Seguir o O MINHO

Região

Atenção, Braga e Viana: Proteção Civil alerta para efeitos do mau tempo nas próximas 48 horas

Estado do tempo

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras altas do norte e centro e ainda vento forte.

Nas regiões norte, e para os distritos de Braga e Viana do Castelo, prevê-se períodos de chuva ou aguaceiros, que prosseguem na segunda-feira com aguaceiros por vezes fortes na generalidade do continente, podendo ainda ocorrer trovoadas.

Segundo as previsões meteorológicas, há possibilidade de queda de neve acima dos 1.400/1.600 metros de altitude a partir do final da tarde de hoje, podendo a cota baixar para os 800 metros.

Família resgatada de carro em estrada atingida por cheias em Braga

O vento será forte, com rajadas que podem atingir 80 quilómetros por hora nas terras altas do norte e do centro, aumentando de intensidade na segunda-feira, com rajadas que podem chegar a 100 quilómetros por hora.

A agitação marítima na costa ocidental a norte do Cabo Raso será significativa, com ondas que podem chegar a 8/10 metros de altura máxima, entre o meio da tarde de hoje e o fim da madrugada de segunda-feira.

Face a este cenário de precipitação forte e persistente, entre domingo e segunda-feira, a Proteção Civil alerta que deve ser “dada uma especial atenção às zonas historicamente identificadas como vulneráveis a inundações e em particular em bacias hidrográficas não regularizadas e de escoamento rápido”.

Num aviso à população, a Proteção Civil chama a atenção para os efeitos desta situação, com piso escorregadio e a eventual formação de lençóis de água e gelo e possibilidade de cheias rápidas em meio urbano.

No comunicado, as autoridades alertam ainda para a possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte e possíveis acidentes na orla costeira, sendo de evitar o estacionamento de veículos nestas zonas.

Bombeiros e Proteção Civil desobstruem via após derrocada em Braga

Segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, “o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados”.

Aos condutores, é recomendada uma condução defensiva, com redução da velocidade e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve.

As autoridades pedem também para não se atravessar zonas inundadas, “de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas”.

Deve-se “garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas”, diz o comunicado, acrescentando ainda que não devem ser praticadas “atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar”.

Anúncio

Região

Mais de mil motards homenagearam Paulo Gonçalves em Lisboa

em

Cerca de mil motards marcaram presença, este domingo, em Lisboa, para uma homenagem ao piloto esposendense Paulo Gonçalves, que perdeu a vida durante a última edição do Dakar 2020, após acidente.

A caravana passou por vários pontos da capital portuguesa, entre o Museu do Coche e o Cabo da Roca, onde foi feita homenagem a Speedy.

A concentração juntou várias associações motard vindas de todo o país.

O funeral de Paulo Gonçalves, assim como a trasladação do corpo para Portugal, ainda não tem data marcada.

Foi já anunciado que, durante o cortejo fúnebre, a marginal de Esposende terá motorizadas alinhadas.

Continuar a ler

Barcelos

Casal de Barcelos condenado por dez assaltos que renderam 33 mil euros

Objetos furtados, valendo 33 mil euros, eram trocados por drogas ou numa ourivesaria

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Fizeram dez assaltos a casas ou lojas na zona de Barcelos, de onde furtaram objetos valendo 33 mil euros. O Tribunal de Braga condenou o casal, ele a oito anos de prisão efetiva, ela a dois anos e dez meses, mas com a pena suspensa.

Diogo Alexandre Coelho, de 28 anos e a companheira, Marta Rodrigues, de 25, ambos de Barcelos e ambos toxicodependentes, atuavam em conjunto, ele a penetrar nas residências ou lojas, ela a vigiar e a ajudar.

O primeiro assalto ocorreu em julho de 2016, e foi feito a uma casa na rua Dr. José Gualberto Sá Carneiro, em Barcelinhos. O Diogo trepou à varanda, entrou pela janela e levou uma televisão, três discos externos de computador, uma máquina fotográfica, um edredon e jóias, brincos, pulseiras e anéis. Ao todo, valiam cerca de dois mil euros.

No mesmo dia, foi ao restaurante Bolívar, em Barcelos, entrou pelo mesmo método, e levou um computador, 50 euros em notas, dezenas de maços de tabaco e 280 euros em moedas. Ao todo, 1.928 euros.

