Seguir o O MINHO

SC Braga

Dyego Sousa pode ser o sétimo jogador naturalizado a vestir a camisola de Portugal

Será o sexto nascido no Brasil

em

Foto: DR/Arquivo

O avançado Dyego Sousa, chamado hoje para a seleção portuguesa de futebol, pode tornar-se no sétimo naturalizado a vestir a camisola das ‘quinas’, sucedendo a jogadores como Deco, Pepe e Liedson.

Com alguma surpresa, o avançado do SC Braga, de 29 anos, foi incluindo na lista de 25 convocados do selecionador Fernando Santos e pode estrear-se por Portugal frente a Ucrânia ou Sérvia, em jogos de qualificação para o Euro2020.

Chamada de Dyego Sousa à Seleção é fruto do trabalho do jogador e “de muita gente”

Dyego Sousa, que chegou a solo luso com apenas 18 anos, em 2007, para representar os juniores do Nacional, tem estado em destaque esta temporada no SC Braga, em que já leva 19 golos em todas as provas, 14 na I Liga.

Em Portugal, antes de ingressar nos minhotos, o jogador nascido em São Luís do Maranhão, no nordeste do Brasil, defendeu ainda as cores de Leixões, Tondela, Portimonense e Marítimo.

Uma década depois, a seleção portuguesa pode voltar a contar com um novo jogador naturalizado, depois de Liedson, Pepe, Deco, Celso e Lúcio Soares, todos nascidos no Brasil, e de David Júlio, oriundo da África do Sul.

Em setembro de 2009, Liedson, que passou oito temporadas no Sporting, foi chamado por Carlos Queiroz para o duelo com a Dinamarca, de qualificação para o Mundial2010, e logo na estreia salvou Portugal da derrota em Copenhaga, ao marcar o golo do empate (1-1).

O ‘levezinho’ terminou a carreira com 15 jogos e quatro golos por Portugal e representou a seleção das ‘quinas’ no campeonato do mundo de 2010, na África do Sul.

Ainda em atividade está Pepe, que este ano pode mesmo superar Fernando Couto e tornar-se no defesa central com mais jogos de sempre pela formação lusa.

Tal como Dyego Sousa, Pepe chegou a solo nacional ainda como adolescente e também para a Madeira, onde foi representar o Marítimo com apenas 18 anos.

Em 2007, o central do FC Porto recebeu a chamada de Luiz Felipe Scolari e, em novembro, estreou-se, logo a titular, perante a Finlândia (0-0), no encontro que confirmou a qualificação para a fase final do Euro2008.

O defesa de 36 anos leva 103 internacionalizações e sete golos e integra a ‘restrita’ lista de seis futebolistas que chegaram à centena de jogos por Portugal.

Anos antes, em 2003, igualmente pela ‘mão’ de Scolari, Deco também optou pela seleção portuguesa, seis anos depois de ter chegado ao país, com 20 anos.

Em destaque no FC Porto, o médio foi chamado para um particular com o Brasil, numa decisão que na altura não foi unânime junto da opinião pública, e acabou por defrontar a ‘canarinha’ em março, no Estádio das Antas. Portugal venceu por 2-1, com Deco a marcar o golo do triunfo já perto do fim, de livre direto.

Deco, que acabou a carreira com 75 jogos e cinco golos por Portugal, acabou por ser determinante na campanha da seleção nacional no Euro2004, em que chegou à final, e no Mundial2006, tendo alcançado as meias-finais. O médio esteve ainda no Euro2008 e no Mundial2010.

Na década de 1970, o ‘trinco’ brasileiro Celso, do Boavista, representou três vezes a formação da ‘quinas’ e, nos anos 60, foi a vez de o central brasileiro Lúcio Soares e de o médio sul-africano David Júlio, ambos do Sporting, contarem cinco e quatro internacionalizações, respetivamente.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Futebol

SC Braga B goleia Benfica B na despedida da II Liga

Em jogo com dois penáltis e três expulsões

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O SC Braga B goleou hoje o Benfica B por 5-1, na 34.ª e última jornada da II Liga de futebol, num jogo em que beneficiou de duas grandes penalidades e em que houve três expulsões.

O Benfica B, que terminou com nove jogadores, inaugurou o marcador já em desvantagem numérica por Bernardo (19), mas o Braga B deu a volta ainda na primeira parte, por Ivan (33, de penálti) e Elias Emanuel (37).

Crespo, noutro penálti, fez o terceiro (48), Yvan bisou aos 76 e Kiki ‘engordou’ a conta aos 78 para o Sporting de Braga B, que desceu de divisão e, assim, se despediu da melhor maneira da II Liga.

Já o Benfica B encerra a prova com um ciclo negativo de cinco jogos sem vencer, mas pode ainda terminar no pódio.

A formação ‘encarnada’ jogou em inferioridade numérica quase toda a partida, porque, logo aos quatro minutos, Kalaica viu o cartão vermelho direto por derrubar Makouta, que se isolava.

Mas mesmo com menos uma unidade, o Benfica B foi sempre perigoso e, aos 19 minutos, chegou ao golo com Bernardo, bem servido por Willock, a desviar de Filipe Ferreira.

A equipa da casa chegou ao empate de grande penalidade, por Yvan (33) e, quatro minutos depois, os minhotos operaram a reviravolta, com Elias Emanuel a concluir um rápido contra-ataque conduzido por Makouta.

O Braga B aumentou a vantagem no início do segundo tempo, por Crespo, através de uma grande penalidade que puniu uma falta que não existe de Alex Pinto sobre Rodrigo (48).

Aos 59 minutos, foi expulso outro central do Benfica, Zec, e, aos 73, foi a vez de o Braga B ficar com menos um jogador, no caso Elias Emanuel, expulso por acumulação de amarelos.

Vukotic ameaçou em dois livres diretos, mas foi o Braga B a dilatar a vantagem, por Yvan, após passe de Kiki (76), jogador que estabeleceu o resultado final dois minutos depois.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio 1.º de Maio, em Braga.

SC Braga B – Benfica B, 5-1.

Ao intervalo: 2-1.

Marcadores:

0-1, Bernardo, 19 minutos.

1-1, Yvan, 33 (grande penalidade).

2-1, Elias Emanuel, 37.

3-1, Crespo, 48 (grande penalidade).

4-1, Yvan, 76.

5-1, Kiki, 78.

Equipas:

– SC Braga B: Filipe Pereira, Inácio, Rodrigo, David Carmo, Pedro Amador (Casimiro, 27), Makouta (Manuel Namora, 85), Yvan, Kiki, Crespo (Rodrigo Lima, 66), Denisson e Elias Emanuel.

(Suplentes: Ricardo Velho, Casimiro, Zé Pedro, Manuel Namora, Henry, Rodrigo Lima e André Ribeiro).

Treinador: Rui Santos.

– Benfica B: Daniel Azevedo, Alex Pinto, Zec, Kalaica, Frimpong, Mendes, Benny (Miguel Nóbrega, 71), David Tavares, Willock (Saponjic, 82), Bernardo (Vukotic, 71) e Zé Gomes.

(Suplentes: Fábio Duarte, Miguel Nóbrega, Simón Ramirez, Pinheiro, Saponjic, Jorginho e Vukotic).

Treinador: Renato Paiva.

Árbitro: Pedro Ramalho (AF Évora).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Denisson (05), Zec (32), Elias Emanuel (44 e 73), Yvan (64), David Carmo (68), Rodrigo Lima (81). Cartão vermelho direto para Kalaica (04) e Zec (59) e por acumulação de amarelos para Elias Emanuel (73).

Assistência: cerca de 150 espetadores.

Continuar a ler

SC Braga

SC Braga fecha I Liga com vitória

34.ª e última jornada

em

Foto: Twitter de SC Braga

O SC Braga fechou a época 2018/19 com uma vitória segura sobre o Portimonense, por 2-0, com golos de Xadas e Dyego Sousa, num jogo de baixo ritmo e que serviu apenas para cumprir calendário.

https://twitter.com/SCBragaOficial/status/1129499376513110021

Os bracarenses já sabiam há algum tempo que iriam terminar na quarta posição, fruto de uma ponta final ‘desastrosa’, como a apelidou o presidente dos minhotos, António Salvador, numa referência às cinco derrotas nas sete jornadas anteriores, enquanto os algarvios viram gorada a hipótese de subirem na tabela classificativa.

Os ‘arsenalistas’ vinham de três desaires consecutivos, mas um golo de Xadas, aos 12 minutos, conduziu a uma exibição que, não tendo sido de ‘encher o olho’, foi o suficiente para bater um conjunto algarvio muito desinspirado.

Foto: Divulgação/SC Braga

Foto: Divulgação/SC Braga

Foto: Divulgação/SC Braga

Foto: Divulgação/SC Braga

Foto: Divulgação/SC Braga

Dyego Sousa, aos 56 minutos, de grande penalidade, arrumou as contas de uma partida tipicamente de final de época, sem grande intensidade e com marcações menos cerradas.

Foi aproveitando esse espaço que Ricardo Horta serviu Esgaio que, com um passe atrasado, permitiu a Xadas rematar rasteiro, de primeira, inaugurando o marcador e a sua conta pessoal em toda a temporada.

Cinco minutos depois, Fransérgio ficou muito perto de marcar um dos melhores golos da temporada, mas Gonda conseguiu parar sobre a linha um tremendo ‘chapéu’ do médio brasileiro ensaiado ainda antes do meio-campo.

Um ‘tiro’ de Xadas obrigou o guardião japonês do Portimonense a defesa vistosa logo a seguir (18), e a melhor oportunidade dos algarvios na primeira parte surgiu aos 34 minutos, com Jackson a falhar o desvio após grande cruzamento de Bruno Tabata da esquerda.

Logo após o intervalo, António Folha lançou Henrique e Aylton Boa Morte, mas sem qualquer efeito – o Portimonense não existiu ofensivamente na segunda parte.

Abel Ferreira apostou em Murilo no reatamento e seria a equipa da casa a dilatar o marcador, de grande penalidade, que puniu mão de Jadson na área: Dyego Sousa, em ‘branco’ desde 10 de fevereiro, marcou o seu 15.º golo na I Liga, o 20.º do internacional português em todas as competições.

O Braga esteve perto do terceiro, por Wilson Eduardo e Murilo (87 e 90), mas Gonda mostrou muita atenção e, já em período de compensação, o Portimonense dispôs da melhor ocasião em todo o jogo, mas Aylton Boa Morte rematou ao lado.

Continuar a ler

SC Braga

SC Braga despede-se desta edição da I Liga

Frente ao Portimonense

em

Foto: DR

SC Braga e Portimonense despedem-se hoje da edição 2018/19 da I Liga portuguesa de futebol, com os algarvios ainda a terem possibilidade de terminar a prova acima do 12.º lugar.

Na 34.ª e última ronda, o Sporting de Braga recebe o Portimonense já com o quarto lugar definido, enquanto a equipa de António Folha, em caso de vitória, pode igualar provisoriamente Santa Clara e Rio Ave, oitavo e nono, respetivamente, ambos com 42 pontos.

Além da despedida da época, o encontro poderá também ser o último de Abel Ferreira no comando dos bracarenses, já que a continuidade do técnico português está em dúvida, de acordo com a imprensa desportiva.

A partida está agendada para as 20:30 e terá arbitragem de João Capela, da Associação de Futebol de Lisboa.

A derradeira jornada arrancou na quinta-feira, com o Belenenses, vindo de nove jogos sem ganhar, a derrotar o já despromovido sobre o Nacional, por 3-0, resultado que lhe permitiu subir, de forma provisória, ao sétimo lugar, com 43 pontos.

A jornada tem o ponto alto no sábado, dia em que o Benfica, líder do campeonato, recebe o Santa Clara e precisa de apenas um ponto para recuperar o título, enquanto o FC Porto, segundo, a dois pontos, tem de vencer o Sporting em casa e esperar uma derrota dos ‘encarnados’ para revalidar o título.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares