Seguir o O MINHO

Braga

Gerês “não teve mais gente” este ano, afirma associação empresarial

Turismo

em

Foto: DR

A Associação Empresarial do Vale do Homem (AEVH) considerou hoje que o Gerês “não teve mais gente” este verão do que nos anteriores, referindo um acréscimo de “procura interna” que “colmatou” a falta de emigrantes e turistas estrangeiros.


Em declarações à Lusa sobre a época de verão em Terras do Bouro, vila do distrito de Braga considerada a principal porta de entrada para o Parque Nacional Peneda- Gerês, o responsável pela AEVH, Carlos Silva, justificou a “falsa perceção” de ter havido “muito mais gente” no local devido a uma maior procura por parte de turistas nacionais.

Carlos Silva admitiu, no entanto, que o verão durante a pandemia de covid-19 “foi bom” e “ajudou a equilibrar” alguns setores de atividade.

“Ao contrário do que se deu a entender, este ano não houve mais gente no Gerês. Houve mais procura interna, por parte do turista nacional, mas que veio colmatar a falta dos emigrantes”, explicou.

Segundo Carlos Silva, o verão “foi uma época boa” para o turismo mas o “principal impacto” foi no setor do alojamento.

“Ao nível do alojamento foi um ano muito bom, com uma procura maior que os anos anteriores mas essa procura não teve igual reflexo na restauração e no comércio”, disse.

Carlos Silva salientou o “voto de confiança do turista nacional” na área.

De acordo com o responsável, ” começou a sentir-se cedo um aumento por parte de turistas nacionais que, por regra, ou viajam para o estrangeiro ou para outras zonas do país, mas que, este ano, se viram impedidos ou com mais dificuldades para o fazer”.

“Por outro lado, recebemos menos pessoas de fora e, sobretudo, não tivemos o regresso dos nossos emigrantes que, no verão, por si só, costumam encher a vila, os cafés, restaurantes, alojamento e mexer muito com a economia local, que foi também muito afetada com o cancelamento das festas populares”, continuou.

A AEVH deu ainda conta que os efeitos da procura não se sentiram só no verão: “Mal acabou o confinamento [devido à covid-19] começamos a ter procura de alojamento, mas agora mais de casas do que de quartos isolados”.

Apesar de o verão ter “de alguma forma ajudado a equilibrar” a economia local, aquela associação empresarial reforçou que o atual quadro de pandemia tem sido muito “duro” para a zona.

“O verão ajudou mas não salvou, por assim dizer. Os nossos associados sentiram e continuam a sentir um forte e muito negativo impacto causado pelos condicionalismos da pandemia”, alertou.

Anúncio

Braga

Ex-chefe da investigação criminal de Braga da GNR acusado de peculato

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério Público (MP) acusou um militar da GNR de Braga de peculato e abuso de poder por alegadamente ter falsificado os mapas mensais de suplementos remuneratórios, logrando assim receber indevidamente 5.400 euros.

Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Regional do Porto, o arguido era chefe do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Braga.

“Enquanto responsável pelo preenchimento e envio para processamento dos mapas mensais de suplementos remuneratórios, de novembro de 2011 a outubro de 2016, incluiu o seu nome enquanto beneficiário do suplemento de escala, embora não tivesse direito a receber tal suplemento”, refere a nota.

O Ministério Público concluiu que, dessa forma, o arguido recebeu indevidamente o montante líquido de 5.400,17 euros.

O arguido está ainda acusado de ter ordenado aos militares do efectivo do Núcleo de Investigação Criminal, seus subordinados, que o substituíssem na execução do serviço para que ele estava escalado.

Continuar a ler

Braga

Trânsito caótico em Braga. Ambulâncias com dificuldade para chegar ao hospital

Trânsito

em

Foto: redes sociais

A cidade de Braga, sobretudo nos seus diferentes acessos, tem vivido um final de quarta-feira caótico no que ao trânsito rodoviário diz respeito.

As longas filas na variante Norte, que ultrapassam as bombas de combustível Cepsa, em Maximinos, chegando ao nó de Ferreiros, ao pé do E.Leclerc, são algumas das reportadas por automobilistas ao final da tarde.

Também em outros locais, como na Av. Padre Júlio Fragata, quem vem da Variante Sul da circular, está a ser experenciada idêntica situação junto ao Braga Parque, nos acessos à Av. António Macedo e à Variante de Prado.

No já célebre Nó de Ínfias, na rotunda ao pé do Sá de Miranda, o trânsito chega a estar parado durante 15 minutos, bloqueado nos acessos aos colégios e ao centro da cidade.

Há registo ainda de dificuldades para ambulâncias de corporações de fora de Braga mas que são servidas pelo Hospital Central, localizado na cidade.

Algumas testemunhas publicaram nas redes sociais os gestos solidários de automobilistas ao abrirem “caminho” para que as ambulâncias possam superar as longas filas.

(notícia atualizada com a correção do dia da semana)

Continuar a ler

Braga

Braga com diminuição acentuada nos casos ativos, mas há mais nove mortos em dois dias

Covid-19

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

O concelho de Braga regista hoje 1.180 casos ativos de covid-19, menos 176 do que na segunda-feira e menos 284 do que na passada quinta-feira, mostrando uma clara tendência de descida.

O município contabiliza agora 7.782 casos desde o início da pandemia, mais 151 desde segunda-feira.

Estes números foram apurados por O MINHO junto de fonte local da saúde atualizados às 17:00 desta quarta-feira.

Há ainda mais 318 doentes curados desde segunda e 587 desde quinta, totalizando 6.495 recuperações desde o início da pandemia.

Há 107 óbitos a lamentar, mais nove em dois dias.

Por fim, estão 1.839 pessoas em vigilância ativa, menos 113.

Continuar a ler

Populares