Seguir o O MINHO

Região

Chuva, neve e vento forte terça-feira: vem aí a depressão “Gabriel”

Mau tempo no continente

em

Portugal continental vai ser afetado na terça-feira pela passagem da depressão “Gabriel”, centrada na Bretanha, França, prevendo-se períodos de chuva, queda de neve e vento forte, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


Em comunicado, o IPMA esclareceu que Portugal continental será afetado entre as 07:33 e as 23:59 de terça-feira por uma superfície frontal fria associada à depressão “Gabriel”, que estará centrada na Bretanha.

Na sequência da superfície frontal, está previsto para o continente a ocorrência de períodos de chuva, em especial nas regiões Norte e Centro, e que será fraca na região Sul.

“Esta precipitação será sob a forma de neve acima de 1.200/1.400 metros, descendo a cota para 1.000 metros na região Norte no final do dia”, adianta o IPMA.

O instituto indica ainda que está previsto vento forte com rajadas até 65 quilómetros por hora (km/h) no litoral oeste, e até 85 km/h nas terras altas.

“A influência desta depressão em Portugal será sentida em algumas das zonas marítimas de responsabilidade nacional”, salienta o IPMA.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, apresentando-se pouco nublado na região Sul até meio da manhã e diminuindo de nebulosidade nas regiões do interior a partir do final da tarde.

Estão também previstos períodos de chuva ou aguaceiros nas regiões Norte e Centro, em especial no litoral, que poderão ser de neve acima de 1.200/1.400 metros.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado predominando de noroeste, soprando por vezes forte, com rajadas até 60 km/h, no litoral oeste, e sendo forte (35 a 45 km/h), com rajadas até 80 km/h, nas terras altas.

Está ainda previsto possibilidade de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais e uma pequena subida da temperatura máxima.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 01 grau (na Guarda) e os 09 (em Faro, Setúbal, Lisboa, Santarém, Leiria e Aveiro) e as máximas entre os 09 graus (na Guarda) e os 19 (em Faro).

Anúncio

Alto Minho

Autor de massacre em Viana é suspeito de duplo homicídio cometido em saída precária

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

Um recluso da cadeia de Coimbra aproveitou uma saída precária para matar dois homens “seus conhecidos do ambiente prisional” e ocultar os corpos, conclui a Polícia Judiciária, num inquérito criminal já remetido ao Ministério Público do Porto.

O suspeito será quem protagonizou em 1995 o massacre de Vila Fria, Viana do Castelo, matando à facada um tio, uma tia e um sobrinho.

Em comunicado de hoje, a Diretoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ/Norte) informa que o processo de inquérito se iniciou com a comunicação do desaparecimento, na noite de 01 de julho de 2018, de um homem 38 anos, residente em Gondomar, “com histórico criminal e condenações por crimes contra a vida e tráfico de estupefacientes”.

Ministério Público convencido de que triplo homicida de Viana liderava narcotráfico na prisão

O comunicado omite nomes, mas notícias dessa altura davam nota do desaparecimento de um membro do chamado “Gangue de Valbom”, grupo de Gondomar que em 2006 e 2007 assaltou dezenas de ourivesarias e farmácias. O desaparecimento ocorreu após uma deslocação a Viana do Castelo “onde tinha encontro marcado com um condenado por homicídio que conhecera na cadeia de Coimbra”.

A investigação, “de muito elevada complexidade”, permitiu esclarecer que, para além daquele cidadão, dois dias depois desapareceu um segundo indivíduo, de 42 anos, também com residência em Gondomar “e com condenações a elevadas penas de prisão pela prática de crimes contra a vida”.

Para a PJ/Norte, “as múltiplas e persistentes diligências levadas a cabo durante dois anos permitiram concluir que ambos os desaparecidos foram mortos pela mesma pessoa, com a ocultação dos respetivos cadáveres”, que não foram localizados.

“Foi também possível estabelecer um nexo causal entre os dois homicídios, havendo a convicção segura de que a segunda vítima foi morta por conhecer as circunstâncias do desaparecimento e morte da primeira”, sublinha a polícia.

No comunicado, a PJ/Norte detalha que os crimes se consumaram quando o arguido estava a cumprir pena de prisão no Estabelecimento Prisional de Coimbra.

“Aproveitou uma saída precária de cinco dias para cometer os homicídios dos dois indivíduos, seus conhecidos do ambiente prisional”, relata.

Enquanto decorria o inquérito agora concluído, o arguido foi mais uma vez condenado, desta feita a 11 anos de prisão, pela prática de um crime de tráfico de estupefacientes, consumado no meio prisional, anota a PJ/Norte.

São “factos com ligações aos dois homicídios agora desvendados por esta investigação”, acrescenta.

Em 18 de novembro de 2019, um recluso foi condenado a 11 anos de prisão por liderar uma rede de tráfico de droga para a cadeia de Coimbra.

A decisão de primeira instância foi subscrita “sem reservas”, em 25 março deste ano, pelo Tribunal da Relação do Porto.

Este homem protagonizou em 1995 o massacre de Vila Fria, Viana do Castelo, matando à facada um tio, uma tia e um sobrinho. Já em abril de 2002 consumou três crimes de rapto simples e um de extorsão agravada, em Portuzelo, no mesmo concelho do Alto Minho.

É também o homem que no dia de Natal de 2001 se evadiu, junto ao hospital de Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, de uma carrinha celular do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, onde cumpria uma pena de 20 anos de cadeia.

Em 2017, já na cadeia de Coimbra, passou a beneficiar de saídas precárias.

Continuar a ler

Ave

Carrinha de mercadorias capota na A7 em Famalicão

Acidente

em

Foto: BV Famalicão / Facebook

Uma carrinha de transportes de mercadorias despistou-se e capotou, na A7, ao Km 16.6, no sentido Famalicão – Vila do Conde.

“Devido ao capotamento de uma carrinha que transportava produtos de higiene e limpeza, o trânsito ficou condicionado, processando-se a circulação apenas por uma faixa de rodagem”, referem os Bombeiros Voluntários de Famalicão, que acorreram ao local.

Não há feridos a registar.

Além dos Bombeiros de Famalicão, no local estão o Destacamento de Trânsito da GNR e elementos da concessionária.

Continuar a ler

Região

Braga e Viana em aviso amarelo com possível queda de granizo

Meteorologia

em

Foto: Rui Mesquita / Arquivo

Os distritos de Braga e Viana do Castelo estão sob aviso amarelo, entre as 14:00 e as 22:00 desta quarta-feira, devido a precipitação.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), haverá aguaceiros por vezes fortes, ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoada.

O IPMA refere ainda a possibilidade de rajadas convectivas associadas.

O aviso amarelo é o terceiro menos grave de uma escala de três e indica uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da meteorologia.

Continuar a ler

Populares