Seguir o O MINHO

Guimarães

Empregada de limpeza ‘limpou’ quatro mil euros num banco em Guimarães

Dinheiro foi recuperado

em

Foto: Ilustrativa / DR

Uma mulher, de 34 anos, foi identificada pela Guarda Nacional Republicana (GNR), na terça-feira, pelo furto de dinheiro de uma instituição bancária, em Guimarães, anunciou hoje aquela força de segurança.

O facto foi denunciado às autoridades que “encetaram diligências no sentido de apurar o autor do furto e recuperar a mencionada quantia monetária”, é referido num comunicado enviado a O MINHO.

“Em resultado destes esforços, foi possível identificar a autora do furto, uma funcionária que prestava serviços de limpeza, assim como recuperada a totalidade do dinheiro furtado e a sua devolução à instituição bancária”, acrescenta o texto, sem referir a agência onde ocorreram os factos.

A suspeita foi constituída arguida, tendo os factos sido remetidos ao Tribunal Judicial de Guimarães.

Anúncio

Guimarães

Mulher ferida após cair numa mina, em Guimarães

Em Moreira de Cónegos

em

Foto: BV Vizela (Arquivo)

Uma mulher, de 67 anos, ficou com ferimentos na sequência de uma queda, numa mina de água, em terreno florestal, ao final da tarde desta sexta-feira, disse a O MINHO fonte dos bombeiros. Desconhece-se o tamanho da queda mas o poço “não tinha muita profundidade”, disse a mesma fonte.

O alerta foi dado às 17:50 para uma situação de trauma em terreno na Rua Dona Laurinda Ferreira Magalhães, em Moreira de Cónegos, concelho de Guimarães. Para o local foram oito operacionais dos Bombeiros de Vizela com uma ambulância e uma viatura de desencarceramento, para resgate da vítima.

Foi transportada para o Hospital de Guimarães com ferimentos considerados “ligeiros”. Desconhece-se as circunstâncias da queda.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães recorda D. Afonso Henriques no 834.º aniversário da sua morte

Na sexta-feira

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Grã Ordem Afonsina vai assinalar na sexta-feira o 834.º aniversário da morte de D. Afonso Henriques, “um símbolo identitário da cidade que serviu de berço ao Fundador da Nação Portuguesa”, anunciou hoje a instituição.

As solenidades iniciam-se às 16:00 com a inauguração da sede social da Grã Ordem Afonsina, no edifício do Mercado Municipal de Guimarães, seguindo-se uma palestra sobre a vida e obra de Afonso Henriques, pelo orador António José Oliveira, na Sala Dr. Emídio Guerreiro, Edifício da Sociedade Martins Sarmento.

As celebrações terminam às 19:00, com uma eucarística com a participação do Chorus Anima Populi e do organista Nuno Mimoso, na Igreja de Nossa Senhora da Oliveira.

“Guimarães tem a obrigação de honrar a memória de Afonso Henriques, na medida em que ele é, não só um símbolo identitário desta cidade que lhe serviu de berço, mas também o Fundador da Nação Portuguesa e a pedra angular da construção da grande pátria lusófona”, justifica a Grã Ordem Afonsina.

Continuar a ler

Guimarães

Ossadas humanas descobertas em Vila Real podem ser de camionista de Guimarães desaparecido

Descoberta em zona de mato ardido

em

Foto: DR

A Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real foi, esta quinta-feira, chamada para investigar o aparecimento de ossadas humanas na zona de Casas da Estrada, no concelho de Alijó, disse fonte da GNR.

Segundo a fonte, as ossadas foram encontradas por um popular numa área atingida por um incêndio, neste verão, e a “cerca de um quilómetro” da Autoestrada 4 (A4).

A Polícia Judiciária foi chamada ao local para investigar.

Em fevereiro, naquela zona da A4, localizada entre os nós do Pópulo e de Murça, perto de uma das saídas de emergência, desapareceu um camionista de 45 anos após um acidente com um camião.

Na altura, a GNR informou que quando os militares chegaram ao local encontraram o camião tombado na autoestrada, sem, no entanto, encontrarem indícios do condutor.

Aquela força policial disse que, de acordo com testemunhas e as câmaras de videovigilância da A4, o homem saiu da autoestrada perto do local do acidente.

A GNR efetuou buscas nas imediações e nas aldeias próximas, com recurso a cães, e a militares do comando de Vila Real e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS).

A queixa pelo desaparecimento do condutor foi formalizada por familiares, em Guimarães, de onde é natural.

Continuar a ler

Populares