Seguir o O MINHO

Ave

Cinco detidos em viatura roubada após perseguição policial em Cabeceiras de Basto

Suspeitos de vários furtos na região de Basto

em

Foto: DR / Arquivo

Cinco pessoas, dois homens e três mulheres, foram detidas na terça-feira, pela GNR, por suspeitas de cinco furtos em interior de residência nos concelhos de Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto e Fafe, anunciou aquela guarda.


Em comunicado, a GNR dá conta, ainda, de uma perseguição policial aos suspeitos, depois de os militares terem sido alertados para um furto que estaria a ocorrer em Abadim, Cabeceiras de Basto.

Viatura roubada

Enquanto se dirigiam para o local, cerca das 13:45, depararam-se com uma viatura com cinco indivíduos no seu interior, coincidindo com as características referenciadas na denúncia e que, desrespeitando a ordem de paragem dos militares, se colocou em fuga.

O veículo foi intercetado pouco tempo depois, culminando na detenção dos suspeitos e na apreensão de 6.500 euros em numerário, 15 peças em ouro, quatro telemóveis, diverso material utilizado para furtos e a própria viatura na qual se deslocavam.

Dinheiro e objetos roubados

“O material apreendido estava relacionado com furtos ocorridos nos concelhos mencionados, tornando assim os dois homens e as três mulheres suspeitos de pelo menos cinco furtos”, esclarece a guarda.

Ferramentas para assaltos

Os detidos, com idades entre os 24 e os 59 anos, vão permanecer nas instalações da GNR e serão presentes, no dia 9 de janeiro, no Tribunal Judicial de Cabeceiras de Bastos, para aplicação das medidas de coação.

Anúncio

Ave

Juiz manda prender mulher que vendia droga num café em Fafe

Crime

em

Foto: Ilustrativa / DR

Ficou em prisão preventiva a mulher de 59 anos detida por vender droga num café, em casa e na rua, em Fafe. Presente na quinta-feira a juiz, foi-lhe aplicada a medida de coação mais gravosa e encaminhada para o Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos, distrito do Porto.

A mulher foi detida por tráfico de estupefacientes, na quarta-feira, em Fafe.

Em comunicado, o Comando Territorial de Braga explicava que, no âmbito de uma investigação que decorria no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Famalicão, os militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Fafe “apuraram que a suspeita vendia droga num café, em casa e na via pública”.

Foram realizadas cinco buscas, das quais três domiciliárias, uma num estabelecimento comercial e outra em veículo, que resultaram na apreensão de 735 doses de cocaína, 93 doses de haxixe, 9.600 euros em numerário, dois telemóveis e uma balança digital.

Continuar a ler

Guimarães

Trabalhadora infetada e dez em isolamento na ACT de Guimarães

Covid-19

em

Foto: DR

Uma trabalhadora da delegação de Guimarães da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) testou positivo para a covid-19 e outros 10 foram colocados em isolamento profilático, anunciou hoje fonte daquele organismo.

Em resposta escrita enviada à Lusa, a ACT refere que já foram realizados testes a seis daqueles 10 funcionários, com resultado negativo.

Os 10 funcionários “encontram-se em isolamento profilático até ao próximo dia 28 de setembro”, acrescenta.

Diz ainda que foi igualmente efetuada a desinfeção das instalações, mobiliário e equipamentos.

A ACT diz que tomou conhecimento, no dia 15 de setembro, de que uma trabalhadora afeta ao Centro Local do Ave (Guimarães) tinha estado em contacto próximo com uma pessoa infetada com covid-19.

Assegura que foram acionadas de imediato todas as medidas previstas no seu plano de contingência, designadamente a permanência da funcionária no seu domicílio e o rastreio dos contactos próximos, contactando a Linha SNS24, como medida de prevenção.

No domingo, a ACT teve conhecimento de que a referida trabalhadora tinha testado positivo à covid-19.

“Nesse mesmo dia, o diretor do Centro Local deu indicação a todos os trabalhadores afetos ao Centro Local do Ave para contactarem a Linha do Centro de Contacto SNS24”, descreveu.

Dos contactos efetuados com as autoridades de saúde “resultou o isolamento profilático de 10 trabalhadores”, refere ainda a ACT.

A entidade garante que o plano de contingência “foi e continuará a ser cumprido escrupulosamente”, nomeadamente no que respeita à disponibilização de equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas, viseiras e solução antissética de base alcoólica.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 978.448 mortos e quase 32 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.931 pessoas dos 71.156 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Ave

Falta de transporte impede jovens com deficiência de ir às aulas em Famalicão

Covid-19

em

Foto: CM Famalicão

Crianças e jovens portadores de deficiência que frequentam o Agrupamento de Escolas de Pedome, no concelho de Famalicão, estão impedidos de comparecer às aulas por falta de transporte escolar, disse hoje o coordenador do Movimento Cidadão Diferente (MDM), Miguel Azevedo.

Para além da escola famalicense, estão na mesma situação alunos de agrupamentos escolares da Maia (Águas Santas) e de Lisboa (Benfica e Queluz).

Considerando a situação “insustentável”, o movimento alerta que os alunos se “encontrarem em casa desde o encerramento das atividades letivas, em março”, devido à covid-19, “sem quase apoio nenhum” e “muitos deles regrediram” na sua evolução cognitiva.

Em comunicado, o MDM informou ter “feito chegar a sua preocupação na quarta-feira de manhã ao Secretário de Estado Adjunto da Educação, João Costa” e que “não obteve ainda resposta”.

Citando as “respostas dos Agrupamentos de Escolas aos pais”, o MDM dá conta de queixas de “falta a autorização da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares” e de que “os concursos só foram realizados a semana passada e não sabem quando irão disponibilizar os transportes”.

Idêntica situação vivida no AE Diogo Cão, em Vila Real, segundo Miguel Azevedo, “foi, por agora, ultrapassada, com a câmara a assegurar o transporte dos alunos de e para as aulas”.

A Lusa tentou obter uma resposta do Ministério da Educação, mas até ao momento não foi possível.

Continuar a ler

Populares