Seguir o O MINHO

Futebol

Surpresa! Dyego Sousa chamado à seleção portuguesa

em

Dyego Sousa, do SC Braga, melhor marcador do campeonato português, foi hoje convocado por Fernando Santos para os encontros da seleção nacional portuguesa com a Ucrânia e com a Sérvia, de apuramento para o Euro2020.

Dyego Sousa (SC Braga) de origem brasileira faz a sua estreia numa convocatória da seleção portuguesa, assim como o jovem João Félix (Benfica), de 19 anos, e Diogo Jota (Wolverhampton), onde Cristiano Ronaldo está de regresso.

O capitão da seleção portuguesa não joga pela seleção desde o Mundial2018 e falhou a primeira fase da Liga das Nações, regressando às escolhas do selecionador Fernando Santos para o arranque da qualificação para o Euro2020.

Dyego Sousa pode ser o sétimo jogador naturalizado a vestir a camisola de Portugal

Em relação à última convocatória, regressam também José Sá (Olympiacos), Nelson Semedo (FC Barcelona) e João Moutinho (Woverhampton), saindo Cláudio Ramos (Tondela), Cédric Soares (Southampton), Luís Neto (Zenit), André Gomes (Everton), Renato Sanches (Bayern Munique), Bruma (Leipzig) e Éder (Lokomotiv Moscovo)

Portugal inicia a sua participação no Grupo B da fase de qualificação para o Euro2020 frente à Ucrânia, em 22 de março, e com a Sérvia, em 25, ambos no Estádio da Luz, em Lisboa.

Lista de 25 convocados:

– Guarda-redes: Beto (Goztepe, Tur), José Sá (Olympiacos, Gre) e Rui Patrício (Wolverhampton, Ing).

– Defesas: João Cancelo (Juventus, Ita), José Fonte (Lille, Fra), Pepe (FC Porto), Mário Rui (Nápoles, Ita), Nelson Semedo (FC Barcelona, Esp), Raphael Guerreiro (Borussia Dortmund, Ale) e Rúben Dias (Benfica).

– Médios: Bruno Fernandes (Sporting), Danilo Pereira (FC Porto), João Moutinho (Wolverhampton, Ing), João Mário (Inter Milão, Ita), Pizzi (Benfica), Rúben Neves (Wolverhampton, Ing) e William Carvalho (Betis, Esp).

– Avançados: André Silva (Sevilha, Esp), Bernardo Silva (Manchester City, Ing), Gonçalo Guedes (Valência, Esp), Rafa Silva (Benfica), João Félix (Benfica), Dyego Sousa (Sporting de Braga), Diogo Jota (Wolverhampton, Ing) e Cristiano Ronaldo (Juventus, Ita).

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Futebol

Ivo Vieira despede-se após temporada histórica: “Vou sair do Moreirense”

“Vai ser difícil superar estes recordes, mas desejo que quem vier o consiga”

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações do treinador do Moreirense, após jogo da 34.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol disputado em Moreira de Cónegos e que terminou com a vitória dos vitorianos por 3-1:

– Ivo Vieira (Treinador do Moreirense): “A frustração não existe pelo trabalho que foi feito e pelo que os jogadores fizeram ao longo da temporada. Eu disse no lançamento do jogo que nada ia apagar o desempenho do plantel. Não temos conquistas nem títulos, mas os patamares alcançados são incríveis.

Era importante ganhar hoje ou empatar para manter o quinto, mas não é nada frustrante não ter conseguido. Os adeptos têm de estar orgulhosos, como eu, do que estes jogadores fizeram a época toda.

Vai ser difícil superar estes recordes e objetivos, mas desejo que quem vier o consiga. Desejo tudo de bom ao Moreirense porque o Moreirense foi um clube que também me projetou. Aprendi muito como treinador e cresci muito como homem. Fica um sentimento triste por não conseguirmos manter o quinto, mas frustração nenhuma. Havia um leque de equipas com mais possibilidades de ficar neste lugar, pelo orçamento e plantel, mas lutámos contra isso tudo e conseguimos.

Também tenho de agradecer aos adeptos porque sempre me apoiaram e acreditaram na nossa ideia de jogo. Obrigado porque fizeram parte deste percurso feito por mim e pelos jogadores. Os adeptos são a razão de existir do Moreirense e temos de os respeitar porque amam o clube acima de tudo e acompanham sempre o clube.

