Seguir o O MINHO

Alto Minho

Autoridades procuram jovem que “escorregou e caiu” no rio Minho, em Melgaço

Buscas

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um jovem de 26 anos “escorregou e caiu” hoje ao rio Minho, quando “passeava”, na freguesia de Remoães, em Melgaço, estando a ser procurado por meios dos bombeiros e da capitania de Caminha, disse a proteção civil.


De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo o acidente ocorreu cerca das 18:17, sendo que “o alerta foi dado por uma pessoa que acompanhava o jovem no passeio junto ao rio internacional”.

A mesma fonte adiantou que “a pessoa que acompanhava o jovem informou que o mesmo terá escorregado, acabando por cair nas águas do rio Minho”.

Ao local compareceram 16 operacionais e seis viaturas dos Bombeiros Voluntários de Melgaço e Monção e meios da capitania de Caminha.

Anúncio

Viana do Castelo

Maior sala de espetáculos do Alto Minho ‘vira’ unidade de vacinação para a gripe

Centro Cultural de Viana do Castelo

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Centro Cultural de Viana do Castelo está a funcionar, a partir desta terça-feira, como Unidade de Vacinação para a gripe sazonal, anunciou a Câmara local.

O equipamento está destacado como local de vacinação para os utentes de Santa Maria Maior e Monserrate, e assegurou a vacina de 160 munícipes ao longo de terça-feira.

Iniciou também esta semana a campanha de vacinação contra a gripe sazonal nas Juntas de Freguesia do concelho. As Juntas de Freguesia estão a funcionar como postos de vacinação contra a gripe sazonal para aliviar a pressão sobre os centros de saúde do concelho, sendo a vacina sempre administrada pelas equipas de enfermagem da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM).

Esta parceria resulta da estratégia de vacinação descentralizada em postos de proximidade à comunidade que foi proposta pela ULSAM aos dez municípios do distrito de Viana do Castelo.

O objetivo é “descentralizar a prestação de cuidados à população com a vacinação contra a gripe sazonal, cuja importância é acrescida para o grupo prioritário de pessoas com idade igual ou superior a 65 anos”.

Com esta medida, “pretende-se evitar que a população mais idosa e vulnerável tenha de se deslocar aos três centros de saúde situados na cidade e nas vilas de Darque e Barroselas, diminuindo a concentração de pessoas nesses espaços”, refere a autarquia.

Para apoio à medida, foi lançada uma Linha de Apoio Municipal de Vacinação, para permitir a inscrição da população através do telefone 258 819 310.

A campanha de vacinação do Serviço Nacional de Saúde (SNS), que começa habitualmente em 15 de outubro, iniciou-se este ano mais cedo com uma primeira fase para qual foram disponibilizadas 350 mil vacinas.

Na segunda fase, que começou na terça, estão incluídos outros grupos de risco: pessoas com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas.

Continuar a ler

Alto Minho

Cancelado evento de vinhos verdes em Monção e Melgaço: segue-se The Web Experience

Vinhos Verdes

em

Foto: DR

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) cancelou o evento “Monção e Melgaço – The White Experience”, previsto para o fim de semana de 24 e 25 de outubro, devido à pandemia de Covid-19.

No anúncio, em comunicado, a CVRVV adianta que o The White Experience “será substituído por “Monção e Melgaço – The Web Experience”, a 28 e 29 de novembro, com transmissão online de provas conduzidas” pelos críticos de vinhos Fernando Melo e João Paulo Martins.

O The Web Experience incluirá ainda sessões com produtores de Monção e de Melgaço e outros convidados de outras regiões portuguesas.

A CVRVV afirma que cancelou o The White Experience “após o anúncio do novo contexto legal aplicável ao combate à pandemia de Covid-19 e com base nas preocupações de saúde pública que se estendem para além das questões legais” e adianta que a edição 2021 será nos dias 06 e 07 de junho. Do programa deste evento constará o Dia de Monção e Melgaço.

Os bilhetes já adquiridos para o evento que estava marcado para o próximo fim de semana “serão convertidos em packs de prova que são enviados para a morada de cada consumidor ou enófilo registado, de forma a que as provas possam ser acompanhadas “online” com acesso a uma seleção de três vinhos”, informa a Comissão.

“Monção e Melgaço – The Web Experience” é a proposta que a CVRVV concebeu para os produtores Quinta de Santiago (Monção), Adega de Monção (Monção), Quintas de Melgaço (Melgaço), Provam (Monção), Quinta das Pereirinhas (Monção), Anselmo Mendes (Monção), Soalheiro (Melgaço) e Márcio Lopes (Melgaço).

O The White Experience” é dedicado só aos vinhos brancos e procura sublinhar a excelência da sub-Região de Monção e Melgaço da Região dos Vinhos Verdes na produção nacional, pondo os produtores locais no papel de anfitriões que convidam produtores de vinhos brancos nacionais e do Mundo para provas conjuntas e painéis de discussão com especialistas.

Continuar a ler

Alto Minho

Prospeção de lítio na Serra d’Arga depende de avaliação ambiental

Ambiente

em

Foto: DR

O secretário de Estado Adjunto e da Energia disse hoje que a inclusão ou exclusão de Arga, no Alto Minho, no concurso para prospeção e pesquisa de lítio, está dependente da Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) que irá iniciar-se.

“Não é correto dizer que se tirou, ou que se vai incluir [a área de Arga no concurso público que o Governo vai lançar para a prospeção de lítio]. Neste momento, o que sabemos é que a área da Serra d’Arga que está integrada na rede Natura está fora [do concurso]. Nem vai a AAE. O resto, a área de Arga, irá a AAE, mas não sei o resultado”, afirmou hoje João Galamba à agência Lusa.

O secretário de Estado explicou não poder “dizer ainda” se a zona de Arga fará, ou não, parte do concurso, apenas garante que a Rede Natura está excluída do projeto de mineração.

“Se me perguntar: Vão incluir a área de Arga, expurgada da rede Natura 2000, Serra d’Arga, para a AAE? Sim, vamos. Se perguntar: Fará parte essa área de Arga do concurso? Não podemos dizer ainda”, afirmou.

“É por essa razão que existe a figura da AAE e, é por essa razão, que nós escolhemos fazê-la. O estudo ainda não foi feito”, reforçou.

João Galamba falava à agência Lusa, a propósito de uma reunião que manteve hoje por videoconferência com o movimento cívico SOS Serra d’Arga, que contesta qualquer projeto de mineração naquele território.

O secretário de Estado Adjunto e da Energia sublinhou que, “só no final desse processo” é que o Governo poderá “dizer, em consciência e com rigor”, quais as áreas que vão ser submetidas ao concurso para atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de lítio, algo que deverá ocorrer no terceiro trimestre de 2021.

Em julho de 2019, o Governo decidiu “excecionar” o sítio Rede Natura 2000 Serra d’Arga do conjunto de áreas a integrar no concurso para a prospeção de lítio.

A Serra d’Arga abrange uma área de 10 mil hectares nos concelhos de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Viana do Castelo e Ponte de Lima, dos quais 4.280 hectares se encontram classificados como Sítio de Importância Comunitária.

No total, adiantou João Galamba, a proposta do Governo inclui oito áreas para o concurso internacional a lançar, sendo de Arga, a única identificada e que, “nos estudos preliminares feitos em 2016, foi identificada como zona com elevado potencial de lítio”.

O concurso será lançado após a entrada em vigor da nova lei das minas, aprovada a semana passada em Conselho de Ministros e da AAE.

“Partindo de um conjunto de áreas queremos ter uma maior certeza sobre o que deve, e não deve, ser colocado a concurso. A AAE é um instrumento adequado para fazer essa avaliação. Se são oito ou se das oito iniciais é só uma parte e não a totalidade, ou se não vão oito e vão seis. Depende de um processo que nós vamos iniciar”, reforçou.

De acordo com João Galamba, “numa hipótese teórica, a AAE pode, no limite, dizer que devemos retirar não só o que já retiramos mas toda a área de Arga”.

“Não sabemos. E por não sabermos é por isso que vamos um estudo. Se soubéssemos não íamos fazer nenhum estudo”, adiantou.

Já para o movimento cívico SOS Serra d’Arga, “a classificação da Serra d’ Arga como Área de Paisagem Protegida de Interesse Regional devia ser motivo bastante para a exclusão daquele território do referido concurso”.

“A Serra d’Arga continua seriamente ameaçada. A exclusão do maciço central já nós sabíamos, mas o resto continua ameaçado”, frisou o movimento em comunicado.

A Serra d’Arga está atualmente em fase de classificação como Área de Paisagem Protegida de Interesse Regional, numa iniciativa conjunta daqueles dos concelhos de Caminha, Viana do Castelo, Ponte de Lima e Vila Nova de Cerveira.

O processo que deverá estar concluído no início de 202l, para garantir a proteção daquele território.

O movimento refere ainda ter “alertado o secretário de Estado de que não irá aceitar a destruição da Serra d’Arga e desenvolverá todas as diligências necessárias para o impedir”.

Aquele movimento cívico adiantou estar a aguardar a marcação de uma “audiência urgente” com o Presidente da República.

“Queremos sensibilizar o senhor Presidente para vetar o diploma da nova lei das minas”.

Em causa está a aprovação da regulamentação de Lei de Bases dos recursos geológicos no que respeita aos depósitos minerais.

Continuar a ler

Populares