Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende recupera casas com mais de 2.000 anos de existência

em

O Município de Esposende está a proceder à recuperação das casas do Castro de S. Lourenço, em Vila Chã, num investimento de cerca de 10.600 euros, foi hoje anunciado.

Além da reconstrução de cinco habitações, pertencentes a dois núcleos habitacionais, a intervenção contempla a reconstituição dos espaços de circulação daquele espaço que remonta ao século III A.C..

Em comunicado, a autarquia de Esposende diz estar focada “na concretização do projeto de desenvolvimento delineado para o território concelhio”, com este castro a afigurar-se “como elemento fundamental na consciencialização da população, principalmente junto dos mais novos, do ponto de vista da transmissão histórica sobre o contexto da fundação de Esposende”.

“Neste espaço decorre, anualmente, a Galaicofolia, 2000 anos de festa – (um evento cultural, de lazer e entretenimento promovido pelo Município de Esposende, com o objetivo de afirmar o património local).

Foto: Divulgação / CM Esposende

“Os trabalhos agora desenvolvidos no Castro de S. Lourenço obedeceram a critérios fundamentados pela experiência adquirida nas intervenções realizadas em outros castros nacionais e galegos e, sobretudo, nos resultados obtidos com as intervenções arqueológicas realizadas no próprio castro”, refere a nota enviada às redações.

“Assim, os edifícios foram reconstruídos maioritariamente com a pedra das sucessivas campanhas de escavação, obedecendo ao desenho dos seus alicerces, recuperados nas intervenções arqueológicas”, acrescenta.

Foram recuperados três edifícios circulares, uma estrutura oblonga, sendo a restante de planta irregular. No interior de uma delas respeitou-se o banco de pedra corrido encostado a uma das paredes.

“A manutenção e recuperação das coberturas dos cinco edifícios exige uma ação consistente, garantindo a qualidade do serviço público prestado por este local icónico do Município de Esposende, reconhecido a nível nacional e internacional”, diz a mesma fonte.

De realçar que o Castro de S. Lourenço, integrado na Rede de Castros do Noroeste, consta como o maior fator atrativo do concelho, tendo obtido o certificado de excelência pela maior plataforma de viagens do mundo que ajuda milhões de viajantes a potenciarem ao máximo cada viagem, a Tripadvisor.

Entre 2014 e 2019 foram registados mais de 68 mil visitantes, incluindo alunos e participantes em atividades de Serviço Educativo, crescimento resultante do investimento que o Município de Esposende tem feito no Castro de S. Lourenço, sublinha a autarquia.

A aquisição de terrenos, num investimento de 150 mil euros, permitiu requalificar o espaço envolvente à segunda linha de muralhas. Posteriormente foi construída a área de merendas e o circuito pedonal, zonas de estacionamento, reflorestação com espécies autóctones, recuperação do muro de pedra solta para delimitação do recinto, criação de espaço informal de anfiteatro naturalizado, instalações sanitárias e ilha ecológica, num investimento de cerca de 250 mil euros.

No CISL os visitantes têm à sua disposição o documentário “Quem somos e de onde vimos…”, que permite conhecer o Castro de S. Lourenço no contexto do Noroeste Peninsular, refletindo as vivências do castro ao longo de 20 séculos de ocupação. Os mais novos podem assistir ao filme “Caturo, o pequeno guerreiro” e os especialistas têm à sua disposição o livro “Memórias Arqueológicas do Castro de S. Lourenço” uma publicação com dois volumes.

“IDENTIDADE(S): o Homem e o Território Esposende nas origens da Cultura Castreja” é a mais recente exposição do Centro Interpretativo de S. Lourenço e, tal como a exposição “Mar Histórias”, pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00 e aos fins-de-semana e feriados, entre as 14:00 e as 18:00.

Encontra-se, ainda, em execução as ações previstas para o “Circuito Megalítico do Planalto de Vila Chã, num investimento de cerca de 30 mil euros, financiadas pela candidatura PROVERE MINHO Inovação.

Para mais informações poderá entrar em contacto com o Serviço de Património Cultural, através do 253 960 179 ou do e-mail [email protected]

Populares