Não tenho compromisso com ninguém. Eu disse que só ia decidir a minha vida no final. A certeza que tenho é que vou sair do Moreirense. Não tenho nada fechado. Tenho o melhor de dois mundos: trabalhar ou estar em casa com minha mulher e com meu filho. Qualquer um deles é bom. Já houve algumas abordagens, mas nenhum passo certo. Não estou preocupado com isso.

Às vezes, a diferença de opinião faz-nos crescer a todos. Às vezes, não é porque discutimos uns com os outros que estamos de costas voltadas. Nem tudo foi mau. Gosto de debater ideias. Tenho uma relação normal com o presidente. Não há crispação. Querem fazer sangue, mas diferença de opinião não é sinal de sangue.

Não [acho que tivesse sido diferente se o clube estivesse inscrito]. Tivemos uma fase menos boa e a nossa equipa tinha uma identidade bem vincada. A equipa teve um comportamento excelente. Se ganhássemos os jogos todos, lutávamos por outros objetivos. Isso [a não inscrição na Liga Europa] não influenciou em nada o desempenho dos jogadores”.

“Ser o quinto treinador a conseguir em 20 anos uma participação na Liga Europa é muito bom”

Continuar a ler

Futebol

“Ser o quinto treinador a conseguir em 20 anos uma participação na Liga Europa é muito bom”

Vitória termina a época em quinto

em

Foto: Arquivo

Declarações do treinador do Vitória SC, após jogo da 34.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol disputado em Moreira de Cónegos e que terminou com a vitória dos vitorianos por 3-1.

Luís Castro: “Foi uma época muito dura. Vivemos momentos muito bons e momentos muito maus. A equipa soube sempre ir ao campo de batalha, conquistar o que queria conquistar, foi uma equipa com muita determinação. Muitas vezes não jogámos bem, mas não virámos a cara ao dia seguinte e ao trabalho. Esta é uma equipa com muito caráter. Reagimos com humildade. Mesmo nos momentos em que parecia que estava tudo mal, soubemos ver o melhor. A forma como fomos apoiados foi incondicional.

Esperava um jogo difícil. Uma equipa que estava num quinto lugar, foi ganhar à Luz e teve jogos de grande qualidade durante toda a épocas só podia criar dificuldades. Houve a tentação de dizer que nos faltavam seis jogadores para abordar o jogo, mas ao fomos por esse caminho. Ficámos por baixo do jogo e depois por cima, tivemos a humildade de saber estar por baixo e de passar para cima. A humildade é uma categoria.

Era muito importante terminar a época de consciência tranquila. Era importante atingirmos os objetivos a que nos propomos no início da época. Assumimos que queríamos chegar à Liga Europa. Mas também queríamos ganhar mais vezes. O nosso querer não significa conseguir na prática, mas tentamos tudo. Isto numa instituição onde passei há 30 anos e não tinha sido feliz como jogador. Ainda fui convocado para a UEFA, mas não joguei. Ser o quinto treinador a conseguir em 20 anos uma participação na Liga Europa, num Vitória que foi sete vezes à Europa nos últimos 20 anos, é muito bom. Também assumo: tinha sido sétimo no Rio Ave e sexto no Chaves e tinha um desejo enorme de conseguir algo mais.

Já estamos a trabalhar na próxima época desde dezembro. O planeamento da próxima época está todo feito”.

Ivo Vieira despede-se após temporada histórica: “Vou sair do Moreirense”

Continuar a ler

Futebol

Vitória ultrapassa Moreirense na última jornada e termina campeonato em quinto

Última jornada da I Liga

em

O Vitória SC conquistou hoje o quinto lugar da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa do vizinho Moreirense por 3-1, em jogo da 34.ª e derradeira jornada.

Os vitorianos tiveram de operar uma reviravolta que teve o brasileiro Davidson o principal obreiro, já que marcou o primeiro e terceiro golos do Vitória SC, aos 20 e 90+5, enquanto o 2-1 foi assinado por Osório aos 68.

Antes, aos 15 minutos, o uruguaio Texeira deu vantagem ao Moreirense, mas a derrota acabou por ser inevitável num dérbi concelhio que fechou o campeonato 2018/19.

