Seguir o O MINHO

Região

Gangue roubou ouro em Póvoa de Lanhoso, sapatos em Vizela e telemóveis em Celorico de Basto

Crime

em

Foto: Ilustrativa / PJ

A Polícia Judiciária de Braga deteve, hoje, seis homens, suspeitos da prática de crimes de roubo qualificado com utilização de armas de fogo, homicídio tentado e furto qualificado.


Os detidos praticaram quatro assaltos, o primeiro dos quais, a 17 de fevereiro, a um funcionário da Ourivesaria Minhota, da Póvoa de Lanhoso, de nome Cristóvão, que foi abordado, numa estrada rural em Ponte de Nasceiros, Vilela por quatro deles, encapuzados e com arma de fogo, obrigando-o a sair do carro onde seguia – arrastando-o pela janela – , vindo da feira das Caldas das Taipas. Levaram objetos em ouro no valor de 300 mil euros, dos 500 mil que levava na viatura.

Detido gangue suspeito de assalto violento a ourives em Póvoa de Lanhoso

Depois de terem assaltado o «ourives», e quando fugiam em dois carros da marca BMW, com matrículas falsas, foram apedrejados por trabalhadores que estavam numa obra na zona e que se aperceberam do crime. Aí, dispararam vários tiros para o ar e alguns para os trabalhadores, tendo um deles passado a milímetros de um dos visados.

A seguir, tentaram, ainda, incendiar um dos bmw’s, regando-o com gasolina, mas fugiram sem o fazer por terem ouvido as sirenes das viaturas da GNR que os perseguiam.

Sapatos em Vizela e telemóveis em Celorico

O segundo assalto foi feito em maio pelas 3h00 da madrugada numa fábrica, a Asial Indústria de Calçado, de onde levaram mil pares de sapatos, valendo 30 mil euros.

Para entrar fizeram um buraco com um metro de diâmetrro na parede das traseiras e carregaram os sapatos, fugindo, em seguida.

O terceiro assalto de que são suspeitos ocorreu a 15 de junho último, pelas 04h00, na Sociedade Naturana Portuguesa Confeções, em Nogueira do Cravo, Oliveira de Azeméis, onde penetraram após terem rebentado a porta. Lá dentro, pensaram que as forças policiais estariam a chegar, pelo que se assustaram fugindo sem nada furtar.

A 20 de maio assaltaram, ainda, um armazém da Euronics, na zona industrial de Crespos, em Celorico de Basto, – pertencente à sociedade Dário A. Almeida – tendo feito um buraco na parede. De lá de dentro furtaram 16 telemóveis que valem 2.945 euros.

A detenção dos seis homens foi feita em cumprimento de mandados de detenção emitidos pelo Ministério Público – DIAP de Guimarães, em localidades do Grande Porto (Valongo) e em Guimarães,

Os detidos são: José Eduardo Cabeças, Miguel Jacinto da Silva, José Bernardo Monteiro, Lídio Prudêncio Barrela, Flávio Ricardo Cabeças, Carlos Manuel Lucas e Jair Cardoso Oliveira.

Igualmente foram cumpridos vários mandados de busca domiciliária e não domiciliária, sendo apreendidas armas de fogo, munições, objetos de ouro, dinheiro, além de equipamento para comunicações.

Os crimes de roubo qualificado e homicídio tentado ocorreram no pretérito dia 17 de fevereiro, numa freguesia do concelho da Povoa de Lanhoso, sendo vítimas um ourives, abordado com violência na via pública, quando conduzia a sua viatura automóvel, onde transportava várias peças e objetos em ouro, no valor estimado de cerca de 500.000 euros e um transeunte, que assistiu ao roubo, tendo os autores efetuado disparos com arma de fogo na sua direção, só não o atingindo por mera casualidade.

Os detidos vão ser presentes às autoridades judiciárias competentes no Tribunal de Guimarães, para primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação.

O MINHO contactou, a propósito, um dos advogados de defesa, João Ferreira Araújo, de Braga, que nada quis adiantar por causa do segredo de justiça. Disse apenas que o seu constituinte não está indiciado por tentativa de homicídio.

Anúncio

Braga

Nove meses depois, passeio que aluiu junto ao estádio de Braga vai ser reparado

Obras públicas

em

Foto: Facebook de Sílvia Lopes

O passeio da Rua de São Martinho, que aluiu há cerca de um ano face a uma intempérie, vai começar brevemente a ser reparado, disse a O MINHO o presidente da Junta de Real, Dume e Semelhe.

