Seguir o O MINHO

Braga

Ativistas de Braga juntam-se em matadouros para transmitir “amor e compaixão” a porcos e vacas

Libertação animal e fim do especismo

em

Foto: Divulgação / Braga Animal Save

Um grupo de ativistas de Braga, com o propósito da libertação animal e do fim do especismo, irá juntar-se, quinzenalmente, aos domingos de manhã, para acompanhar a chegada de porcos e vacas a um matadouro, em vigílias pacíficas, foi hoje anunciado.

“Vamos testemunhar a última viagem de vacas e porcos, a caminho do matadouro. Queremos transmitir a estes animais todo o amor e compaixão que eles merecem, no último dia das suas vidas”, explica o Braga Animal Save em comunicado enviado a O MINHO.

E continua: “Com recurso a cartazes, é pedido aos condutores dos camiões de transporte de animais que parem, de forma voluntária, por uns breves minutos e permitam que os voluntários se aproximem dos camiões para poderem ver os animais”.

Foto: Divulgação / Braga Animal Save

Ao registar estes momentos, afirmam, todas estas “vítimas” são tornadas visíveis ao mundo enquanto indivíduos com identidade e personalidade própria, provando que são muito mais do que o número que lhes foi atribuído.

“São seres que sentem medo, dor, fome e estão assustados”.

O Braga Animal Save, pertencente ao movimento internacional The Save Movement que conta com mais de 660 grupos em todo o mundo. Desde a sua criação, em dezembro de 2017, tem vindo a organizar vigílias em matadouros, e outros eventos, como o Braga Vegan Market, o Festival Vegan, o Dia Mundial contra o Especismo e o Dia Mundial do Veganismo e ações de sensibilização pelo bem estar e direitos dos animais.

“As pessoas tendem a relacionar-se com a emoção das outras pessoas, sentem empatia. Ao mostrarmos empatia por aqueles animais prestes a serem abatidos, acreditamos que o mundo poderá sentir a nossa empatia e, assim, pensar duas vezes sobre as escolhas feitas no dia a dia”, salienta o grupo.

Foto: Divulgação / Braga Animal Save

As vigílias realizam-se em matadouros do distrito de Braga e são abertas a todas as pessoas que respeitem os valores do movimento: “respeito, tolerância e compaixão por todos e todas as opiniões e contribuam para um ambiente acolhedor, pacífico e seguro para todos aqueles que participam”.

Para participar nesta iniciativa basta aceder ao grupo de voluntários na página de Facebook do Braga Animal Save – que conta com 3.500 seguidores – onde são dadas todas as indicações para as vigílias.

Anúncio

Braga

PSP de Braga com doze agentes infetados

Suspeitas em Barcelos deram negativo

em

Foto: DR / Arquivo

Subiu para doze o número de elementos infetados com o vírus SARS CoV 2 na Polícia de Segurança Pública de Braga, disse a O MINHO o Comando Distrital, depois da confirmação de três agentes ter sido feita ontem, pelo mesmo comando.

Entre os casos, dez são da Esquadra de Investigação e Fiscalização Policial (EIFP), incluindo chefias, encontrando-se todos em isolamento profilático em casa, sem necessidade de internamento hospitalar. Está também infetada um elemento da secretaria do Comando e um polícia da Esquadra de Investigação Criminal (EIC).

Ao que O MINHO apurou, 13 agentes da EIFP que lidaram com os colegas infetados estão em casa, de quarentena. Dos restantes que fizeram os testes no passado sábado e que acusaram negativo, encontram-se a trabalhar.

A mesma fonte confirmou a O MINHO que, até agora, apenas estes elementos estarão infetados a nível distrital, não se confirmando casos suspeitos, como, por exemplo, de quatro agentes da esquadra de Barcelos.

Este é o segundo foco de contágio em serviços de segurança e proteção civil no concelho de Braga, depois de conhecidas as infeções de 18 bombeiros dos Sapadores.

*com Paulo Jorge Magalhães

Continuar a ler

Braga

Covid-19: Segunda vítima mortal em Vieira do Minho é um homem de 70 anos

Covid-19

em

Foto: CMVC / Arquivo

Um homem de 70 anos morreu, na passada madrugada, vítima de complicações de saúde na sequência de infeção pelo vírus SARS CoV 2, tornado-se a segunda vítima mortal em Vieira do Minho.

A informação foi confirmada a O MINHO pelo presidente da Câmara, António Cardoso, acrescentando que o homem “já sofria de várias complicações de saúde” antes de ter sido infetado com covid-19.

Há ainda outra pessoa do concelho em estado crítico, o que está a preocupar a autarquia.

O concelho de Vieira do Minho tinha 11 infetados até às 24:00 horas desta terça-feira, segundo os dados hoje divulgados pela Direção-Geral de Saúde, mais dois do que na véspera.

Braga, com 423 (+16 do que ontem) casos confirmados, Famalicão com 154 (+4) e Guimarães com 149 (+2) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia.

Continuar a ler

Braga

Oficial: Média de infetados em Braga baixa nas últimas 24 horas. Há 1.154 infetados no Minho

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde desta quarta-feira vem com os números aproximados daquilo que são os casos fidedignos de infeções por covid-19 discriminados por concelho. Existem 1.154 casos confirmados no Minho.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 24:00 de terça e podem comportar apenas cerca de 79% dos casos reais.

Braga, com 423 (+16 do que ontem) casos confirmados, Famalicão com 154 (+4) e Guimarães com 149 (+2) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia. A média de novos infetados em Braga desceu para mais de metade nas últimas 24 horas.

Fonte: DGS

Segue-se o concelho de Barcelos com 107 (+5), Viana do Castelo com 79 (+4), Vila Verde sobe para 49 (+1), Arcos de Valdevez mantém 26, Póvoa de Lanhoso mantém 23, Amares mantém 19, Vizela mantém 17, Esposende mantém 16, Fafe mantém 13, Ponte de Lima mantém 12, Melgaço sobe para 12 (+3), Vieira do Minho soba para 11 (+2), Monção sobre para 9 (+2), Caminha mantém 8, Celorico de Basto mantém 7, Paredes de Coura mantém 6, Cabeceiras de Basto mantém 5 casos, Valença sobe para 5 (+1) e Terras de Bouro mantém 4.

Os restantes concelhos minhotos registam menos de 3 casos, alguns ainda sem infetados, e não constam no relatório por “motivos de confidencialidade”.

Continuar a ler

Populares