Em 22 de junho, o Diogo rebentou o fecho da janela da loja I wish, de aparelhos de som, na mesma cidade, e levou três auscultadores,três colunas, vários cartões de memória, e 295 euros da caixa registadora. O rombo atingiu os 1908 euros.

Em 17 de julho, o casal foi a Feitos, no mesmo concelho e estacionou o carro perto de uma moradia na rua de S. Mamede. Ela ficou na viatura, de vigia, e ele saltou o muro, entrando pela janela da garagem.

Depois de remexer em tudo, encontrou um saco com 10.800 euros em notas, e uma bolsa com mais 200 euros. Saiu e além de usar o dinheiro para comprar droga, adquiriu um Volkswagen que pôs em nome dela.

Ouro de uma tia

Em agosto, um amigo disse ao Diogo, em pé de conversa, que tinha uma tia que guardava ouro em casa.

Dias depois, pelas 17 horas, foi à Rua de S. Pedro, na freguesia de Vila Frescainha, pulou o muro e penetrou no interior pela janela da cave.

Aí, topou várias peças de ourivesaria, um computador portátil, 300 euros em dinheiro e um telemóvel Samsung. Tudo avaliado em 9.680 euros.

Logo a seguir, viajaram até ao bairro Pinheiro Torres, no Porto, onde venderam algumas peças em ouro.

O mesmo fizeram, no dia seguinte, na ourivesaria Pitães, em Braga, onde a GNR veio a encontrar uma pequena barra e uma libra esterlina,ambas de ouro, que valiam 525 euros.

Bicicleta furtada e trocada por coca e heroína

Em 24 de agosto, fizeram uma outra vivenda em Areias de Vilar. O Diogo encontrou, na garagem, uma bicicleta que custara 600 euros. Levou-a e foi vendê-la ao bairro do Picoto, em Braga, ou melhor trocou-a por dez bases de cocaína e duas de heroína. De seguida, e neste mesmo mês, foi apanhado a guiar sem carta.

O trajeto de furtos continuou em setembro numa moradia em Tamel S. Veríssimo de onde desapareceram um telemóvel iPhone, um iPod, peças de ourivesaria e outros artigos. Avaliados em 897 euros.

A próxima vítima, a 08 de setembro, foi uma outra casa em Tamel S. Veríssimo, onde o assaltante encontrou peças de ourives, valendo cinco mil euros.

Foi trocar parte delas à Ourivesaria Pitães, em Braga, onde lhe deram 1.700 euros, tendo trocado uma outra parte por droga, 40 bases de cocaína e dez de heroína.

Dois dias depois, foi a estabelecimento de mediação de seguros, sito na Rua Manuel António Faria, na Ucha, em Barcelos. Aí levou várias pen’s, um computador e 70 euros. Furto calculado em 1.255 euros.

O acórdão que o condenou salienta o facto de que o Diogo tinha já 17 condenações, em Barcelos, Braga e Famalicão, por condução sem carta, furto qualificado, recetação e tráfico de menor gravidade.

A Marta tinha, apenas, três condenações. No caso desta arguida, o Tribunal condenou-a, ainda, a pagar 700 euros de multa e a entregar 600 euros ao Centro de Solidariedade Social de S. Veríssimo.

Para não ir para a cadeia, terá, ainda, de se submeter a um plano de reinserção social, que a obriga a abster-se de consumir drogas e de frequentar locais onde esta se vende.

Continuar a ler

Braga

Morre meia hora depois de ter alta das urgências em Braga

Drama em Braga

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem, com cerca de 70 anos, morreu vítima de um ataque fulminante 30 minutos depois de ter saído do Hospital de Braga com alta.

Segundo a edição impressa deste domingo do Jornal de Notícias, a vítima, Albano Pereira, chegou ao hospital, pouco passava das 09:00 horas do passado dia 04 de janeiro de 2020.

Queixava-se de dores na perna, numa virilha, para além de enjoos, segundo conta a família. Apesar de ter um historial médico de problemas cardíacos, com enfartes e AVC’s, o homem recebeu alta médica cerca das 12:30.

O médico que o atendeu terá dito que se tratava de dor ciática.

Chegado a casa, na companhia da família, o homem acabou por perder a vida num ataque fulminante, relata a mulher, Maria Alice.

A família responsabiliza agora a unidade hospitalar e já foi aberto um inquérito por parte do Ministério Público.

Continuar a ler

Populares