Seguir o O MINHO

Região

Direito de Resposta: De José Manuel Fernandes a Nuno Melo

em

Foto: DR

Na sequência do direito de resposta do eurodeputado Nuno Melo à notícia “José Manuel Fernandes é o eurodeputado português mais produtivo”, publicada em O MINHO no dia 13 de fevereiro, o eurodeputado José Manuel Fernandes, visado no texto, pediu direito de resposta.

DIREITO DE RESPOSTA

Fui surpreendido pela publicação de um texto da autoria do eurodeputado Nuno Melo (NM), que invoca o direito de resposta a propósito da notícia com o título “José Manuel Fernandes é o eurodeputado português mais produtivo”, mas apenas para poder emitir publicamente uma série de mentiras e insinuações covardes.

Por injustificadamente ser o meu nome chamado à colação, venho exercer o direito de resposta (lei nº2/99 de 13/1), que se impõe:

1- É falso que eu seja autor ou promotor de qualquer nota de imprensa sobre o MEP Ranking e os seus resultados; inclusivamente, recusei qualquer declaração ou comentário sobre o assunto; também não fiz uma única partilha ou promoção nas redes sociais.

2- Nuno Melo faz ataques pessoais e utiliza a insinuação e a falsidade para disfarçar as suas conhecidas fragilidades. A insinuação torpe de pagamentos promocionais ultrapassa todos os limites e chega a ter relevância criminal.

3- De entre os 21 eurodeputados portugueses, decidiu comparar-se apenas comigo. Acusa-me de ter mais relatórios porque sou coordenador na comissão dos orçamentos? Sou coordenador porque fui eleito pelos meus pares, por unanimidade e aclamação!

Porque é que Nuno Melo não se candidatou a coordenador na Comissão de Agricultura? É que ser coordenador, numa comissão, de um grupo político como o Partido Popular Europeu, é extremamente exigente e dá muito trabalho.

4- É lamentável e anti-patriótico que um eurodeputado português se queixe que outro tenha funções de coordenador no Parlamento Europeu. Seria muito bom para Portugal ter mais coordenadores nas comissões. Essa era a melhor forma de garantir a defesa dos interesses de Portugal que NM tanto apregoa!

5- No que toca aos números apresentados, decidiu usar apenas 5 dos 12 itens possíveis e registados pelo site em causa para se valorizar a si próprio. Optou precisamente por todos os que são menos valorizados na atividade parlamentar. Omite indicadores objetivos! Porque fala apenas de declarações de voto e outros atos burocráticos?

A argumentação não é séria e omite os indicadores fundamentais. Não refere um único relacionado com a atividade por excelência de um deputado: a atividade legislativa! Omite porque não tem atividade legislativa!

6- Eu tenho sido negociador de todos os orçamentos da UE. Fui negociador do novo Mecanismo de Proteção Civil, do Fundo de Solidariedade para Portugal e de propostas relativas aos próximos fundos. Tenho vários projetos piloto aprovados para a juventude e o desporto! Lanço todos os anos publicações de informação europeia, como as edições “Pela Nossa Terra” a coletânea de publicações sobre a UE e os fundos, a economia social e todos os programas para a juventude, assim como os concursos que lanço para as escolas e para apoiar o empreendedorismo.

7- Não trabalho para a estatística. Aliás sou o único português que está no grupo de negociação dos próximos fundos e isso não conta para a estatística! Dou o máximo todos os dias. E os factos provam-no.

8- Se NM fosse coordenador e tivesse mais influência política e trabalho parlamentar do que eu, dava-lhe os parabéns. Essa é outra enorme diferença. Essa é a grande diferença!

José Manuel Fernandes

19/02/2019


Este direito de resposta foi publicado exatamente nos mesmos termos do direito de resposta que lhe deu origem, o que inclui a divulgação na página principal de O MINHO, em ominho.pt (em destaque), na página no Facebook, em facebook.com/ominhopt e no Twitter, em twitter.com/ominhopt, e envio através de notificação ‘push’ aos leitores subscritores.

