Seguir o O MINHO

Braga

Estudantes da UMinho “compreensivos” com encerramento da academia

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O presidente da Associação Académica de Braga disse hoje que os estudantes da Universidade do Minho, encerrada devido ao surto de covid-19, estão a ser “compreensivos com a medida adotada” e que a acham “até prudente”.

Em declarações à Lusa sobre o encerramento de toda atividade letiva e dos edifícios da Universidade do Minho (UMinho), quer em Guimarães, quer em Braga, Rui Oliveira explicou ainda que a edição deste ano da “Gata na Praia” foi também cancelada, assim como “todas as atividades até 14 de abril”.

A Gata na Praia ia ter lugar de 13 a 18 de abril, na Praia da Rocha, em Portimão, sendo que o presidente da associação académica revelou ainda algum “alívio” por parte da autarquia de Portimão pelo cancelamento da atividade.

“Claro que os alunos, e todos, estão preocupados com a situação, principalmente com a situação letiva uma vez que as aulas e exames vão ser afetados. Mas estão a reagir com preocupação e acham até prudentes as medidas anunciadas”, apontou Rui Oliveira.

Quanto à Gata na Praia, “foi uma decisão da Associação Académica tendo em conta as recomendações que as autoridades têm feito e para a Câmara de Portimão foi também um alívio”, sendo que, disse, “a própria autarquia ia sugerir o cancelamento da atividade.

Já há casos confirmados de pelo menos duas pessoas infetadas com o novo coronavírus em Portimão.

Hoje, a Universidade do Minho anunciou o encerramento das instalações, das atividades académicas, reuniões e saídas, depois de ter sido confirmado um caso de covid-19 na comunidade estudantil.

Além da Gata na Praia foram também canceladas a Start Point Academy, a Academia à Conversa, Assembleia de Delegados, Competição Desportiva da FADU, Dias + por +, [email protected], FórUM Núcleos e MeetUp.

Também os Bares Académicos de Braga e Guimarães, Espaço AAUM, onde se inclui LIFTOFF – Gabinete do Empreendedor, GIP – Gabinete de Inserção Profissional e Place Me. Gabinetes de Apoio ao Aluno de Braga e Guimarães e reprografias dos campi estarão fechados.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos, havendo mais de 114 mil infetadas em mais de uma centena de país.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 463 mortos e mais de 9.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5.000 pessoas.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do País, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

Anúncio

Braga

Braga com viatura adaptada para desinfeção de ruas

Covid-19

em

Foto: Divulgação / AGERE

Uma viatura adaptada à desinfeção de ruas está, desde este sábado, ao serviço do concelho de Braga, após reforço da AGERE.

A adaptação da viatura foi levada a cabo pela Perfect Eventos, Braga Eventos e Uselabel, segundo informa a empresa responsável pelos resíduos e limpeza de ruas no concelho bracarenses.

Com esta nova viatura, a AGERE passa a colaborar ativamente com as juntas de freguesia para a desinfeção de espaços públicos, embora a medida não seja recomendada pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

Desinfeção das ruas sem efeito na contenção do contágio, diz DGS: “Não é uma medida que se recomende”

A diretora geral da saúde afirmou no passado dia 25 de março que não há evidência científica que as desinfeções de vias e espaços públicos sejam eficazes contra o contágio pelo novo coronavírus.

“Para a doença covid-19 não há nenhuma evidência científica que sejam eficazes [as desinfeções] e portanto não é uma medida que se recomende”, afirmou Graças Freitas na conferência de imprensa diária no Ministério da Saúde, em Lisboa.

Para a diretora-geral da saúde, “não é prioritário ter trabalhadores a desinfetar ruas”, para combater o contágio pelo novo coronavírus, como acontece em algumas autarquias, porque não há qualquer certeza que tenha influência.

“O que vai travar a covid-19 é estarmos distantes uns dos outros”, frisou Graça Freitas.

 

Continuar a ler

Braga

Estafeta da Telepizza ferido após despiste na circular em Braga

Acidentes

em

Foto: O MINHO

Um jovem de 27 anos, estafeta da cadeia de restaurantes Telepizza, sofreu ferimentos na sequência de um despiste ao final da tarde deste sábado, na entrada da circular urbana de Braga, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O condutor seguia na descida proveniente do Hospital de Braga quando, por motivos desconhecidos, entrou em despiste, já na entrada da variante do Braga Parque.

Apesar do aparato, o jovem acabou por sofrer apenas escoriações nos membros superiores e inferiores, sendo estabilizado no local pelos Bombeiros Voluntários de Braga, que fizeram o transporte da vítima para o Hospital de Braga.

A PSP de Braga registou a ocorrência.

Continuar a ler

Braga

Sete suspeitos de tráfico vão ser libertados por falta de espaço na cadeia de Braga

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Sete jovens suspeitos de tráfico de droga vão ser libertados da medida de prisão preventiva por ordem da juíza que conduz o processo, uma vez que, diz a magistrada, a cadeia de Braga não dispõe das condições de distanciamento impostas pelo decreto do Governo, para combater a pandemia de covid-19.

Segundo escreve o Jornal de Notícias, citando a juíza, a decisão surge após “ter sido declarada pela Organização Mundial de Saúde a pandemia por SARS-CoV-2 (Covid-19), a par do estado de emergência em que nos encontramos e que, com elevada probabilidade, será prolongado a partir dos próximos dias, além do apelo das Organização das Nações Unidas efetuado no tocante à população prisional, em particular os mais vulneráveis”.

Presos preventivamente no Estabelecimento Prisional de Braga, os jovens beneficiam da decisão da juíza por aquela cadeia não comportar condições para “o distanciamento recomendado pela Direção Geral da Saúde e a Organização Mundial de Saúde”, “isto em decorrência da sobrelotação das prisões”, e que pode trazer “consequências gravosas, caso ocorra foco de contaminação”.

Por esta altura, já deveria ser conhecida a sentença do grupo que traficava drogas duras nos distritos de Braga e Porto, mas face às condicionantes impostas pela chegada da covid-19, o julgamento foi sucessivamente adiado.

Ao que apurámos, os jovens ficarão em prisão domiciliária enquanto aguardam o retomar das sessões de tribunal.

Continuar a ler

Populares