Seguir o O MINHO

Guimarães

Treze anos é “claramente tempo a mais” para concluir candidatura das Nicolinas à UNESCO

Considera André Coelho Lima, líder da oposição.

em

Foto: Facebook de André Coelho Lima (Arquivo)

A coligação ‘Juntos por Guimarães’ considerou hoje que 13 anos é “claramente tempo a mais” para concluir o processo de candidatura das festas Nicolinas a património imaterial da UNESCO, considerando que “se não há vontade é preciso dizê-lo”.


Na habitual conferência de imprensa após a reunião do executivo da Câmara Municipal de Guimarães, o líder daquela coligação, André Coelho Lima (PSD) referiu que “se há questões técnicas, cientificas de análise de quem está responsável pela candidatura que devem levar a uma reponderação, elas têm que ser colocadas”.

Pinheiro abre as Nicolinas em Guimarães – há quem diga que junta 100 mil pessoas

Em resposta, pela voz da vereadora com o pelouro da Cultura, Adelina Pinto, a autarquia referiu que será apresentado dia 13 um “estudo final” sobre as festas Nicolinas (festa dos estudantes vimaranenses em honra de S. Nicolau, que dura cerca de sete dias e tem como ponto alto a noite do Pinheiro), explicando que não “há nenhuma resposta” por parte da UNESCO desde 2016, data em que foi submetida a candidatura.

“Treze anos é claramente tempo a mais. Se há questões técnicas, cientificas de análise de quem está responsável pela candidatura que devem levar a uma reponderação da parte dele, elas têm que ser colocadas e até hoje não temos conhecimento disso”, afirmou André Coelho Lima.

André Coelho Lima (PSD). Foto: Facebook

Para o vereador “é frustrante” que desde o anúncio da intenção de candidatar as Nicolinas a património imaterial da Humanidade já existam “quatro ou cinco diferentes realidades classificadas como património imaterial e as nicolinas nem a candidatura submeterem”.

“Isto é muito difícil de compreender quando foram a primeira intenção portuguesa”, disse.

Coelho Lima defendeu que “é preciso parar, tomar o processo em mãos, perceber o que vai ser feito em concreto. Se não há vontade, se têm duvidas, é preciso dize-lo. Agora estar parado (?) já parece que é um bocadinho de mais”.

A autarquia garante que a candidatura será uma realidade: “Depois (da apresentação do estudo] a seguir temos que avançar, ou não, para a candidatura sendo certo que já fizemos a proposta de inscrição no sítio da internet na UNESCO. A seguir a isto a nossa ideia é fazermos efetivamente a candidatura”, disse Adelina Pinto.

Segundo explicou a vereadora “a UNESCO está com grandes dificuldades. Há uma série de propostas o qual carece de alguma legislação complementar. Não há nenhuma resposta”.

“Da nossa parte o estudo está concluído e pronto para ser editado”, referiu.

Anúncio

Guimarães

Câmara de Guimarães entrega habitação social partilhada

Solidariedade

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Coordenação de Âmbito Social e Financeiro das Habitações do Município de Guimarães (CASFIG) procedeu à entrega de uma habitação social partilhada, iniciativa que beneficia famílias unipessoais, refere um comunicado camarário divulgado hoje.

Em causa está uma residência partilhada, um projeto que segue o modelo de distribuição espacial permitindo a ocupação individual da habitação, de modo totalmente independente, com quarto, casa de banho e cozinha.

“Reconhecendo a importância desta modalidade alternativa ao alojamento convencional, a CASFIG tem vindo ao longo dos anos a aperfeiçoar o seu modelo de implementação e funcionamento, procurando sempre melhorar a sua funcionalidade e garantir maior privacidade individual a cada residente. Nesta linha de atuação foi criada mais uma residência partilhada, com um modelo inovador que permite conferir ainda mais privacidade aos seus residentes, bem como um melhor funcionamento das dinâmicas de convivência diária”, descreve a Câmara de Guimarães.

Até hoje foram entregues 12 residências masculinas partilhadas e seis residências femininas partilhadas, que resulta no apoio total a 45 famílias unipessoais.

Continuar a ler

Guimarães

Casal de traficantes tenta abalroar polícia e embate contra carros em Guimarães

Tráfico de droga

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Dois jovens, um homem de 28 e uma mulher de 23, foram detidos na sexta-feira depois de tentarem embater contra agentes da PSP com uma viatura enquanto tentavam fugir de uma operação de fiscalização, anunciou aquela polícia.

O incidente ocorreu pelas 11:50 de sexta-feira, na rua Dr. Eduardo Almeida, na cidade de Guimarães, quando a patrulha efetuava uma ação de vigilância aos indivíduos por suspeitas do crime de tráfico de estupefacientes.

“Após ter intercetados dois suspeitos, os mesmos ainda dentro da viatura tentaram a fuga, tendo embatido em dois veículos que se encontravam estacionados nas imediações, provocando danos materiais em ambos”, adianta o comando distrital da PSP.

De referir ainda, que aquando da fuga os suspeitos direcionaram a mesma contra os elementos policiais.

No decorrer da intervenção policial foi verificado que os dois suspeito tinham em sua posse heroína suficiente para 36 doses, que lhe foram apreendidas, bem como a quantia de 1.773,30 euros, um telemóvel e a viatura em que se faziam transportar.

Face ao exposto, foram os mesmos detidos, sendo presentes este sábado no Tribunal de Turno de Celorico de Basto.

Continuar a ler

Ave

Guimarães isenta pagamento de taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães deliberou a isenção de pagamento das taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal até ao final do ano, anunciou hoje a autarquia.

A medida visa apoiar os comerciantes, na retoma da sua economia em época de contingência no âmbito da prevenção à pandemia covid-19.

Em comunicado, a autarquia afirma que, segundo as estatísticas oficiais disponíveis na presente data, o surto epidémico aparenta estar controlado, mas a pandemia provocou uma disrupção do tecido económico e do emprego cujos efeitos apenas agora se começam a sentir em toda a sua amplitude.

Portanto, considera a câmara, tonar-se indispensável que tais medidas se prolonguem no tempo, como forma de mitigar as dificuldades atualmente sentidas pelas famílias e pelas empresas radicadas no Município.

No Mercado Municipal e na Feira Retalhista de Guimarães existe um plano de contingência que obriga a limitação de acessos de clientes, de distanciamento, de comerciantes, de espaços de venda, pelo que o município entende ser necessário apoiar estes comerciantes, na retoma da sua economia.

Continuar a ler

Populares