Seguir o O MINHO

Alto Minho

Bombeiros do Alto Minho exigem mais rapidez no pagamento do transporte de doentes

Reivindicação

em

Foto: DR / Arquivo

Os bombeiros voluntários do distrito de Viana do Castelo exigem mais rapidez no pagamento do transporte de doentes e a atualização do valor pago por quilómetro para contrariar as “grandes dificuldades financeiras” em que se encontram.


“Reclamamos um pagamento mais atempado do serviço de transporte de doentes. No fundo, que haja um compromisso para que esse pagamento seja feito mensalmente, entre os dias 20 e 25, para evitar problemas de tesouraria e falta de liquidez”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros de Monção.

Contactado pela Lusa, a propósito de uma reunião agendada para o dia 18, entre as direções das 11 corporações de bombeiros voluntários da região e os três deputados do PS eleitos pelo Alto Minho, José Manuel Nogueira disse que “a morosidade do pagamento do transporte de doentes aos hospitais e a ausência de apoios estão a provocar grandes dificuldades financeiras na vida destas associações humanitárias, designadamente a falta de liquidez”.

“Por exemplo, os Bombeiros de Monção fazem a liquidação dos seus compromissos, com funcionários e fornecedores, a 30 dias e, normalmente, recebem o correspondente ao serviço que presta a diferentes instituições com cerca de três a quatro meses de atraso. Este diferencial de tempo tem um impacto substancial e cria problemas de tesouraria e falta de liquidez”, especificou.

Segundo José Manuel Nogueira, os bombeiros de Monção, “com um orçamento mensal a rondar os 80 a 90 mil euros”, debatem-se com “constrangimentos de tesouraria para poder cumprir os compromissos com os 40 funcionários e fornecedores”.

O responsável apontou ainda a desatualização do valor do pagamento ao quilómetro como outro dos fatores que “dificulta” a vida das corporações.

“A corporação está a receber por valores com praticamente 12 anos e, entretanto, houve alterações no custo dos combustíveis e nas reparações das viaturas, entre outros exemplos”, especificou.

“Um dos problemas que mais aflige a vida das corporações passa pelo défice que já se verifica no pagamento ao quilómetro, um montante que é ainda é o mesmo de há uma dúzia de anos”, reforçou.

A reunião com os deputados do PS eleitos pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, que esteve inicialmente agendada para março e que foi cancelada devido à pandemia de convid-19, está marcada para dia 18, às 11:00 horas, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Monção.

Na ocasião, segundo José Manuel Nogueira, será marcado no encontro, nos Bombeiros Voluntários de Valença, com os deputados do PSD.

No distrito de Viana do Castelo existem 12 corporações que integram 690 bombeiros, sendo que apenas 64 são profissionais e integram a corporação dos sapadores de Viana do Castelo.

Além da capital do Alto Minho, também Caminha possui duas corporações de bombeiros voluntários, uma situada na sede do concelho e a outra em Vila Praia de Âncora.

Anúncio

Alto Minho

Casos ativos descem no Alto Minho mas aumentam em Ponte de Lima, Monção e Melgaço

Covid-19

em

Foto: DR

O Alto Minho tem, atualmente, 1.262 casos ativos de covid-19, menos 44 entre quarta e esta sexta-feira, segundo dados recolhidos por O MINHO junto da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, atualizados às 19:30 de hoje.

O distrito de Viana do Castelo soma, desde o início da pandemia, 3.331 casos, mais 157 nestes dois dias.

Há a lamentar 88 óbitos, os mesmos desde quarta-feira.

Contam-se ainda 1.981 recuperados, mais 201 desde segunda-feira.

A maior subida verificou-se em Ponte de Lima, com aumento de 14 casos ativos, contando o município com 374 casos ativos.

Também Monção, com 39 (+1) e Melgaço com 20 (+2) registaram subidas.

Arcos de Valdevez não sofreu oscilação, mantendo os 90 casos ativos da passada quarta-feira.

De resto, todos os concelhos registam descida de casos ativos.

Viana do Castelo tem 323 casos ativos (-19), Caminha 168 (-13) e Valença 144 (-6), Cerveira 51 (-7), Paredes de Coura 26 (-15) e Ponte da Barca 27 (-1).

Continuar a ler

Alto Minho

Escolas primárias de Ponte de Lima com ‘ecobags’ para separar resíduos

Ambiente

em

Foto: Divulgação / CM Ponte de Lima

Os alunos das escolas de primeiro ciclo de Ponte de Lima têm um novo incentivo para separar os resíduos. Em comunicado, a Câmara de Ponte de Lima dá conta da distribuição de ‘ecobags’ por “todas as salas de aula” do primeiro ciclo do ensino básico em todo o concelho.

Segundo o comunicado, esta iniciativa “visa sobretudo educar e sensibilizar para a importância da reutilização e reciclagem,
com o objetivo de contribuir para uma correta separação de todos os resíduos sólidos que são produzidos, sendo os ecobags facilitadores deste processo de separação de resíduos”.

“Assim, foi entregue a cada sala um conjunto de três ecobags, um para o papel, um para o vidro e outro para embalagens, para que assim se iniciar ou dar continuidade ao processo de separação para reciclagem nas escolas”, finaliza a nota de imprensa.

Continuar a ler

Alto Minho

Motociclista em estado grave após despiste em Paredes de Coura

EN 301

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um homem, com 50 anos, sofreu ferimentos na sequência de um despiste de motociclo, ao início da tarde desta sexta-feira, em Paredes de Coura.

Segundo a Rádio Vale do Minho, o homem seguia na mota que terá entrado em despiste no troço da Estrada Nacional 301 que atravessa a freguesia de Padronelo.

No local estiveram os Bombeiros de Paredes de Coura e a ambulância de suporte imediato de vida de Ponte de Lima, prestando primeiro socorro à vítima

O condutor da mota foi transportado para o Hospital de Santa Luzia, em Viana, com ferimentos considerados graves.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares