Seguir o O MINHO

Alto Minho

Alto Minho pede novo prazo para limpeza de matas

Proteção civil

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho manifestou-se hoje “muito preocupado” com a falta de limpeza das matas em consequência do estado de emergência e pediu novo prazo para esses trabalhos de prevenção de fogos florestais.


“Mal termine este período de contenção, deverão ser ativados alguns mecanismos adicionais, nomeadamente a proibição de queimas e queimadas como forma de prevenção. Defendemos ainda a definição de um novo prazo. Sabemos que não pode ser muito alargado, mas o necessário para se fazer o trabalho que não foi feito até aqui, pelas razões que todos conhecemos”, afirmou, em declarações à agência Lusa, José Maria Costa.

O autarca socialista acrescentou que, “apesar das dificuldades, houve algumas limpezas feitas pelos proprietários”, sublinhando que, devido ao estado de emergência, no distrito de Viana do Castelo, e de “uma forma geral”, os municípios proibiram a realização de queimas e queimadas.

“Em Viana do Castelo, por exemplo, estão proibidas porque, neste momento, toda a força dos bombeiros e dos meios da proteção civil estão mobilizados para este combate ao novo coronavírus”, sublinhou o líder da CIM do Alto Minho

José Maria Costa, que é também presidente da Câmara de Viana do Castelo, admitiu que a estrutura que agrega os 10 município do distrito “está muito preocupada” com a massa combustível existente nas florestas, “atendendo não só às condições climatéricas que houve este ano, propícias para acumular matéria combustível, mas também por haver algum atraso na limpeza das envolventes dos aglomerados urbanos, devido às medidas de restrição à circulação de pessoas”.

“Por outro lado, algumas empresas não estão ativas, neste momento”, reforçou.

Antes do final do prazo para os proprietários concluírem os trabalhos de limpeza, 15 de março, pedido que foi reforçado nos últimos dias, a Lusa questionou o Ministério da Administração Interna, mas ainda não obteve resposta.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 22.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Anúncio

Alto Minho

Colisão entre três veículos em Valença provoca onze feridos

Acidente

em

Foto: DR

Uma colisão que envolveu hoje três veículos de matrícula espanhola em Valença resultou em 11 feridos, nove assistidos no local e duas vítimas transportadas para Viana do Castelo.

De acordo com o Centro Distrital de Operações de Socorro de Viana do Castelo, os dois feridos estão a ser assistidos na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM).

Para o local foram mobilizados três veículos com seis bombeiros e uma patrulha da GNR, que já abandonaram a zona do acidente.

Continuar a ler

Alto Minho

Bebé cai de varanda em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um menino com cerca de um ano sofreu ferimentos na sequência de uma queda de uma varanda de uma habitação, ao início da noite deste domingo, em Ponte de Lima.

Ao que apurou O MINHO, o acidente ocorreu na Rua da Tanquinha, na freguesia de Gandra.

Fonte dos bombeiros indicou que à chegada, a criança encontrava-se reativa e cooperante.

No local estiveram os Bombeiros de Ponte de Lima e a ambulância de Suporte Imediato de Vida de Ponte de Lima, pertencente ao INEM.

A criança, considerada “ferido leve”, foi transportada para o Hospital de Braga

Continuar a ler

Viana do Castelo

Surfistas sensibilizados para não ocuparem zonas de banhistas em Viana

Praia de Cabedelo

em

Foto: AMN

Praticantes de surf, windsurf e kitesurf foram sensibilizados pela Polícia Marítima de Viana do Castelo para não ocuparem zonas de banhistas na praia do Cabedelo, anunciou hoje aquela autoridade.

A ação decorreu na passada quinta-feira, durante a tarde, com os agentes e os nadadores-salvadores da Coordenada Decimal, em conjunto com uma mota de água da Estação Salva-Vidas, levando a que os praticantes da modalidade percebessem que não podem utilizar certas zonas reservadas a banhos.

“​A praia do Cabedelo tem um conjunto de fatores que propiciam a sua procura pelos praticantes daquelas modalidades, o que leva a uma sobrelotação dos espaços criados para o efeito, levando por vezes à ocupação indevida das zonas de banhos”, refere nota da Polícia Marítima.

“Foram ainda abordados e sensibilizados diversos utentes que circulavam no Domínio Público Marítimo, em deslocações de curta duração para efeitos de fruição de momentos ao ar livre, desrespeitando as medidas relativas ao distanciamento, tendo sido indicado que é importante que se cumpram as medidas para conter a propagação da doença covid-19, indicação que foi prontamente acatada”, refere ainda a autoridade.

Continuar a ler

Populares