Seguir o O MINHO

Região

Cinco concelhos do Minho com projetos de regeneração urbana financiados pelo IFRRU

Barcelos, Braga, Guimarães, Ponte de Lima e Viana do Castelo

em

Foto: DR / Arquivo

O IFRRU2020 – Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas deu como elegíveis projetos de cinco concelhos do Minho, anunciou hoje o Ministério das Infraestruturas e da Habitação, sem elencar, no entanto, quais são as obras.

Barcelos, Braga, Guimarães, Ponte de Lima e Viana do Castelo estão entre os 57 municípios, a nível nacional, que recebem uma fatia de um bolo de 500 milhões de euros de investimento, para um total de 164 projetos contratualizados para a reabilitação integral de edifícios.

Após as obras de reabilitação e melhoria do desempenho energético nos 164 imóveis intervencionados, “70 destes edifícios terão uso habitacional, 86 serão destinados a atividades económicas e os restantes oito a equipamentos de utilização coletiva e na área social”, avançou o gabinete do ministro das Infraestruturas e da Habitação.

“A maioria dos projetos (125) é promovida por empresas e os restantes por particulares, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e câmaras municipais”, indicou a mesma fonte, em comunicado, acrescentando que se localizam em 57 municípios das várias regiões do país.

Atingindo os 500 milhões de euros, este investimento no âmbito do IFRRU2020 vai permitir “reabilitar 770 habitações, fixar 995 novos residentes e obter uma redução anual do consumo energético após a reabilitação comparável ao consumo de três anos de um grande hospital público”, promovendo, assim, uma reabilitação urbana sustentável.

Além disso, a reabilitação dos edifícios vai “criar 2.684 postos de trabalho”, indicou fonte da tutela das pastas das Infraestruturas e da Habitação.

Os projetos em execução localizam-se nas Áreas de Reabilitação Urbana, que são delineadas pelos municípios em conformidade com a política urbana local.

Entre os 57 municípios com financiamentos IFRRU2020 estão Abrantes, Águeda, Albergaria-a-Velha, Amarante, Aveiro, Barcelos, Barreiro, Beja, Braga, Câmara de Lobos, Cascais, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Covilhã, Elvas, Évora, Faro, Ferreira do Zêzere, Figueira da Foz, Funchal, Gouveia, Guimarães, Lagos, Leiria, Lisboa, Loulé, Mafra, Mangualde, Matosinhos, Mirandela, Moimenta da Beira, Moita, Nazaré, Odemira, Oeiras, Penamacor, Pombal, Ponta Delgada, Ponte de Lima, Ponte de Sor, Porto, Póvoa de Varzim, Santa Maria da Feira, Santarém, Santiago do Cacém, Santo Tirso, São João da Madeira, Setúbal, Silves, Sintra, Soure, Trofa, Viana do Castelo, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Viseu.

Em 2018, o programa IFRRU2020 encerrou o ano com 71 contratos assinados, envolvendo 27 municípios, num investimento de 265 milhões de euros.

Criado no âmbito do Portugal 2020 (acordo de parceria adotado entre Portugal e a Comissão Europeia), o IFRRU2020 é um instrumento financeiro que visa contribuir para a revitalização das cidades e para a reabilitação integral de edifícios, com uma forte aposta na eficiência energética, através da disponibilização de empréstimos com condições mais favoráveis face às existentes no mercado (em termos de taxas de juro, maturidades e períodos de carência).

Com uma capacidade de financiamento de 1.400 milhões de euros, o IFRRU2020 “é o maior programa de incentivo à reabilitação urbana lançado em Portugal”, que proporciona “as melhores condições para todos os que pretendam investir na reabilitação do edificado urbano”, segundo informação do Ministério das Infraestruturas e da Habitação.

Anúncio

Alto Minho

“Conseguimos, car****!”: Bilheteira do Rocha em Caminha paga mão mioelétrica ao Diogo

em

Foto: Facebook de Fernando Rocha

O espetáculo solidário do comediante Fernando Rocha, em Caminha, arrecadou cerca de 13 mil euros para ajudar a comprar uma mão mioelétrica para o jovem Diogo Farinhoto. A empresa que construiu a prótese disponibilizou-se para cobrir o valor restante.

Natural de Gondar, Caminha, o jovem Diogo nasceu com uma deficiência grave. Há cerca de oito anos, através de uma campanha para que conseguisse uma prótese de braço, foi notícia em Portugal e Espanha.

Atualmente, necessitava de nova ajuda, para uma mão mioelétrica, e Fernando Rocha, conhecido comediante, decidiu ajudar com este espetáculo, que decorreu este sábado, no Pavilhão Desportivo Municipal de Caminha.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Inicialmente previsto para o Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, houve necessidade de encontrar o maior local do concelho para este tipo de eventos, dada a grande procura por bilhetes.

O comediante anunciou nas redes sociais que foram angariados 13 mil euros e que o objetivo para ajudar o Diogo “foi cumprido”.

“Apesar de não chegar para cobrir as despesas da prótese, o doutor Marco Baggini da Ortoadapta, empresa que construiu a prótese, assumiu o restante”, anunciou Fernando Rocha.

Foto: Divulgação

 

De acordo com o Âncora Praia Futebol Clube, parceiro na organização do evento, foram ainda angariados 795 euros, fruto da receita da bilheteira do jogo entre os caminhenses e o Courense, para a 1.ª divisão da AF Viana.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Cerca de 300 fiéis apoiam padre contestado (a quem apagaram as luzes da igreja) em Viana

Padre não foi bem recebido numa nova paróquia

em

Igreja de Subportela. Foto: DR

Cerca de 300 pessoas de Subportela, em Viana do Castelo, participaram neste domingo na homenagem de apoio ao pároco da freguesia que, este mês, foi impedido pelos fiéis de Santa Leocádia de Geraz do Lima de tomar posse daquela paróquia.

Em nota enviada à Lusa, a organização da homenagem a padre Adão Lima explicou que a comunidade paroquial decidiu “unir-se para celebrar e agradecer ao padre Adão Lima pelos 17 anos como pároco” em que, além da “obra distinta” que “ergueu” naquela zona, criou “emprego a 58 pessoas”.

O padre Adão Lima é pároco nas paróquias de Deão e Subportela.

Viana: Fiéis desligam luzes e abandonam igreja à entrada de novo padre

O impasse na tomada de posse do padre na paróquia de Santa Leocádia de Geraz do Lima, com cerca de dois mil habitantes e situada a cerca de 20 quilómetros da cidade de Viana do Castelo, arrasta-se desde maio de 2019 na sequência da morte do pároco anterior, João Cunha, e da nomeação, pela diocese, do sucessor, o padre Adão Lima.

Os fiéis da nova paróquia entendem que “o padre Adão Lima é uma pessoa materialista, com grandes sinais de riqueza, autoritário, inacessível, não dialogante e um mau exemplo para a comunidade”.

Desde o início do diferendo, tanto o pároco em causa como a diocese, recusam fazer comentários sobre o assunto.

Hoje, um grupo de paroquianos de Subportela preparou uma homenagem “surpresa” ao padre Adão Lima.

“Sempre demonstrou para com todos, desde os de mais tenra idade, até aos de idade mais avançada, muita amizade e consideração. Como pastor que é, compartilha connosco todos os sofrimentos, lágrimas e amarguras, mas também as alegrias e os sorrisos, cuida e conhece cada um de nós, qual pastor cuida e conhece o seu rebanho. Que continue a ser para cada um de nós o pastor, o guia e o amigo de sempre. Saudações destes paroquianos que tanto o estimam”, refere a organização da manifestação de apoio hoje realizada.

O grupo constituído por cerca de dez paroquianos de SubPortela recordou que, “em 17 anos, o padre Adão Lima, ergueu, com a população, o centro social paroquial de Deão e o centro social e paroquial de Subportela”.

“Os centros de dia, os serviços de apoio domiciliário e a estrutura residencial para pessoas idosas, dão respostas a 170 pessoas idosas de Deão, Subportela, Santa Leocádia, Santa Maria e Moreira de Geraz do Lima, Deocriste, Barroselas, Portela Susã, Vila Franca, Mujães, Mazarefes, Lanheses”.

A organização adiantou que “também a creche, em Deão, acolhe 30 crianças”.

“O padre Adão gostou muito da nossa homenagem. Ficou muito feliz com esta manifestação de apoio, por estar a viver um momento triste”, disse a organização.

Continuar a ler

Braga

Ameaça polícia com faca em casa após ser alvo de denúncia em Braga

Violência

em

Foto: O MINHO

Um homem foi detido depois de puxar de uma faca de cozinha contra dois agentes da PSP que o interpelavam, à porta do seu apartamento, devido ao ruído excessivo com o televisor, na passada sexta-feira, em Braga.

O homem, de 56 anos, provocou momentos de tensão no prédio situado na Avenida de Barros Soares, na cidade bracarense, quando apontou uma faca com lâmina de 30 centímetros aos dois agentes.

Os polícias acabaram por conseguir imobilizar o homem com recurso a gás-pimenta, não utilizando as armas de serviço. O detido acabou por cair no sofá, onde lhe foi retirada a faca e colocadas as algemas.

A denúncia foi feita por vizinhos, cerca das 22:30 da passada sexta-feira. O homem acabou por receber assistência dos Bombeiros Voluntários de Braga, mas recusou transporte hospitalar.

Será presente, na segunda-feira, aos serviços de Ministério Público do Tribunal de Braga.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

PASSATEMPO

ÚLTIMAS

Reportagens da Semana

Populares