Seguir o O MINHO

Braga

Detido com taxa de 2,22 gramas/litro em Braga

Fiscalização rodoviária

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem de 37 anos foi detido por agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Braga por conduzir sobre efeito de álcool numa taxa acima da permitida por lei, avança aquela polícia em comunicado.

Por volta das 00:54 desta quarta-feira, na Rua Fernando Castiço, na cidade de Braga, o homem foi submetido ao teste do álcool durante uma ação de fiscalização, tendo apresentado uma taxa de álcool no sangue de 2,22 gramas/litro.

O detido foi notificado para comparecer nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal Judicial de Braga

Anúncio

Braga

Perseguição policial em Braga acaba com condutor detido

Crime

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um homem, de 41 anos, foi detido na madrugada desta terça-feira depois de uma perseguição policial movida pela PSP, no centro de Braga, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PSP dá conta da fuga na sequência de ordem de paragem dos agentes, junto ao complexo habitacional do Picoto, na cidade, com o condutor a fugir em marcha-atrás numa primeira instância.

“De seguida, foi iniciada perseguição à viatura, tendo o suspeito desrespeitado sempre a ordem de paragem e durante a fuga praticou sempre uma condução perigosa, obrigando várias viaturas a travar a fundo”, refere a polícia.

O suspeito acabou por abandonar a viatura numa rua sem saída, tendo encetado fuga apedada, acabando por ser intercetado e detido logo de seguida pelos agentes.

“Aquando a interceção esta Polícia constatou que o suspeito, um cidadão com 41 anos de idade, não possuía qualquer documento que o habilitasse para o exercício da condução e quando submetido ao teste de alcoolemia, apresentou uma TAS de 1,38 g/l no sangue”, acrescenta a nota policial.

O detido foi informado que irá ser notificado posteriormente para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Queda em cascata no Gerês mobiliza helicóptero e vários meios de emergência

Ermida

em

Foto: DR / Arquivo

Uma mulher de 35 anos sofreu ferimentos ligeiros na sequência de uma queda na cascata Fecha de Barjas, conhecida como cascata do Tahiti, no Gerês, ao início da tarde desta terça-feira.

Para o local foram mobilizados os Bombeiros de Terras de Bouro, Cruz Vermelha de Rio Caldo, UEPS da GNR e a VMER de Braga.

Foi ativado um helicóptero do INEM para transporte da vítima para Braga, disse a O MINHO fonte do CDOS. O alerta foi dado às 13:45.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inicialmente tinha sido avançado que se tratava de ferimentos graves, mas tal não se veio a confirmar após primeira análise da equipa médica no local.

(notícia atualizada às 17h47)

Continuar a ler

Braga

Câmara de Braga limpa lixeira após denúncia

Ambiente

em

Foto: DR

A Câmara de Braga limpou uma lixeira, na freguesia de Palmeira, após denúncia de um ativista ambiental à ASAE e à Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT).

A denúncia de Carlos Dobreira, feita a 20 de março, apontava que na Rua Monte da Devesa, em Palmeira, havia uma “megalixeira” com “pneus, sofás, embalagens de óleo, lonas, entulho, roupas, latas, colchões, tijolos, óleos, televisões, peças de automóveis, muitos plásticos, almofadas, beatas de cigarro, bens alimentares, telhas, cimento e equipamentos elétricos”.

“Cheira a putrefacção, avistam-se roedores e a paisagem é deprimente”, ilustrava Carlos Dobreira, falando de desrespeito pela “população da freguesia de Palmeira, dado ser um foco de insalubridade e representar um risco para a saúde pública”.

Entretanto, a IGAMAOT reconheceu que a competência de intervenção no local é da Câmara de Braga, para a qual reencaminhou a denúncia – que também já tinha sido feita ao município pelo próprio Carlos Dobreira – e solicitou que desse resposta ao ambientalista bracarense.

“Foi dado conhecimento do presente expediente ao denunciante, solicitando-se que lhe seja providenciada a resposta”, refere e-mail do IGAMAOT do dia 8 de abril.

Agora, a Câmara respondeu ao ativista, através do chefe de divisão Octávio Oliveira, informando que a lixeira foi limpa e comprovando-o com fotografias do antes e depois da operação.

Continuar a ler

Populares