Com este resultado o Vitória SC somou 52 pontos, os mesmos do Moreirense, roubando ao vizinho o quinto lugar que este detinha desde a jornada 27, uma vez que a equipa de Luís Castro ganha à de Ivo Vieira no confronto direto.

Face ao último encontro – goleada caseira por 5-1 sobre o Belenenses – o técnico vitoriano fez três alterações forçadas colocando Sacko, João Carlos Teixeira e Ola John. No lado contrário, em comparação com a jornada anterior, em que o Moreirense venceu por 1-0 na casa do também vizinho Desportivo das Aves, Ivo Vieira fez apenas uma alteração com Pedro Nuno a render João Aurélio.

O Vitória SC começou por rondar mais a baliza adversária, mas ora com remates desenquadrados, ora com pontapés para fácil defesa de Trigueira, não conseguia concretizar.

E como quem não marca, habilita-se a sofrer, o Moreirense fez jus ao ditado e aos 15 minutos inaugurou o marcador por Texeira que fez um segundo desvio a um remate de Pedro Nuno.

O empate só demorou seis minutos a aparecer: Davidson fez o 1-1 aos 21 minutos depois de jogada combinada por Pepe e Dodó.

As despesas do jogo estavam repartidas, com as duas equipas a tentar aproximar-se com perigo das balizas adversárias, ainda que com mais acutilância por parte dos vitorianos.

Aos 29 minutos Trigueira ‘travou’ o golo de Matheus que rematou de primeira, mas encontrou o guarda-redes ‘cónego’ no caminho e a três minutos do intervalo Rochinha, isolado e depois de passar por todos os adversários com uma arrancada pelo corredor direito, atirou ao lado.

Na segunda parte, a equipa visitante voltou a ter mais posse de bola, mas encontrou um Moreirense pouco disposto a dar espaços.

E o primeiro melhor lance até pertenceu aos donos da casa com Miguel Silva a ter de ‘voar’ para evitar um golo de Pedro Nuno, aos 54. O guardião forasteiro voltou a ‘brilhar’ quando segurou uma ‘bomba’ de Heriberto, aos 61.

O conjunto de Luís Castro – que praticamente jogou em casa, uma vez que mais de metade do estádio estava ‘forrado’ a ‘preto e branco’ – não se acanhou e, aos 68, Osório fez o 2-1 com um cabeceamento após livre de Pepe do lado esquerdo do ataque.

Até ao final do encontro o Moreirense – cujos adeptos prestaram homenagem ao treinador e jogadores com faixas onde se lia “Obrigado Ivo” e “Fizemos história” – procurou o empate, mas sempre através de cruzamentos para a área o que tornou o ataque dos locais muito previsível. Heriberto, muito insatisfeito, quase conseguia repor a igualdade com remates aos 86 e 88.

O Vitória SC, apostado em manter a vantagem, ia fazendo pela vida e tirando bolas da sua zona de perigo e na compensação conseguiu mesmo selar o triunfo com um ‘bis’ de Davidson que desviou de cabeça para golo depois de cruzamento de Guedes (90+5).

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, Guimarães.

Moreirense – Vitória SC, 1-3.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

1-0, Texeira, 15 minutos.

1-1, Davidson, 20.

1-2, Osório, 68.

1-3, Davidson, 90+5.

Equipas:

– Moreirense: Trigueira, Arsénio, Iago, Ivanildo, D’Alberto, Neto, Fábio Pacheco (Almeida, 84), Pedro Nuno (Lucas, 76), Chiquinho, Heriberto e Texeira (Nenê, 75).

(Suplentes: Nuno Macedo, Ibrahima, Alan, Nenê, Lucas, Almeida e Halliche).

Treinador: Ivo Vieira.

– Vitória SC: Miguel Silva, Dodô, Osorio, Pedrão, Sacko, Pepe, Mattheus, Ola John (Alexandre Guedes, 52), João Carlos Teixeira (Joseph Amoah, 65), Davidson e Rochinha (Hélder Ferreira, 80).

(Suplentes: Douglas, João Afonso, Alexandre Guedes, Hélder Ferreira, Joseph Amoah, Filipe Venâncio e André Almeida).

Treinador: Luís Castro.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Neto (09), Pepe (25), Fábio Pacheco (46), Iago Santos (60) e Matheus (68).

Assistência: 4.185 espetadores.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares