Seguir o O MINHO

Futebol

Braga perde em casa frente ao Santa Clara

Futebol

em

Um golo do avançado brasileiro Thiago Santana deu hoje a vitória ao Santa Clara, 1-0, em casa de um perdulário SC Braga, sendo líder à condição da I Liga de futebol à segunda jornada.


Os açorianos somam seis pontos após a vitória na primeira ronda (2-0 ao Marítimo) e lideram, ainda que à condição, enquanto os minhotos têm um arranque na I Liga 2020/21 para esquecer, com duas derrotas, depois do desaire no Dragão, com o FC Porto, na ronda inaugural (3-1).

O Santa Clara teve duas oportunidades, ambas na primeira parte, e marcou um golo, enquanto o Braga, ‘cinzento’ na primeira metade, desperdiçou uma mão cheia de ocasiões na segunda e só pode queixar-se de si próprio por não conseguir outro resultado.

Em relação a esses jogos, Carlos Carvalhal operou três alterações no ‘onze’, promovendo André Horta, Moura e Paulinho, regressado após lesão.

Mais significativo foi o facto de ter escolhido o habitual lateral Sequeira para terceiro central, fechando à esquerda, substituindo o castigado Raul Silva.

Já Daniel Ramos fez apenas uma, dando a titularidade a Jean Patric (saiu Costinha).

O Braga até entrou no jogo com um remate perigoso de Paulinho (02 minutos), mas pouco agressiva a defender e a falhar muitos passes, a equipa de Carlos Carvalhal sofreria o golo que a derrotaria na sequência de um livre a punir a primeira de muitas faltas escusadas de David Carmo.

Ramos insistiu após o primeiro corte dos minhotos e apanhou Thiago Santana num ‘buraco’ criado pelo mau posicionamento da defesa minhota, que tentava subir em bloco.

O ponta-de-lança brasileiro (que sairia ao intervalo, lesionado) rematou enrolado, de pé esquerdo, e fez o terceiro golo no campeonato, depois do ‘bis’ da primeira ronda.

O Braga foi crescendo, chegou mesmo a introduzir a bola na baliza, por André Horta, mas o golo foi invalidado por fora de jogo de Moura (20), mas a melhor ocasião seria novamente do Santa Clara, com Carlos Júnior a falhar após grande passe de Thiago Santana (32).

Carlos Carvalhal lançou logo após o intervalo Galeno e Iuri Medeiros (saíram os apagados Al Musrati e Moura), e Daniel Ramos trocou Thiago Santana, queixoso ao sair para o intervalo, por Cryzan,

Na segunda parte, só ‘deu’ Braga, que foi somando – e desperdiçando – oportunidades.

Esgaio rematou por cima (52), Ricardo Horta, de ângulo apertado, atirou com violência ao poste (60) e, pouco depois, foi novamente Esgaio a rematar às malhas laterais (63) após excelente jogada coletiva.

Aos 68, um grande corte de João Afonso tirou um golo quase certo a Ricardo Horta que, três minutos depois, rematou já bem dentro da área, mas à figura do guardião adversário.

Pouco depois, Iuri Medeiros desferiu um ‘tiro’ à barra, após passe de Sequeira (74) e, dez minutos depois, lance caricato com Ricardo Horta a impedir, inadvertidamente, o golo a Paulinho.

Ficha de Jogo

Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Santa Clara, 0-1.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Thiago Santana, 05 minutos.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Bruno Viana, David Carmo, Sequeira (Schettine, 85), Esgaio, Al Musrati (Galeno, 46), André Horta (Castro, 61), Fransérgio, Moura (Iuri Medeiros, 46), Ricardo Horta e Paulinho.

(Suplentes: Tiago Sá, Tormena, Rolando, Castro, João Novais, Iuri Medeiros, Schettine, Abel Ruiz e Galeno).

Treinador: Carlos Carvalhal.

– Santa Clara: Marco, Ramos (Sagna, 90+3), João Afonso, Mikel Villanueva, Mansur, Anderson Carvalho, Osama Rashid (Romão, 82), Diogo Salomão (Lucas, 90), Jean Patric, Carlos Júnior (Ukra, 90) e Thiago Santana (Crysan, 46).

(Suplentes: André Ferreira, Lucas, Sagna, Romão, Costinha, Nené, Crysan, Ukra e Viera).

Treinador: Daniel Ramos.

Árbitro: Rui Costa (Porto).

Ação disciplinar: Sequeira (17), Thiago Santana (28), Marco (30), David Carmo (33), Crysan (74) e João Afonso (90+7).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Anúncio

Futebol

Jogo do Braga na Liga Europa pode ter 4.500 espectadores na bancada

Covid-19

em

Foto: DR

A Federação Portuguesa de Futebol informou hoje que, após um conjunto de reuniões entre a Secretaria de Estado do Desporto e Juventude, o Ministério da Saúde e a Autoridade de Saúde, alcançou um acordo para efetuar mais três jogos teste com público, um deles do SC Braga.

Assim, o SC Braga-AEK Atenas pode ter 15% da lotação do estádio com espectadores, assim como os jogos FC Porto-Olympiacos e o Benfica-Standard Liége.

No total, é permitida a entrada de cerca de 4.500 espectadores no Estádio Municipal de Braga para esse desafio.

O parecer da DGS indica que, no que diz respeito aos lugares de camarote nestes jogos, devem ser ocupados de forma a garantir distanciamento de pelo menos dois metros entre espectadores.

Quanto aos lugares corporate neste jogos, terão de ser ocupados de acordo com os seguintes princípios incluídos no parecer técnico da Direção Geral da Saúde:

“Estes três testes piloto serão acompanhados pela equipa da Direção de Competições da FPF que foi responsável pelos testes efetuados no Estádio José Alvalade nos jogos da Seleção Nacional com Espanha e Suécia”, refere a federação.

Continuar a ler

Futebol

Farense quer vencer Famalicão para quebrar “injustiça” de ainda estar sem pontuar

I Liga

em

Foto: DR

O treinador Sérgio Vieira disse hoje que o Farense quer vencer na receção de domingo ao Famalicão, para quebrar a “injustiça” de ainda não ter somado pontos na I Liga portuguesa de futebol, em jogo da quarta jornada.

“Os pontos que temos neste momento não são os que queríamos. Não é justo. É muito injusto para aquilo que já produzimos não termos pontuado. Mas isto é uma caminhada longa, com muitas jornadas pela frente”, afirmou Sérgio Vieira, na antevisão à partida marcada para o Estádio Algarve.

O técnico dos algarvios, que na jornada anterior foram derrotados pelo Benfica (3-2), mas deixaram boa imagem, garantiu que o grupo “tem muito potencial e está a crescer, a transformar esse potencial em qualidade”, o que tem mostrado “de jogo para jogo e semana a semana”.

“Ainda estamos no início. É muito importante sentir essa evolução, porque nos dá uma expectativa muito grande de que, se no curto espaço de tempo que tivemos já crescemos ao ponto de mostrar o que mostrámos, muita coisa ainda virá, do ponto de vista da qualidade e do potencial deles”, sustentou Sérgio Vieira.

Para o treinador do Farense, mais do que a urgência ou obrigatoriedade de pontuar na receção ao Famalicão está a importância de mostrar qualidade e ser convincente nos processos exibidos.

“Mais do que pontuar, é importante entender como é que pontuamos. Se é por mero acaso ou não. Temos construído processos sólidos e organizados, defensivamente e com bola, e produzido muitas oportunidades em todos os jogos, mas não temos sido felizes”, assegurou.

Sérgio Vieira reforçou que é a forma como o Farense vai conquistar pontos que lhe vai dar sustentabilidade para os jogos seguintes.

“É o que mais desejamos nesta etapa: conquistar pontos de uma forma convincente em relação a todos os momentos do jogo. Queremos ter continuidade nos resultados positivos”, sublinhou.

As duas semanas de pausa, devido aos compromissos das seleções nacionais, serviram, nesse âmbito, para “manter as dinâmicas” habituais e cimentar rotinas, além de terem aproximado do nível exigido os índices físicos de alguns reforços.

Segundo o técnico, o único indisponível para a receção de domingo é o extremo Djalma, que chegou no último dia de mercado de transferências e ainda procura chegar à melhor forma, clínica e fisicamente.

Sobre o Famalicão, que já orientou, então na II Liga, Sérgio Vieira garantiu tratar-se de um clube “que recruta bem e que potencia os seus jogadores, dentro de uma ideia de jogo com muita qualidade”, tendo “crescido muito num curto espaço de tempo”.

Este será o segundo jogo dos algarvios no Estádio Algarve, que na próxima jornada voltará a ser o palco na receção ao Rio Ave, confirmou fonte da SAD à Lusa, uma vez que o relvado do Estádio de São Luís, em Faro, continua em tratamento.

O Farense, 18.º e último classificado, ainda sem pontos, recebe o Famalicão, 11.º, com quatro pontos, no domingo, às 17:30.

Continuar a ler

Futebol

Ricardo Soares despreocupado com a saída do goleador Fábio Abreu do Moreirense

I Liga

em

Foto: Liga Portugal

O treinador Ricardo Soares relativizou hoje a saída do avançado Fábio Abreu, que trocou o Moreirense, da I Liga de futebol, pelos sauditas do Al-Batin, já após o fecho do mercado de transferências em Portugal.

“[Essa perda] não é uma preocupação. Estou habituado e já me deparei com várias situações parecidas. É extremamente gratificante olhar para o meu plantel e conseguir arranjar outra estratégia ou dinâmica sem fugir das nossas ideias em absoluto, porque isso seria um erro tremendo”, alertou o técnico, em conferência de imprensa.

Fábio Abreu, de 27 anos, foi o quinto melhor marcador da última edição do campeonato, com 17 golos em 38 jogos, aos quais somou dois tentos nas primeiras três presenças em 2020/21, traduzindo 15 meses produtivos num negócio a rondar os 2,5 milhões de euros.

“É gratificante pelo encaixe financeiro para o clube. Estou cá para valorizar ativos e isso foi conseguido mais uma vez. O trabalho compensou, mas ele já não está cá. Cabe-me alterar uma nuance em função dos jogadores disponíveis e obter uma fórmula assertiva e eficaz para atacar, sendo que defensivamente também terá alguns custos”, analisou.

Confiante nas “soluções internas” do Moreirense, Ricardo Soares garantiu que “ninguém fica fora do processo” e enalteceu “um esforço enorme” observado durante “duas semanas muito produtivas”, em plena paragem da I Liga para os compromissos das seleções.

“Os jogadores trabalharam muito e com qualidade. Alguns deles elevaram os índices físicos para patamares adequados à exigência da competição em que estão inseridos. Deu ainda para cimentar o processo e ter melhor conhecimento das ideias pretendidas. Estamos satisfeitos com o comportamento e esforço enorme de todos os atletas”, vincou.

O treinador nota “uma boa base e um nível interessante” de acordo com “as exigências” do conjunto minhoto, que revela “alguma ansiedade” para “validar o trabalho” efetuado durante a semana no domingo, quando visitar o estádio do Belenenses SAD.

“O adversário tem características e dinâmicas interessantes e diferentes do padrão em Portugal. É uma equipa bem trabalhada e organizada, estável no plano defensivo, a defender e atacar com muita gente. Esperamos dificuldades contra jogadores de qualidade, mas olhamos para nós e acredito que daremos uma boa resposta”, afiançou.

O Moreirense venceu as duas deslocações ao terreno dos ‘azuis’, embora “isso nada conte”, na certeza de que o embate “será difícil, pela valia do adversário e não por esta perda ou aquela”, tendo em vista uma “margem de crescimento muito superior à atual”.

Os médios Filipe Soares e Sori Mané debelaram problemas físicos e estão aptos, ao contrário do guarda-redes Kewin, do defesa Anthony D’Alberto e dos avançados André Luís e Derik Lacerda, enquanto o centrocampista Ibrahima Camará teve um teste positivo à covid-19 e está isolado.

O Moreirense, 10.º colocado, com quatro pontos, visita o Belenenses SAD, oitavo, com idêntico registo pontual, no domingo, às 15:00, no Estádio Nacional, em Oeiras, em duelo da quarta jornada da I Liga, com arbitragem de António Nobre, da associação de Leiria.

Continuar a ler

Populares