Aquela parte do passeio, situado na freguesia de Dume, a poucos metros do Estádio Municipal, cedeu com o mau tempo no passado dia 20 de dezembro de 2019, conforme noticiou O MINHO.

Esta sexta-feira, uma utente da via publicou algumas fotografias nas redes sociais dando conta do estado em que se encontrava o passeio, lamentando que “quem lá passa, tem de ir pela estrada onde os automobilistas não reduzem a velocidade”.

O MINHO contactou Francisco Silva, autarca, que adiantou que a obra de reparação já se encontra em concurso, devendo arrancar durante as próximas semanas.

“Posso adiantar que a reparação desse passeio, que é uma obra ainda com alguma envergadura tendo em conta a cota de terreno e incluir um muro de suporte da via, já estará em concurso público”, assegurou.

O presidente da Junta de Real, Dume e Semelhe explica que foram necessárias várias diligências e um tempo de espera considerável para conseguir chegar a um entendimento sobre de quem seria a responsabilidade.

Francisco Silva avança ainda que fez um pedido à autarquia para que aproveitem esta reparação para requalificar os passeios que vão desde a rotunda do Estádio até quase às portas da cidade.

“É uma zona onde passa muita gente em altura de jogos e os passeios estão muito degradados, é uma vergonha para aquela zona, dada toda a sua envolvência”, vincou o autarca.

Sobre o estado em que o passeio ficou ao longo dos últimos nove meses, Francisco Silva refere que, inicialmente, o local estava vedado, assim como parte da estrada, que é municipal. “Foi feita uma análise técnica e foi garantida a circulação sem prejuízo para a segurança”, acrescentou.

Intervenção na Rua Costa Gomes

Francisco Silva dá nota ainda de duas futuras obras na freguesia de Real que se provam de extrema importância para o contexto urbano de Braga. Uma será a intervenção na variante de Real, na rua da Feira, que irá desde as escolas até à zona do Pópulo. Aquela via será repavimentada.

Também a requalificação da Rua Costa Gomes está nos planos do autarca. Na assembleia municipal de junho, Francisco Silva tinha lamentado os atrasos para o avanço desta obra, mas assegura que agora já estão a ser dados os últimos retoques, uma vez que já está tudo homologado entre Câmara e Infraestruturas de Portugal, por se tratar de uma estrada nacional. “É para ir a concurso o mais rápido possível”.

Continuar a ler

Alto Minho

Fátima Campos Ferreira emociona-se ao recordar os 15 anos que viveu em Valença

Televisão

em

Foto: Print TVI

A conhecida apresentadora e jornalista Fátima Campos Ferreira recordou, na sexta-feira, a infância e juventude passadas em Valença, onde nasceu e cresceu até aos 15 anos.

Em entrevista a Manuel Luís Goucha no programa Você na TV, na TVI, a apresentadora conta que o pai era funcionário alfandegário e trabalhou 16 anos no concelho de Alto Minho.

“Os meus pais foram felizes mas Valença era pequena”, recorda a apresentadora, relembrando “amigas e pessoas que ainda hoje” a acompanham na vida.

Dá nota da “insuficiência” que se vivia no sistema de ensino, revelando que foi o pai, homem instruído em economia e finanças, que lhe deu a escolaridade.

A jornalista emocionou-se ao recordar a morte da mãe, aos 84 anos, e do pai, 15 dias depois da morte da mãe.

Fátima Campos Ferreira tem, atualmente, 62 anos, e é conhecida por ter apresentado durante mais de uma década o programa da RTP “Prós e Contras”.

É licenciada em História e em Jornalismo, tendo apresentado o Jornal da Tarde da RTP.

Pode ver a entrevista aqui.

Continuar a ler

Alto Minho

Monção reforça quatro bibliotecas escolares

Literatura

em

Foto: Ilustrativa

A Câmara de Monção dotou as bibliotecas escolares do concelho com novas publicações para promover o livro e a leitura junto de crianças e jovens, informou hoje a autarquia do distrito de Viana do Castelo.

Em comunicado, o município explicou que o reforço do espólio literário abrangeu quatro bibliotecas escolares (Monção, Tangil, Mazedo e Pias) que receberam de várias publicações infantojuvenis recomendadas no Plano Nacional de Leitura, da autoria de conhecidos escritores portugueses.

Com a iniciativa, adiantou a autarquia, “pretende-se alargar o número de publicações ao dispor dos alunos, através da inclusão de publicações lançadas nos últimos tempos, facilitando, ainda, um contacto com a escrita de autores consagrados e recentes da literatura nacional”.

Continuar a ler

Populares