Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Retirada estátua de navegador que população contestava há 10 anos

em

A remoção da estátua do navegador Caramuru da principal praça de Viana do Castelo, reclamada há 10 anos por população e partidos da oposição, foi hoje concretizada, devendo ser recolocada, no início de junho, na praia Norte.

Em causa está a estátua de homenagem a Caramuru, ou Diogo Alvares Correia, natural de Viana do Castelo e historicamente apelidado de “destemido navegador”, que naufragou no Brasil em 1508 e passou a vida entre os indígenas da costa brasileira, em especial na Bahia, facilitando o contacto dos primeiros europeus com os povos nativos.

O monumento em bronze fundido, do escultor José Rodrigues, foi inaugurado na Praça da República, ponto central da cidade, em dezembro de 2008, pelo antigo autarca Defensor Moura, antecessor do atual presidente da Câmara, José Maria Costa, na altura vereador da maioria socialista.

Com cinco metros de altura e três de largura, o navegador e a sua companheira indígena, Paraguaçu, surgem em trajes reduzidos, perante as críticas de moradores, há dez anos, face à dimensão e ao enquadramento arquitetónico.

Contactado hoje pela agência Lusa, o antigo presidente da Câmara Defensor Moura disse que a Praia Norte foi sua primeira escolha para instalar a polémica estátua e que mudou de opinião por ter sido “convencido” pelo poeta e professor Amadeu Torre.

“O Caramuru acaba por ir para o local que tinha sido, inicialmente, programado por mim e pelo José Rodrigues (autor da obra). Foi o poeta e professor Amadeu Torres (Castro Gil), autor do livro do Caramuru que, publicámos nos 750 anos de elevação de Viana do Castelo, que me convenceu a colocar o vianense que teve maior influência no mundo, pela convivência intercultural, sem opressão e, pela miscigenação de que foi primeiro protagonista, na principal praça da cidade”, afirmou.

Defensor Moura, que liderou o município entre 1993 e 2009, explicou que, na altura, a decisão “foi aprovada, por unanimidade, pela Câmara Municipal”.

“De qualquer modo já se cumpriu o objetivo de Castro Gil – durante dez anos falou-se do Caramuru e a sua vida foi divulgada. Agora o Caramuru vai namorar com a sua Paraguaçu para junto do mar, onde ela o pescou há 510 anos”, disse o socialista que na passagem do ano de 2008 inaugurou a escultura, acompanhado de José Rodrigues, no âmbito das comemorações dos 750 anos do foral de Viana do Castelo.

Sobre a decisão do atual executivo, liderado pelo seu sucessor, José Maria Costa, de transferir a estátua do centro da cidade para a praia Norte, afirmou: “Não concordo nem discordo. Eu mudei de opinião por influência erudita e fundamentada do professor Amadeu Torres. Agora muda-se a empurrão da oposição”.

A relocalização foi uma das promessas eleitorais do PSD, que, nas mais recentes autárquicas, elegeu dois vereadores, Hermenegildo Costa e Ana Paula Veiga.

No anterior mandato, a bancada social-democrata liderada por Eduardo Teixeira formalizou uma proposta para a remoção da estátua que foi chumbada pela maioria socialista liderada por José Maria Costa.

Antes, em 2010, a maioria socialista chumbou a remoção da escultura, proposta pelo então vereador do CDS-PP, Aristides Sousa, por razões de estética e arquitetónicas

Segundo Defensor Moura, as estátuas “têm rodas em Viana”.

“O Fagundes, o Mercúrio, a Estátua de Viana e até do Fontenário da Ribeira/Largo da Casa Melo Alvim também andaram em bolandas”, ironizou o socialista atualmente com 73 anos.

Além de ter governado o município de Viana do Castelo durante 16 anos foi ainda candidato independente, em 2011, às eleições presidenciais que elegeram Cavaco Silva. Médico especialista em medicina interna, já reformado, foi ainda deputado à Assembleia da República na IV e XI legislaturas, pelo Partido Renovador Democrático (PDR) e pelo Partido Socialista (PS), respetivamente, sempre eleito pelo distrito de Viana do Castelo.

A obra de arte hoje removida do “ex-líbris” da cidade vai ser reinstalada “no centro de um espelho de água atualmente em construção, um projeto da autoria da arquiteta Maria João Patronilho.

Aquela intervenção integra-se na empreitada de requalificação daquela praia, a cargo da sociedade Polis Litoral Norte, orçada em 2,4 milhões de euros” e, fortemente, contestada por Defensor Moura, por “destruir a Praia Norte” e “delapidar um património secular”.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Surfista Marta Paço é a Cidadã de Mérito “mais nova de sempre” de Viana

Medalha entregue hoje

em

A surfista portuguesa Marta Paço, de 14 anos, que em dezembro conquistou a medalha de bronze no mundial de surf adaptado, nos Estados Unidos, é a Cidadã de Mérito, “mais nova de sempre” de Viana do Castelo.

Hoje, na atribuição do galardão, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, destacou que, na altura “com apenas 13 anos e cega de nascença, a Marta Jordão Paço foi a atleta mais jovem” do ISA World Adptative Surfing Championship que decorreu em dezembro na praia de La Jola,em San Diego, Califórnia.

José Maria Costa, que falava durante a sessão comemorativa dos 171 anos de elevação de Viana do Castelo a cidade, classificou aquele evento desportivo como “histórico” para o surf e agradeceu à atleta e ao treinador Tiago Prieto pelo “contributo para a promoção da inclusão no desporto”.

“Esta edição do mundial de surf Adaptado, além de ter sido placo da primeira competição na categoria feminina com deficiência visual, registou um recorde ao nível de participações. Mais de 120 surfistas de 24 países”, reforçou.

Marta Paço, invisual, atleta do Surf Clube de Viana há dois anos, terminou a final com 3,73 pontos, menos 11,11 pontos do que a vencedora, a britânica Melissa Reid.

No total, a Câmara de Viana do Castelo homenageou hoje, 23 personalidades ligadas à cultura e ao ensino, empresas e instituições locais de várias áreas, propostas pela maioria socialista na autarquia, pelos vereadores do PSD e da CDU.

Também com o título de Cidadã de Mérito foi homenageada Raquel Gaião, bióloga de 23 anos, natural do concelho, aluna de mestrado em biodiversidade e conservação marinha na Universidade do Algarve que, em setembro de 2018, se transformou na primeira mulher portuguesa a ganhar o prémio mundial atribuído pela Global Biodiversity Information Facility Young Researchers Award (GBIF).

Os membros do comité destacaram o potencial da investigadora vianense ao nível dos impactos relacionados com o clima das macroalgas, uma ordem taxonómica de importância ecológica, social e económica nas comunidades costeiras ao redor do mundo”, sublinhou.

A coreógrafa Tânia Carvalho, a escritora Marlene Ferraz, o professor catedrático da Universidade de Lisboa, António Maria Feijó e o bispo auxiliar do Porto, Pio, Gonçalo Alves de Sousa, foram entre outras, as figuras distinguidas com aquele título.

No discurso que proferiu na sessão, o presidente da Câmara anunciou, a propósito das comemorações dos 140 anos da ponte Eiffel sobre o rio Lima, que estão a decorrer até junho, a intenção de criar um centro interpretativo da obra do arquiteto francês na estação de caminhos de ferro da cidade.

O projeto de mestrado em Património e Turismo Cultural de Rui Maia, da Universidade do Minho, “assenta na ponte Eiffel de Viana do Castelo, obra do século XIX, integrada no vasto património industrial português”, explicou, acrescentando que a intenção é criar um espaço físico “dedicado à ponte, proporcionando a fruição do legado de Gustave Eiffel”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Líderes do PSD de Viana “advertidos” no caso das duas listas às autárquicas

Eleições autárquicas de 2017

em

Carlos Morais Vieira, à esquerda, e Eduardo Teixeira, à direita, com o antigo secretário-geral do PSD. Foto: DR / Arquivo

O conselho de jurisdição nacional do PSD aplicou a sanção disciplinar de advertência aos líderes da distrital e da concelhia do partido, em Viana do Castelo, na sequência do caso das duas listas apresentadas à Assembleia Municipal nas últimas autárquicas.

De acordo com o acórdão 272018, a agência Lusa teve ontem acesso, o presidente da comissão política distrital, Carlos Morais Vieira, foi advertido por não ter enviado as listas a candidatar, em Viana do Castelo, às eleições autárquicas de 2017 ao plenário da secção local do PSD.

“Foram solicitados por diversas formas e com diversas insistências que os responsáveis distritais indicassem os nomes que integrariam as listas candidatas bem como o Programa Eleitoral com o objetivo de permitir que essa Assembleia se pronunciasse sobre os mesmos. Não foi indicado por qualquer forma, nenhum nome nem nenhum elemento do Programa Eleitoral, nem sequer apresentada qualquer justificação para tal”, lê-se no documento datado de 19 de dezembro.

Contactado pela agência Lusa, Carlos Morais Vieira disse ter sido notificado da decisão do conselho de jurisdição nacional, na quarta-feira, mas escusou-se a falar sobre o assunto.

Já o presidente da comissão política concelhia, Eduardo Teixeira, foi sancionado por ter entregado, no tribunal, uma lista concorrente aquele ato eleitoral sem poderes para o efeito e sem aprovação da distrital do partido.

“Tal lista não foi entregue pelo Mandatário com poderes para o ato, nem obteve aprovação distrital (…) O mandatário com poderes para o ato, não só entregou lista diferente como impugnou a anteriormente entregue”, adianta o acórdão.

À Lusa, Eduardo Teixeira disse não ter sido notificado da decisão e por esse motivo não quis prestar declarações.

Para eleições autárquicas de 2017, o PSD de Viana do Castelo apresentou duas listas de candidatos à Assembleia Municipal daquele concelho.

Uma das listas, apresentada pelo candidato do partido à Câmara de Viana do Castelo, homologada pelos órgãos nacionais e aprovada pela comissão política distrital, era encabeçada por Eduardo Viana, ex-secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade do anterior governo PSD/CDS-PP e atual deputado municipal.

A outra lista era liderada pelo presidente da comissão política concelhia, ex-vereador na Câmara de Viana do Castelo e ex-deputado na Assembleia da República, Eduardo Teixeira.

O Tribunal de Viana do Castelo rejeitou a lista à Assembleia Municipal apresentada e liderada por Eduardo Teixeira, por “irregularidade insuprível”. Também o Tribunal Constitucional “negou provimento” ao recurso.

Com aquela decisão ficou validada a lista à Assembleia Municipal encabeçada por Eduardo Viana.

No acórdão do conselho jurisdição nacional assinado pelo presidente do conselho de jurisdição nacional, Nunes Liberato e pelo relator, João Paulo Meireles, foi ainda aplicada a mesma sanção, a mais leve do regulamento de disciplina do partido, ao candidato às eleições autárquicas de 2017 e atual vereador do PSD na Câmara de Viana do Castelo, Hermenegildo Costa (também já notificado da decisão), e ao empresário Luís Sanches, na altura secretário-geral da concelhia.

De acordo com o documento, com 19 páginas, os quatro responsáveis foram sancionados pela “manifesta falta de zelo no desempenho de funções” e por “pôr em causa o bom nome do partido ou a confiança que está depositada no infrator”.

Àquelas infrações, Carlos Morais Vieira e Hermenegildo Costa juntam o “manifesto desrespeito pelas deliberações emitidas pelos órgãos competentes do partido”.

Já Eduardo Teixeira e Luís Sanches foram ainda sancionados por se terem “candidatado a qualquer lugar eletivo do Estado ou de autarquias locais, sem autorização do competente órgão do partido”.

No acórdão, o conselho de jurisdição justificou a sanção menos gravosa pelo facto de os “arguidos serem militantes ativamente empenhados, com exercício abnegado de funções e cargos no partido, com um historial de dedicação a servir as populações designadamente decorrente do exercício de cargos autárquicos” e, por “nenhum ter antecedentes disciplinares”.

Ao mandatário concelhio, Sandro Durães, não foram aplicadas sanções por “não se vislumbrar qualquer censura que lhe deva ser dirigida”.

“Agiu com poderes para o ato que lhe foram legalmente conferidos e reiterados. Seguiu as instruções de quem lhe conferiu tal instrumento de representação, entregou listas completas, com a documentação completa e sem irregularidades”, sustenta o acórdão.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Pastelaria assaltada em Viana do Castelo

Roubada caixa registadora

em

Ainda está em processo de averiguações, o assalto à mão armada de uma pastelaria na Freguesia de Chafé, em Viana do Castelo.

O crime ocorreu, ontem ao final da tarde, por um indivíduo sob ameaça de arma de fogo.

Segundo fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, ao JN, o assaltante “roubou caixa registadora e pôs-se em fuga”, desconhecendo-se o valor do roubo no estabelecimento comercial, situado na rua de Estrada Velha.

Continuar a ler

Populares