Seguir o O MINHO

Guimarães

Guimarães investe mais de 1.7 milhões em apoio a 94 instituições de solidariedade

“Uma das prioridades é criar condições de dignidade e independência para quem de ajuda precisa, na medida do possível”

em

Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães. Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães vai investir 1,716 milhões de euros em apoios financeiros a 94 instituições de solidariedade que se destacaram ao nível de “qualidade e interesse dos projetos” ou de “criatividade e inovação”, anunciou hoje a autarquia.

Num comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal de Guimarães aponta ainda como critérios para distinguir as instituições “a consistência e adequação do orçamento” e “a capacidade de angariar outras fontes de financiamento e o número potencial de beneficiários”.

“Um dos pilares das sociedades contemporâneas é o apoio a toda a população, nomeadamente nas idades mais frágeis que são as do berçário, jardins-de-infância e centros de dia e lares”, realça, no texto, o presidente da autarquia, Domingos Bragança.

Segundo o governante, “uma das prioridades é criar condições de dignidade e independência para quem de ajuda precisa, na medida do possível”.

Em relação ao trabalho das associações, o autarca elogiou a qualidade das propostas de intervenção contempladas com apoio financeiro e frisou a diversidade, desde intervenção social, o apoio a pessoas com fragilidades físicas e/ou mentais, a animação sociocultural à formação de jovens.

“Para nós, estes apoios são considerados não como uma despesa, mas como um investimento. Não sei se poderemos manter o nível de apoio nos próximos anos em tão elevada fasquia, mas não deixaremos de ter em conta o que consideramos essencial para cumprir as premissas da nossa política social”, concluiu.

Anúncio

Guimarães

Guimarães: GreenWeek promove mercado para venda de objetos usados

Sustentabilidade ambiental

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

O programa GreenWeek Guimarães vai organizar um mercado no dia 22 de setembro, no Largo Condessa do Juncal, “exclusivamente para objetos usados”, desde antiguidades, numismática, filatelia e livros a mobiliário.

O objetivo é “sensibilizar e mobilizar” a população para a “sustentabilidade ambiental”, anunciou hoje a autarquia, referindo que as inscrições para bancas de venda já estão abertas.

A autarquia salienta que o GreenWeek “têm por base o despertar e mobilizar a comunidade para os alertas, valores e princípios da defesa do ambiente, através de ações de entretenimento, pedagógicas, lúdicas, atividades físicas, expressão artística e cultural”.

Os interessados em participar no mercado da segunda mão devem enviar e-mail para [email protected]

Continuar a ler

Guimarães

Primeira edição do Festival Guimarães Clássico arranca com Quarteto Al-Pari

Uma “aposta na música erudita”

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A primeira edição do Festival Guimarães Clássico arranca esta segunda-feira à noite com o Quarteto de Cordas Al-Pari (Polónia) e representa uma “aposta na música erudita”, referiu a câmara local.

Em comunicado enviado hoje, a Câmara Municipal de Guimarães declara que a música erudita entra assim na programação cultural de agosto como um “reforço”.

“Esta é uma aposta que tem vindo a conquistar público e de uma forma regular”, sublinha no texto o adjunto da vereadora da Cultura, Paulo Lopes da Silva.

Segundo o responsável, “existe um modelo que tem sido implementado numa lógica de residências artísticas e complementa-se com este festival, permitindo uma interação com músicos de referência no panorama internacional e também na captação de novos talentos”.

Para o diretor artístico, Emanuel Salvador, “Guimarães é uma cidade interessante para este tipo de eventos” apontando as igrejas e as salas de concerto num espaço físico concentrado.

“Esta é uma oportunidade para usufruir dos contactos e complementar a parte académica numa filosofia de interação entre os alunos locais e estrangeiros”, salientou.

O programa regista a participação de “ilustres convidados”, entre músicos da Royal Opera House e da Deutsche Oper de Berlim.

O concerto de abertura está agendado para hoje, às 21:30, na Igreja de S. Pedro com o Quarteto de Cordas Al-Pari. Segue-se, na quarta-feira, o Concerto “Souvenir de Florence”, às 18:00, no Santuário da Penha, com o Quarto de Cordas de Guimarães e convidados (Tomasz Tomaszewski, Emanuel Salvador, Emilia Goch Salvador, Alicja Gusciora, Filipe Quaresma e Elzbieta Rychwalska).

Na quinta-feira, a Sala da Duquesa do Paço dos Duques de Bragança acolhe o concerto “Guimarães Academia”, pelas 16:00, e para sexta-feira está programado o concerto “Tchaikovsky-Tchaikovsky”, na Igreja da Nossa Senhora da Oliveira, às 21:30.

O concerto final, no sábado, às 21:30, será “Viva Vivaldi” e conta com o violinista Vasko Vassilev e com a Orquestra do Festival Guimarães Clássico.

O Festival Guimarães Clássico é um projeto conjunto do Quarteto de Cordas de Guimarães e da Câmara Municipal, que tem o intuito de promover a música de câmara, tendo como base os membros do Quarteto de Cordas de Guimarães e várias figuras que durante uma semana partilham o palco e as salas de aula com jovens músicos de Portugal e do estrangeiro.

Continuar a ler

Braga

UMinho entre as 500 melhores universidades do mundo

Ranking de Xangai

em

Foto: O MINHO

A Universidade do Minho voltou a aparecer no top 500 do Ranking de Xangai, a mais antiga lista global de universidades, que foi publicada na última semana.

O Ranking de Xangai, editado desde 2013 e precursor dos rankings de universidades e cursos superior, leva em consideração seis indicadores como o número de artigos publicados nas revistas Nature e Science, o número de citações de artigos científicos de investigadores das universidades e o desempenho per-capita de cada instituição nos diferentes parâmetros.

São também considerados antigos alunos e professores contemplados com as medalhas Fields, respeitantes à investigação em Matemática, ou prémios Nobel.

Entre as instituições nacionais, só a Universidade de Lisboa consegue oito pontos relativos a prémios relevantes atribuídos a membros do seu corpo académico. E a explicação para este resultado é o prémio Nobel da Medicina atribuído em 1949 a António Egas Moniz, que era professor da Universidade de Lisboa.

A lista só discrimina os lugares das universidades até ao 100.º lugar a partir daí, são colocadas em grandes invervalos. A Universidade do Minho está no 401-500, bem como a Universidade Nova de Lisboa.

A melhor instituição portuguesa é a Universidade de Lisboa, que está no 151-200. A Universidade do Porto está no 301-400.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares