Seguir o O MINHO

Braga

Últimas férias de Maria João Abreu foram no Minho: “Está a custar muito, era uma amiga”

em

A atriz Maria João Abreu, que perdeu a vida nesta quinta-feira vítima de complicações derivadas a um aneurisma cerebral, passou as últimas férias entre Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho, onde é hoje recordada com carinho e saudade.

Paula Alves, proprietária da Quinta de Calvelos, em Vieira do Minho, foi anfitriã da atriz, marido, filhos e netos, durante o passado mês de agosto, quando Maria João passou uma temporada pela zona do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

A O MINHO, a proprietária recordou “uma amiga”, mas foi parca em palavras quando a emoção tomou conta do discurso, pelo trágico desaparecimento de uma das atrizes mais queridas de Portugal.

Foto: Instagram

“Ela esteve connosco em agosto, era uma pessoa muito simples e, do nada, tornou-se amiga aqui da casa”, começou por dizer Paula Alves, sem esconder a emoção. “Olhe, ela quando esteve cá, foi espetacular, andava sempre connosco, parecia que já nos conhecíamos há anos… Isto está a custar muito”, desabafou a empresária, após um longo silêncio nas palavras.

Mais composta, confidenciou que ficou amiga de Maria João Abreu, “assim como de toda a família”. “Uma pessoa alegre, que cantou e dançou (risos) para divertimento de nós todos. Quando ela passou por cá foi mesmo um momento muito bom”, reforçou.

A atriz passou ainda por outros locais do distrito de Braga quando, em agosto, decidiu fazer uma escapadinha com a família. Visitaram o restaurante O Víctor, na Póvoa de Lanhoso (e do qual não conseguimos obter uma reação) e também pela albufeira da Caniçada, entre Vieira do Minho e Terras de Bouro.

“Andámos a ressacar cinco anos de Víctor. Finalmente concretizámos o nosso desejo. O melhor bacalhau”, escreveu em agosto de 2020 Maria João na sua conta do Instagram, acompanhando a publicação com uma foto da família à porta do restaurante de comida típica do Minho.

Foto: Instagram

Num vídeo publicado na mesma rede social, foi ainda possível ver a atriz a desfrutar do rio Cávado, na zona da Caniçada, através de um passeio de barco.

Foto: Instagram

Numa outra foto, a atriz mostra com o marido, o músico João Soares, a albufeira da Caniçada como pano de fundo.

Foto: Instagram

Tinha 57 anos

A atriz Maria João Abreu morreu hoje, aos 57 anos, noticiou o canal de televisão SIC, onde a atriz trabalhava.

Nascida em Lisboa, a 14 de abril de 1964, Maria João Gonçalves Abreu Soares iniciou a carreira profissional no teatro, mas foi a televisão que lhe granjeou a popularidade, com a produções como “Médico de família”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por João Soares (@jrgsoares)

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Nuno Markl (@nunomarkl)


No dia 30 de abril, a atriz sentiu-se indisposta durante as gravações da telenovela “A Serra” e desmaiou, tendo sido internada de urgência no Hospital Garcia de Orta, em Almada, com diagnóstico de rotura de aneurisma cerebral.

Marcelo recorda “o humor, a emoção e a empatia” da atriz

O Presidente da República já lamentou a morte e lembrou “o humor, a emoção e a empatia” que nos ligam “aos outros, até aos outros que não conhecemos, como é o caso dos atores e das atrizes”.

“Maria João Abreu, que nos deixou precocemente, escolheu essa abordagem, talvez por ser a abordagem que lhe era mais natural: a comédia, a projeção dos nossos afetos e dos nossos problemas, a proximidade humana”, pode ler-se na nota intitulada ‘Presidente da República evoca, emocionado, Maria João Abreu’.

Marcelo Rebelo de Sousa recorda a carreira “como atriz de revista e como produtora, ao lado de José Raposo, bem como outras participações teatrais (com Filipe La Féria, João Lourenço e José Fonseca e Costa), mas sobretudo o seu intenso currículo em televisão (novelas, séries, programas de entretenimento e de comédia)” que a tornaram “uma figura que representava para muitos portugueses a familiaridade de quem está connosco porque se parece connosco”.

“À sua Família apresento, comovido, as minhas sentidas condolências”, remata a nota de Marcelo.

Populares