO da Farfetch é o primeiro português a aderir a este movimento.

“Fui aceite pela Giving Pledge, que é a iniciativa de Bill e Melinda Gates e de Warren Buffett para filantropos que prometeram doar mais de 50% da sua fortuna. No meu caso, foi dois terços”, disse esta quarta-feira o empreendedor aos jornalistas, no Porto, antes de apresentar um dos projetos-piloto de uma fundação que criou.

Neves declara que a adesão ao movimento solidário global passa por um “gesto de gratidão” e “um sentimento de dever, de missão”.

“Quando sentimos um dever, sem uma carga moral associada, um dever fazer, porque é o que tem de ser feito, chega o momento de começar a partilhar”, disse, classificando o movimento como “uma rede fantástica”.

O movimento fundado pelo casal Gates reune duas vezes por ano para “ouvir especialistas e trocar ideias” no que toca à filantropia.

Em 2019, a edição portuguesa da revista Forbes classificou o vimaranense como o quarto homem mais rico do país.

O empresário, que também tem residência em Londres e tem a Farfetch como o seu principal ativo, tem uma fortuna estimada em 1010 milhões de euros.

Vimaranense José Neves é o quarto mais rico de Portugal

Segundo a revista, a maioria dos milionários nasceu rico ou herdou uma fortuna. O vimaranense está na categoria dos que construíram a partir do zero.

Na primeira posição estava Maria Fernanda Amorim, com uma fortuna de 4,1 mil milhões de euros. Alexandre Soares e Vítor da Silva Ribeiro completavam o pódio.

Anúncio

Guimarães

Guimarães cria portal para mostrar agenda cultural

Cultura

em

Foto: DR

O Município de Guimarães criou um portal que vai disponibilizar, em breve, toda a agenda cultural em formato digital, anunciou esta sexta-feira o município.

Em comunicado, o município acrescenta que concertos, teatro e recriações de artes performativas são algumas das propostas que a partir de hoje já estão disponíveis para consulta na nova plataforma digital (ver aqui).

“Este será o portal de tudo o que acontece em Guimarães, disponibilizando em breve toda a agenda cultural em formato digital”, sublinha.

Os conteúdos disponíveis resultam de gravações feitas em tempos de confiamento com artistas de Guimarães e com recurso maioritariamente a empresas audiovisuais do território concelhio, “com uma opção de utilização de espaços inusitados do concelho”.

Continuar a ler

Guimarães

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães

Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais

em

Foto: Rui Dias / O MINHO

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães. Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais.

Depois de demolidas as fábricas já é possível ver a extensão do terreno onde vai acontecer a maior expansão da cidade de Guimarães nos últimos 20 anos.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Nas palavras do vereador do Urbanismo, Seara de Sá, trata-se de uma “revolução tranquila”, que irá modificar todo o quarteirão. Tranquila porque é uma operação que se poderá estender ao longo dos próximos dez anos.

Esta operação urbanística surge na sequência de dois pedidos de informação prévia à Câmara de Guimarães, um relacionado com a instalação de uma grande superfície comercial e outro para um projeto de urbanização.

Área de intervenção. Foto: Google Maps

“Definiu-se, nos dois processos que decorreram praticamente em paralelo, que a consolidação e a aceitação de uma superfície comercial média implicaria a abertura de vias para que o projeto fosse o menos intrusivo possível”, justificou Seara de Sá.

Os terrenos serão sucessivamente transformados em terrenos urbanos, através de loteamentos que darão origem a uma nova área urbana.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Novos arruamentos

A meio da avenida Afonso Henriques, próximo do Centro Cultural Vila Flor, “será aberta uma nova via que ligará à rua Colégio Militar”, explicou o presidente da Câmara, Domingos Bragança.

Uma segunda artéria parte da rua Eduardo Almeida, junto ao Hotel de Guimarães e desce até à rua da Caldeiroa. Há medida que os terrenos forem sendo urbanizados nascerão outras ruas.

Foto: Rui Dias / O MINHO

No âmbito do acordo com o promotor imobiliário, a Câmara ficará com a antiga fábrica do Arquinho avaliada em 1,5 milhões, como compensação pelas taxas de urbanização. Os arruamentos serão também da responsabilidade do promotor imobiliário.

O edifício da fábrica será preservado e servirá para expandir o campus de Couros da UMinho. Segundo Domingos Bragança, há forte possibilidade de ali se vir a instalar o curso de Engenharia Aeroespacial da Escola de Engenharia da UMinho.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Fábrica do Arquinho. Foto: Google Maps

“É uma área promissora e a Fábrica do Arquinho poderá ser a localização para essa futura escola”, referiu Domingos Bragança.

Naquela zona poderá também instalar-se uma extensão da plataforma Fibernamics, dedicada à investigação de novos materiais.

Num futuro próximo o muro que acompanha grande parte da lateral da avenida Afonso Henriques, bem como do lado oposto do quarteirão, na rua Colégio Militar, vai desaparecer para dar lugar a uma nova cidade, no coração de Guimarães.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães Jazz em risco após aumento de casos no concelho

Concertos da 7ª edição do Westway Lab passam para o online

em

Seiva. Foto: Rita Carmo

A Autoridade de Saúde deu parecer negativo à realização de concertos com presença de público, no âmbito do Westway LAB. Também o Guimarães Jazz, que se realiza em novembro, corre risco de não se realizar nos moldes tradicionais.

A Oficina, submeteu à Proteção Civil Municipal toda a documentação exigida, no entanto, tendo em consideração a atual situação epidemiológica do concelho de Guimarães, a Autoridade de Saúde desaconselhou a realização das atividades com público, apesar do plano de contingência apresentado pel’A Oficina “cumprir todas as normas emitidas pela DGS”.

Recorde-se que um espetáculo de stand-up, com Hugo Sousa, Nilton e A Pipoca Mais Doce, na noite de sábado, dia 10, que teve quase mil pessoas na plateia, gerou muita polémica, principalmente nas redes sociais. Em reação, o presidente da Câmara, Domingos Bragança, suspendeu todos os espetáculos no concelho.

Na sequência deste incidente teve lugar uma reunião extraordinária da Proteção Civil Municipal, que decorreu na passada terça-feira, em que ficou estipulado que todos os eventos, mesmo cumprindo as normas legais em vigor, teriam de se submeter a um parecer prévio da Autoridade de Saúde. Para o efeito, as organizações ficaram, desde esse momento, obrigadas a remeter o pedido à Unidade de Saúde Pública com 10 dias de antecedência.

Desde logo, ficou em risco a realização do Westway LAB que arrancava nesse mesmo dia, com uma conferência e tinha o primeiro concerto anunciado para o dia seguinte.

Em comunicado, A Oficina anuncia que devido a esta decisão os concertos com a presença de público, no âmbito da 7.ª edição deste evento, bem como a sessão do Cineclube de Guimarães agendada para domingo, foram cancelados.

Os concertos vão ter transmissão digital através das redes sociais.

A devolução do valor dos bilhetes poderá ser efetuada nos locais habituais de venda de ingressos d’A Oficina.

Em comunicado, a entidade “lamenta o sucedido e compromete-se a continuar a garantir, como principal prioridade, a salvaguarda da saúde e segurança de todos os intervenientes nas atividades por si organizadas”.

Fica agora em dúvida a realização da 29.ª edição do Guimarães Jazz, agendada para de 12 a 21 de novembro.

Continuar a ler

Populares