Seguir o O MINHO

Ave

Câmara de Famalicão canaliza 5ME de fundos para reabilitação em Riba de Ave

em

A câmara de Famalicão anunciou, esta sexta-feira, que vai utilizar cinco milhões de euros de fundos comunitários na freguesia de Riba de Ave em projetos que incluem a reabilitação do Teatro Narciso Ferreira e a regeneração da frente ribeirinha.

Em comunicado, a autarquia de Vila Nova de Famalicão especifica que em causa estão verbas do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) que neste concelho totalizam 17,5 milhões de euros.

Para Riba de Ave serão canalizados cinco milhões e a inclusão desta freguesia no pacote de investimentos “só é possível”, lê-se na nota, “porque a vila possuía as condições que permitiu ao município criar uma Área de Reabilitação Urbana”.

Além da reabilitação do Teatro Narciso Ferreira e da regeneração da frente ribeirinha do rio Ave, os projetos ligados ao PEDU em Riba de Ave incluem a reconversão da Unidade Industrial Sampaio e Ferreira.

A autarquia diz querer assegurar “a salvaguarda do património edificado e o desenvolvimento sustentável do respetivo território”, lembrando que Riba de Ave é uma vila que durante o século XX foi um dos principais centros industriais do Vale do Ave, fervilhando diariamente com os milhares de trabalhadores têxteis que laboravam sobretudo na Sampaio Ferreira.

Esta foi, também de acordo com a câmara de Famalicão, “a primeira e a mais completa fábrica têxtil algodoeira da região”, cujo “dinamismo económico permitiu que Riba de Ave fosse uma das primeiras freguesias de Portugal a beneficiar de eletricidade e a possuir iluminação pública”.

“No que diz respeito à Unidade Industrial Narciso Ferreira, pretende-se criar espaços de larga experimentação e multifuncionalidade, através do envolvimento de vários agentes económicos, culturais e sociais”, lê-se no comunicado autárquico.

Quanto à reabilitação do Teatro Narciso Ferreira, está previsto recuperar integralmente o edificado preservando os elementos caracterizadores do edifício tanto ao nível da linguagem arquitetónica como da sua caracterização espacial, possibilitando a criação de uma programação cultural constante.

“Por fim, será desenvolvido um projeto para regenerar a frente ribeirinha do rio Ave, que se encontra bastante degradada”, completa a nota.

O presidente da câmara de Famalicão, Paulo Cunha, aponta que estes “são três projetos fundamentais que irão devolver aos ribavadenses uma parte importante do seu património histórico, dignificando a vila e o seu passado notável”.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Famalicão. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Populares