Anúncio

Alto Minho

Infetados com covid-19 de Cerveira e Valença estão todos recuperados. Eram 22

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Os 22 casos confirmados com infeção de covid-19 nos concelhos de Valença e Vila Nova de Cerveira já estão todos recuperados, não se registando qualquer caso ativo contabilizado, foi anunciado esta segunda-feira.

Em Valença, os primeiros dois casos de contágio do coronavírus foram conhecidos a 25 de março, há precisamente dois meses. O último caso ativo que ainda restava era o de uma funcionária do lar da Santa Casa da Misericórdia local, cujo resultado negativo foi conhecido esta segunda-feira.

Em declarações à Rádio Vale do Minho, o vice-provedor Hermenegildo Alves confirmou a ‘boa nova’, indicando que, em termos de casos na instituição, “está tudo arrumado”.

Já em Cerveira, foi o município a avançar a novidade, também esta segunda-feira, através do habitual relatório diário com base nos dados da autoridade de saúde local.

“Vila Nova de Cerveira apresenta-se com 0 casos ativos”, escreveu a autarquia, alertando, todavia, para que não se baixe a guarda no concelho.

Portugal registava na segunda-feira 1.330 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no domingo, e 30.788 infetados, mais 165, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Há 17.549 doentes recuperados, mais 273.

Continuar a ler

Ave

Bombeiro de Famalicão recupera e sai de coma após luta contra a covid

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Um operacional dos Bombeiros Famalicenses saiu de estado de coma induzido e ventilação mecânica em que se encontrava no Hospital de Braga depois de ter sofrido complicações de saúde devido ao vírus da covid-19, disse a O MINHO fonte da corporação.

O bombeiro foi um dos oito elementos do quartel a contrair infeção do coronavírus no início de abril, encontrando-se já recuperado da doença após dois testes negativos. “Já fala, já conhece as pessoas e está estável”, disse a fonte.

Com 56 anos, o bombeiro estava a recuperar em casa quando, em meados de abril, viu o quadro clínico agravar-se com dificuldades respiratórias. Acabou por dar entrada na ‘ala covid’ da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Braga, em meados de abril, onde ficou internado durante um mês.

Quanto aos restantes elementos, já todos testaram negativo à doença, depois de um mês conturbado no quartel, onde decorreram algumas homenagens de amigos e familiares de todo o corpo ativo, assim como de civis. Este bombeiro foi o único a necessitar de internamento hospitalar e padecia de comorbidade.

Continuar a ler

Ave

Bombeiros resgatam gatos bebé deixados para morrer num ecoponto em Famalicão

Resgate animal

em

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Quatro gatos foram resgatados por bombeiros, na segunda-feira, de dentro de um ecoponto na cidade de Famalicão, após alerta popular que dava conta de miados vindos de um dos depósitos de armazenamento de resíduos.

Segundo contou fonte dos Bombeiros Famalicenses a O MINHO, os serviços municipais do centro de acolhimento de animais deslocaram-se ao quartel para dar o alerta da situação, que ocorria no parque de estacionamento de um hipermercado situado no centro da cidade, e que a corporação não quis identificar.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Foi necessário mobilizar um camião grua que fosse capaz de subir o ecoponto de forma a retirar de lá os animais, contou a fonte, dando conta ainda da deslocação de três operacionais que estiveram envolvidos no resgate em conjunto com os serviços camarários.

Uma vez removida a parte superior do ecoponto, os operacionais encontraram quatro gatos bebé dentro de uma caixa, “três com vida mas um já morto”, disse a fonte.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

“Foram levados pelos serviços camarários para o centro de recolha animal da cidade e encontram-se bem”, acrescentou. Os animais vão, em breve, ficar disponíveis para adoção.

Foto: Facebook de Bombeiros Famalicenses

Através das redes sociais, a corporação famalicense deixa um apelo: “Se tiver algum problema com animais, procure ajuda, não os deite ao lixo”.

Continuar a ler

Populares