Seguir o O MINHO

Famalicão

CeNTI lidera projeto para desenvolver têxteis e cosméticos funcionais

em

O Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), de Famalicão, lidera um consórcio que vai receber 3,2 milhões de euros para “desenvolver têxteis e cosméticos funcionais” capazes de criar conforto térmico ou libertar substâncias ativas, anunciou hoje aquela entidade.

Em comunicado enviado à Lusa, o CeNTI explica que aquele consórcio, que junta oito parceiros de cinco países europeus com financiamento da União Europeia, vai desenvolver uma “nova tecnologia” através da “incorporação de nanocápsulas de base natural” em têxteis e cosméticos.

“Um dos principais objetivos é produzir os chamados têxteis de primeira camada – que estão em contacto com a pele – com propriedades funcionais, ou seja, que possam atuar consoante as necessidades de quem o utiliza. No caso do SKHINCAPS [SKin Healthcare by Innovative NanoCAPsuleS], os têxteis poderão ter dois tipos de funções: controlar o conforto térmico, tornando-se frescos com o calor ou quentes no frio, e libertar substâncias ativas diretamente para a pele humana de forma controlada”, lê-se.

O CeNTi explana que “para melhorar o desempenho dos têxteis a nível térmico, a ideia é incorporar os chamados materiais de mudança de fase (que absorvem energia durante o processo de aquecimento e a emitem durante o processo de arrefecimento), de forma a melhorar a gestão térmica do corpo humano e a trazer conforto para o utilizador”.

Por outro lado, explica o CeNTI, “os têxteis poderão incorporar nanocápsulas de libertação controlada de vitaminas e antioxidantes para reduzir os efeitos do envelhecimento da pele ou de óleos essenciais para prevenir e/ou atenuar infeções bacterianas da pele”.

Para o consórcio, “a grande novidade” destas soluções está “no facto de se trabalhar ao nível nano, produzindo cápsulas menores (atualmente são na ordem micro) que passam mais facilmente pela pele, uma barreira natural do corpo humano, e, por isso, são mais eficazes”.

O texto salienta que “até ao momento, já foi possível perceber que os produtos que estão a ser desenvolvidos no âmbito deste projeto apresentam uma elevada eficácia ao nível do custo-benefício e apresentam também uma forte capacidade de produção industrial, para além do facto de serem de base natural”.

O CeNTI coordena este projeto no qual participam mais três institutos de investigação – o Institut fuer Verbundwerkstoffe (Alemanha), a Universitat Politècnica de Catalunya (Espanha) e o Teknologian Tutkimuskeskus VTT OY (Finlândia) – e quatro empresas: a portuguesa Devan-Micropolis, a belga Pro-Active e as espanholas Bionanoplus e Telic (sendo esta última responsável, entre outros, pelo desenvolvimento de cosméticos para o Real Madrid e o Barcelona).

O CeNTI foi fundado em 2006 e está vocacionado para o desenvolvimento de novos produtos e soluções, tendo por base a nanotecnologia, além de materiais funcionais e inteligentes, resultando de uma parceira entre três universidades – Aveiro, Minho e Porto – e três entidades tecnológicas, nomeadamente o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, o CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro e o CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel.

Anúncio

Ave

Homem morre colhido por comboio em Famalicão

Em Nine

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, de 80 anos, foi mortalmente colhido por um comboio, durante a tarde desta quinta-feira,  em Nine, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima estaria a atravessar os carris quando terá caído, sendo atropelado pela composição que seguia para Barcelos, junto à Rua da Estação.

O alerta foi dado cerca das 16:00 horas.

No local estão os Bombeiros Famalicenses e os de Viatodos.

A GNR investiga.

Continuar a ler

Ave

Chefe nacional escutista de Famalicão envolvido no caso ‘Luanda Leaks’

Terá sido um dos que mais trabalhou com o braço-direito de Isabel dos Santos

em

Foto: Divulgação / Escuteiros Portugueses

O envolvimento no caso ‘Luanda Leaks’ do nome do chefe nacional dos escuteiros católicos portugueses, Ivo Faria, de Famalicão, que deverá tomar posse no sábado para novo mandato, está a causar polémica e há quem defenda já a realização de novas eleições.

Em causa está o envolvimento de Ivo Faria, sócio na PwC (PricewaterhouseCoopers) nos negócios de Isabel dos Santos em Portugal e, segundo o Expresso de 18 de janeiro, terá sido uma das pessoas que mais trabalhou com Mário Leite da Silva, apontado como o braço direito de Isabel dos Santos em Portugal.

O mal-estar no Corpo Nacional de Escutas (CNE) é hoje revelado pelo jornal online 7MARGENS, que refere que uma das operações em que a PwC Portugal terá estado envolvida, através destes seus responsáveis, foi a reestruturação da petrolífera angolana Sonangol, então presidida por Isabel dos Santos.

O envolvimento teria passado por faturar serviços a empresas sem proprietários conhecidos de Malta e do Dubai, quando as regras da própria PwC dizem que os contratos devem ser pagos por quem adjudica os serviços e não por outras entidades.

Perante o envolvimento do nome de Ivo Faria no caso ‘Luanda Leaks’ – desencadeado pelos documentos revelados pelo consórcio internacional de jornalistas sobre alegados esquemas financeiros envolvendo, entre outros, a empresária Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos -, há já dirigentes nacionais do CNE a defenderem que ele não deve tomar posse para o segundo mandato no cargo de chefe nacional, marcada para sábado em Balasar, na Arquidiocese de Braga.

Contactado pelo 7MARGENS, Ivo Faria não fez comentários, preferindo dar primeiro explicações aos escuteiros.

O chefe nacional deveria “primeiro resolver os problemas” que vieram a público, disse ao jornal online João Carvalhosa, ex-chefe regional de Lisboa (2015-18), que defende que Faria não deveria tomar posse.

“Se fosse eu, por mais inocente que estivesse, salvaguardaria sempre o bom nome do CNE e não tomaria posse”, disse outra dirigente do Corpo Nacional de Escutas, ao mesmo tempo que surgem vozes a defender a realização de novas eleições.

Outro responsável, que toma o partido de Ivo Faria, disse, no entanto, que “se as pessoas têm perguntas já o poderiam ter feito”.

Já o presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, da qual está dependente o CNE, assegurou que ainda não lhe chegou qualquer queixa sobre o assunto.

“A nós não nos chegou nada sobre isso, não podemos agir nem refletir sobre o assunto sem nos chegar nada”, disse o presidente da comissão e bispo auxiliar de Lisboa, Joaquim Mendes, citado pelo 7MARGENS, acrescentando que “quando chega um papel, a comissão dá atenção ao papel, tem de dar atenção ao que as pessoas dizem”.

A tomada de posse dos novos órgãos nacionais do CNE – que resultaram de eleições realizadas em 12 de janeiro – para o próximo mandato está agendada para o final da reunião do conselho nacional plenário da instituição, que deverá decorrer entre as 09:00 e as 17:00 na Paróquia de Santa Eulália de Balasar.

Continuar a ler

Ave

Fiscalização rodoviária apanha traficante de droga em Landim

Riba D’Ave

em

Um homem de 44 anos foi detido por tráfico de estupefacientes, em Landim, na última terça-feira, no decorrer de uma ação de fiscalização rodoviária levada a cabo pela GNR.

Segundo esta polícia o veículo em questão transportava três pessoas e após a abordagem feita ao condutor foram descobertas 22 doses de heroína e 14 doses de cocaína.

O homem, com antecedentes criminais por tráfico de estupefacientes, foi constituído arguido e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

 

Continuar a ler

Populares