Seguir o O MINHO

Famalicão

CeNTI lidera projeto para desenvolver têxteis e cosméticos funcionais

em

O Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), de Famalicão, lidera um consórcio que vai receber 3,2 milhões de euros para “desenvolver têxteis e cosméticos funcionais” capazes de criar conforto térmico ou libertar substâncias ativas, anunciou hoje aquela entidade.

Em comunicado enviado à Lusa, o CeNTI explica que aquele consórcio, que junta oito parceiros de cinco países europeus com financiamento da União Europeia, vai desenvolver uma “nova tecnologia” através da “incorporação de nanocápsulas de base natural” em têxteis e cosméticos.

“Um dos principais objetivos é produzir os chamados têxteis de primeira camada – que estão em contacto com a pele – com propriedades funcionais, ou seja, que possam atuar consoante as necessidades de quem o utiliza. No caso do SKHINCAPS [SKin Healthcare by Innovative NanoCAPsuleS], os têxteis poderão ter dois tipos de funções: controlar o conforto térmico, tornando-se frescos com o calor ou quentes no frio, e libertar substâncias ativas diretamente para a pele humana de forma controlada”, lê-se.

O CeNTi explana que “para melhorar o desempenho dos têxteis a nível térmico, a ideia é incorporar os chamados materiais de mudança de fase (que absorvem energia durante o processo de aquecimento e a emitem durante o processo de arrefecimento), de forma a melhorar a gestão térmica do corpo humano e a trazer conforto para o utilizador”.

Por outro lado, explica o CeNTI, “os têxteis poderão incorporar nanocápsulas de libertação controlada de vitaminas e antioxidantes para reduzir os efeitos do envelhecimento da pele ou de óleos essenciais para prevenir e/ou atenuar infeções bacterianas da pele”.

Para o consórcio, “a grande novidade” destas soluções está “no facto de se trabalhar ao nível nano, produzindo cápsulas menores (atualmente são na ordem micro) que passam mais facilmente pela pele, uma barreira natural do corpo humano, e, por isso, são mais eficazes”.

O texto salienta que “até ao momento, já foi possível perceber que os produtos que estão a ser desenvolvidos no âmbito deste projeto apresentam uma elevada eficácia ao nível do custo-benefício e apresentam também uma forte capacidade de produção industrial, para além do facto de serem de base natural”.

O CeNTI coordena este projeto no qual participam mais três institutos de investigação – o Institut fuer Verbundwerkstoffe (Alemanha), a Universitat Politècnica de Catalunya (Espanha) e o Teknologian Tutkimuskeskus VTT OY (Finlândia) – e quatro empresas: a portuguesa Devan-Micropolis, a belga Pro-Active e as espanholas Bionanoplus e Telic (sendo esta última responsável, entre outros, pelo desenvolvimento de cosméticos para o Real Madrid e o Barcelona).

O CeNTI foi fundado em 2006 e está vocacionado para o desenvolvimento de novos produtos e soluções, tendo por base a nanotecnologia, além de materiais funcionais e inteligentes, resultando de uma parceira entre três universidades – Aveiro, Minho e Porto – e três entidades tecnológicas, nomeadamente o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, o CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro e o CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel.

Anúncio

Famalicão

Motard em estado grave após colisão em Famalicão

Gavião

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um motociclista, com cerca de 40 anos, sofreu ferimentos considerados “graves” na sequência de uma colisão entre a mota de cilindrada pesada que conduzia contra uma viatura ligeira, ao início da noite deste sábado, em Gavião, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O alerta foi dado às 19:05 horas, para um acidente a envolver um motociclo pesado na Avenida Santiago de Gavião, naquela freguesia.

No local estiveram os Bombeiros Famalicenses, com uma viatura e três bombeiros, acompanhados pela VMER de Famalicão.

A vítima, que não corre perigo de vida, foi transportada para o Hospital de Braga.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 21h13)

Continuar a ler

Famalicão

Centenas de bens doados a família que ficou sem nada após incêndio em Famalicão

Fradelos

em

Foto: Divulgação

Vários populares ouviram o apelo deixado por uma família residente em Fradelos, no concelho de Famalicão, e levaram até às instalações da junta de freguesia, este sábado, centenas de bens para que o casal e as duas filhas menores consigam suportar o inverno, depois de terem perdido todas as posses num incêndio urbano, na passada sexta-feira.

Juliana Alves explicou a O MINHO que “tudo ardeu” num incêndio habitacional que deflagrou na sexta-feira, na habitação onde residiam, na Rua dos Lusíadas. “O incêndio começou numa máquina de secar roupa”, conta, ainda bastante abalada com o acontecimento. “Felizmente ninguém ficou ferido”, acrescenta.

A jovem mãe de duas meninas, uma de três e outra de 13, deixa um “profundo agradecimento” a todas as pessoas, de vários cantos do Minho, que se organizaram para, este sábado, entregarem bens à família. “Estou muito comovida com toda esta solidariedade”, referiu.

Duas cidadãs, de Famalicão e de Guimarães, disponibilizaram-se, através de contacto efetuado por O MINHO, a doar mobília de quarto e fornecer uma habitação com renda acessível na região onde a família morava, estando já em contacto com a família.

A O MINHO, um dos membros do executivo da Junta de Fradelos, Rui Leite, adiantou que as pessoas compareceram e disponibilizaram bastante apoio para ajudar a família. Foi um dos elementos a coordenar a recolha de bens, durante esta tarde.

Através das redes sociais, a autarquia de Fradelos prestou “o mais profundo agradecimento” a todos que ajudaram com bens e vestuário durante este sábado, “apesar de ainda faltarem outros bens necessários”.

Informa ainda que, em relação à habitação, “está encaminhado, para que esta família continue a habitar na nossa freguesia”.

“São gestos como estes que revelam que somos um povo de uma profunda compaixão e entre ajuda para com o próximo, com sentido de dar esperança na reconstrução de um novo lar”, remata a publicação da Junta de Fradelos.

Continuar a ler

Famalicão

Famalicão é autarquia “Familiarmente Responsável” pelo sétimo ano consecutivo

Ao todo, em 2019 o Observatório distinguiu 76 municípios.

em

Foto: Divulgação

Vila Nova de Famalicão está novamente de parabéns. O município liderado por Paulo Cunha (PSD/CDS-PP) está entre os “Mais Familiarmente Responsáveis”, preparando-se agora para receber, pelo oitavo ano – o sétimo consecutivo -, a bandeira atribuída pelo Observatório dos Municípios Familiarmente Responsáveis que reconhece as boas práticas de apoio às famílias promovidas pelos municípios portugueses.

Da educação à área social, do desporto à cultura, foram muitos os argumentos elencados na candidatura apresentada pela autarquia famalicense. Paulo Cunha, reconhece que “este tem um significado especial”.

“Este é um galardão que nos deixa muito orgulhosos porque está estreitamente relacionado com a qualidade de vida que queremos proporcionar aos famalicenses e porque reconhece o impacto positivo que as políticas implementadas pelo executivo têm no dia-a-dia das nossas famílias”, referiu o autarca.

Entre as medidas promovidas, destaque para a oferta dos livros de atividades para todas as crianças do primeiro ciclo, a gratuitidade dos passes escolares para todos os alunos do concelho, desde o ensino básico até ao 12.º ano, e as bolsas de estudo aos estudantes universitários.

Famalicão é, ainda neste domínio, “Cidade Educadora” desde 2010. Ao todo, em 2019 o Observatório distinguiu 76 municípios.

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, tendo como principais objetivos acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de responsabilidade familiar.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares